DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

Esta é minha homenagem a minha tia Isa Catunda professora que lecionou durante muitos anos na cidade de Ipueiras. Ela teve em vida, o carinho e o reconhecimento de muitos que passaram por sua sala de aula. Hoje ela já não vive fisicamente entre nós, mas continua a ser um espírito de luz a nos iluminar.

Renegou a palmatória.
Sabia contar história.
Tinha a meiguice da flor.
Tinha o dom de encantar,
Gostava de lecionar
A Mestra do interior.

Não teve filhos na vida,
Mas era a tia querida,
Que a criançada adotou.
Irradiava magia,
Era Filha de Maria,
Catecismo me ensinou.

Era fina e elegante,
Joia rara, um diamante,
Com todo seu esplendor.
Um ser de luz e beleza
Pro céu levou sua pureza,
E aqui deixou muito amor.

Esse anjo de quem falo,
Rasgo meu peito e não calo,
Habita o meu coração.
É tia Isa querida,
Que já deixou essa vida,
Vive em outra dimensão.

Isa Catunda de Pinho,
Teve um bonito caminho,
Enquanto pode ensinou.
Essa doce criatura
Que viveu para a cultura
Seu legado me deixou.

3 pensou em “PROFESSORINHA DO INTERIOR

  1. Parabéns, sempre bela Dalinha, pela poética, inteligente e linda homenagem à sua querida tia Isa Catunda! Ela merece! Renegar a famigerada palmatória nos idos de 1950/60, em pleno sertão do Ceará, era um nobre e humanitário gesto que só se justificava se adviesse de um/a Catunda de Ipueiras, família que se destaca pela notória inteligência e quebra de paradigmas.

Deixe uma resposta