CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Caro Editor,

Com a epidemia do coronavírus, a partir de hoje as aulas serão transmitidas pela televisão.

Veja esta aula de matemática:

Aula dada por uma professora que governou o Brasil por 6 anos.

Lembre-se que os que votaram nela chamam de burros nós que votamos em Bolsonaro.

E eles dizem isto relinchando furiosamente.

KKKKKKKKKKKKKKK

8 pensou em “RITA DE CASSIA – PALMAS-TO

  1. Rita.

    Eu fico pensando: durante os anos petistas no Poder – leia-se Lula d Dilma – as pessoas foram enganadas pela mentira, tiveram o dinheiro roubado, as esperanças esculhambadas, o país quase destruído pela sanha bucaneira do PT, e ainda chamam o Bolsonaro de Bozo. Fico a me perguntar: depois desse corolário de escândalo e corrupção nos governos petistas, acredito que o Bozo nessa história está mal colocado. Se refletirmos bem, quem de fato foi e continua sendo o palhaço nessa história todda?

        • João Francisco, a ingenuidade campeia e as notícias falsas povoam as mentes infantis do povo assustado pelas mentiras.
          Tu dizes que Guedes fala que o Lula usou 500 bilhões (de reais ou de dòlares?) do BNDES para financiar ditaduras e dizes que eu pulei essa parte.
          Bem, eu não pulei porra alguma e se o Guedes falou essa bosta ele é um puta idiota.
          Sim, fostes enganado mais uma vez: é falsa a informação que circula na rede segundo a qual o BNDES teria enviado esses R$ 500 bilhões a países e ditaduras amigas.
          A informação é errada por várias razões.
          Primeiramente porque o BNDES não envia recursos a países.
          O Banco realiza, desde 1998, financiamento a exportações de bens e serviços realizados por empresas brasileiras. Isso significa que são elas, as empresas brasileiras, que recebem os recursos desembolsados pelo BNDES, aqui no Brasil, em reais, nessas operações.
          O país ou a empresa estrangeira que importa esses bens ou serviços ofertados pelas empresas brasileiras assumem a dívida, realizando os pagamentos ao BNDES.
          Ou seja, não é exatamente o que se diz.
          Nos mais de vinte anos em que realiza esse tipo de operação (1998 a 2018, ou seja, desde antes dos governos petistas), o BNDES desembolsou US$ 39 bilhões para financiar exportações, o que corresponde a aproximadamente R$ 92 bilhões.
          Isso significa R$ 4,4 bilhões, em média, a cada ano.
          No mesmo período, os desembolsos totais do BNDES somaram nada menos que R$ 1,792 trilhão, uma média de R$ 85 bilhões por ano.
          Em resumo: os recursos destinados pelo BNDES ao financiamento de exportações desde que realiza esse tipo de operação correspondem a menos de 5% do total que o Banco desembolsou no mesmo período.
          Os valores de fato desembolsados pelo BNDES para exportações em 21 anos são muito inferiores ao valor anunciado no boato: correspondem a menos de 20% dos tais R$ 500 bilhões, tálquei?
          Outro ponto importante: os países importadores desses bens e serviços (são mais de 40, no total) possuem as mais variadas características. São países de diferentes tamanhos, de variados continentes e de orientações políticas as mais diversas.
          UMA CURIOSIDADE PARA PENSARES DETIDAMENTE: sABES QUAL FOI O maior importador de bens e serviços brasileiros financiados pelo BNDES?
          resposta: são os Estados Unidos (US$ 17,8 bilhões)!
          Em seguida, vêm
          Argentina (US$ 3,5 bilhões),
          Angola (US$ 3,4 bilhões),
          Venezuela (US$ 2,2 bilhões) e
          Holanda (US$ 1,4 bilhão).
          Cuba, tadinha (só US$ 682 milhões)
          Moçambique (US$ 320 milhões)
          Tá no ré?
          A barba cresceu.

  2. Essa “capa” de idiota, de certa forma folclórica, encobre quem é realmente a “vaca peidona” e os inumeros rombos, como aquele de 800 milhões de dólares no caso da refinaria Pasadena.

Deixe uma resposta