ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

A resiliência é um termo originado da Física e da Engenharia. Refere-se à propriedade de alguns materiais de acumular energia quando submetidos ao estressse e às forças externas, sem ocorrer ruptura. A psicologia pegou emprestada a palavra criando o termo resiliência psicológica para indicar como as pessoas respondem às frustrações diárias, em todos os níveis, bem como sua capacidade de recuperação emocional. E, expressando de maneira objetiva, afirma que a pessoa, quanto mais resiliente, mais fortemente estará preparada para lidar com as adversidades cotidianas.

Ao longo da vida, muitas pessoas passam por situações consideradas desvantajosas: perda de entes queridos, enfermidades, conflitos com pessoas da sua afetividade, desemprego e violência psicológica/física. Quando observamos os indivíduos, nos momentos difíceis, é possível perceber como as reações e formas de enfrentamento são distintas. Existem os que conseguem retomar o autodesenvolvimento a partir de novos aprendizados. E aqueles que não conseguem seguir adiante, sem arrastar as correntes que os mantêm presos aos fantasmas de um passado, que só traz dor e pesar.

A resiliência significa não esquecer completamente os fatos ruins acontecidos. Entretanto, tais fatos devem ser vivenciados como se tudo fosse apenas aprendizado, extraindo-se as coisas positivas dessas experiências. A superação é permitir-nos sentir raiva e tristeza ao lembrar dos fatos que causaram dor, aprendendo e vivendo sem deixar que os fantasmas do pretérito nos impeçam de crescer e seguir em frente.

Pessoas resilientes têm uma percepção de si mesmos de serem fortes, eles usam todos os meios possíveis para aprender a lidar com os problemas. Não se incomodam por não terem conseguido na primeira vez, eles consideram que toda tentativa é válida, pois a cada uma aprendemos um pouco mais. É possível se transformar em uma pessoa resiliente, mas para isso é necessário seguir alguns fatores: administração das emoções, controle dos impulsos, otimismo, análise do ambiente, empatia, autoeficácia e bom relacionamento social. Concluímos que a ferramenta necessária para atingir o objetivo de ser resiliente é investir no autoconhecimento.

Fonte: Este texto foi encontrado na internet com autoria desconhecida. As pessoas começaram a enviar para os e-mails dos amigos, então devido a importância do assunto resolvi publicar no JBF.

7 pensou em “RESILIÊNCIA

  1. O artigo abordado é muito oportuno, pois desde que anunciada à pandemia do novo coronavírus pela Organização Mundial da Saúde (OMS), houve um crescimento de casos no Brasil. A avalanche de informações sobre o risco da doença tem provocado, na maioria das pessoas, muitas reações, que vão de crises de ansiedade ao pânico. Os diversos efeitos psicológicos nesse período de isolamento têm dificultado a busca pelo equilíbrio entre razão e emoção, fundamental para a saúde psicológica. Concordo que a utilização do autoconhecimento é importantíssimo para enfrentar os desafios dessa terrível pandemia.

    • O Vitorino acertou em cheio. Na lata!! e o texto do ArisNOSSO é perfeito para o atual momento.
      Abraço grande nesses nossos dois fubânicos geniais…

      • Sancho Pança,

        Agradeço seu generoso comentário. Vitorino foi muito feliz na sua reflexão sobrfe ser resiliente nesses tempros de pandemia. No Jornal da Besta Fubana, nós aprendemos uns com os outros sempre. Compartilho uma sextilha sobre o novo coronavírus do poeta e repentista Rubens do Valle com o prezado amigo:

        Tem gente na pandemia
        Caminhando distraída
        Se arriscando demais
        Sem ter rumo na partida
        Contaminando os demais
        Sem zelar à própria vida.

        Saudações fraternas,

        Aristeu

  2. Vitorino,

    É gratificante ler um comentário com observações interessantes sobre a importância da resiliência na pandemia do novo coronavírus. Em tempos de crises, ser resiliente é mais que sobreviver, é conseguir passar pela situação e aprender, se recuperando do ocorrido e retomando aos poucos a sua rotina anterior, deixando para trás o que já não mais importa e aprendendo a crescer, saindo fortalecido da crise. Para desenvolver mais habilidades de resiliência, precisamos estar atentos aos nossos pensamentos, emoções e comportamentos, ou seja, desenvolver o autoconhecimento.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  3. Parabéns pelo excelente texto, prezado Aristeu Bezerra!
    A palavra resiliência tem sua origem no latim, e significa “voltar ao seu estado original”. Ou seja, pode ser compreendida como a habilidade de retomar seu funcionamento natural, especialmente após atravessar situações críticas ou difíceis.

    A resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse, algum tipo de evento traumático, entre outros.

    Uma ótima semana para você!
    Muita Saúde e Paz!

    Violante Pimentel Natal (RN)

    • Violante,

      Muito obrigado por seu excelente comentário. A quantidade de informação que é absorvida diariamente, junto com o isolamento social e a falta de perspectiva de volta à normalidade, podem enfraquecer a resiliência que existe dentro de cada um de nós, mesmo naqueles que se mostram extremamente otimistas e inteligentes emocionalmente. Entretanto, já enxergamos uma luz no final do túnel: vacinas estão próximas de estarem concluídas para imunização da população. Aproveito a oportunidade para compartilhar uma sextilha sobre a pandemia do repentista
      Pedro Júnior com a prezada amiga:

      Pedem pra manter distância
      Do irmão e companheiro
      Acho que é melhor ter fé
      Em nosso Pai verdadeiro
      Pra resolver o problema
      Sem tumulto e desespero.

      Saudações fraternas,

      Aristeu

  4. Obrigada, Aristeu, por compartilhar comigo esta sextilha tão bonita e verdadeira, do repentista Pedro Júnior! Gostei muito!

    Violante

Deixe uma resposta para Aristeu Cancelar resposta