DEU NO TWITTER

* * *

Atenção, senhores leitores fubânicos: não é montagem, não é invenção do Editor desta gazeta escrota.

Foi assim mesmo, do jeito que está aí em cima, que foi feita a postagem no Twitter:

“Cloroquina bolsonarista”

Segundo O Antagonista, a informação é baseada num editorial do Globo.

O Globo e O Antagonista: duas destacadas lideranças da imprensa oposicionista da atualidade.

Um dando destaque à informação do outro.

Num é lindo???!!!

18 pensou em “PRESIDENTE ASSASSINO

  1. Depois que o todo poderoso (e põe poderoso nisso) D. Trump declarou que há uma semana toma a Hidroxicloroquina bolsonarista de forma preventiva, a extrema mídia pirou.

    Anteriormente à pandemia a pílula era administrada preventivamente para pessoas que iriam para áreas onde a malária existia. Agora é veneno.

    É criminoso o que estão fazendo contra este remédio barato, com baixa contra indicação e que tem se mostrado eficaz quando administrado precocemente em pessoas atingidas pelo Vírus chinês.

    Este Antagonista já foi uma fonte de referência para todos nós, inclusive aqui no JBF, uma pena.

  2. O Globo e O Antagonista: duas destacadas lideranças da imprensa oposicionista da atualidade.

    Millôr Fernandes: “Jornalismo é oposição. O resto é armazém de secos e molhados.”

    • Quer dizer, então, que a expressão “cloroquina bolsonarista provoca ainda mais mortes” é jornalismo oposicionista.

      Oposicionista, sério e isento.

      Meu guru e ídolo Millôr Fernandes deve estar se revirando no túmulo…

    • Eu não chamei ninguém de oposicionista.
      O que fiz foi transcrever da postagem o trecho abaixo, que deve ter sido elaborado pela chupicleide ou o estagiário.

      O Globo e O Antagonista: duas destacadas lideranças da imprensa oposicionista da atualidade.

  3. A Prefeitura de São Mamede, na Paraíba, iniciou nesta segunda-feira (18), a entrega de kits com medicações usadas para pacientes que foram infectados pelo novo Coronavírus. O “Kit Covid-19”, contém Azitromicina 500 Mg, Ivermectina 6 Mg, Dipirona 500 mg, Prednisona, 20 mg, Zinco, Vitamina D, Nitazoxanida, Hidroxicloroquina, AAS e Ambroxol.
    De acordo com informações, os medicamentos serão fornecidos de acordo com a prescrição médica. O farmacêutico monta o kit e encaminha ao paciente que recebe os medicamentos na sua casa.
    A entrega é realizada pela Secretaria de Saúde com a equipe devidamente equipada com o uso de EPIs.
    O ClickPB entrou em contato com o Secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, que informou que o fornecimento das medicações é de responsabilidade do município.
    O prefeito Umberto Jefferson disse que apesar de todas as medidas protetivas realizadas pelo município, São Mamede registrou o primeiro caso confirmado da doença, na última sexta-feira (15).
    “Os kits distribuídos pela Prefeitura de São Mamede não são iguais para todos os pacientes. Cada um receberá de acordo com a prescrição médica, o seu tratamento, a sua terapêutica específica”, disse o prefeito.

    FONTE: BLOG CLICKPB

  4. Meus caros, essa noticia de que a Cloroquina provoca mortes deve ter sido baseada naquele experimento feito em Manaus )aquele que aplicou uma dose de 450 miligramas de cloroquina duas vezes ao dia por cinco dias, enquanto o restante recebeu uma dose maior de 600 miligramas por 10 dias em 81 pacientes dos quais 11 morreram e o experimento foi interromido.

    • Consta na bula do Reuquinol um velho conhecido aqui em casa que a dose é de um comprimido diário que contém 400 mg de sulfato hidroxicloroquina.

      Reuquinol ($98,00) do laboratório APSEN era até o ano passado o único similar do remédio referencia Plaquinol ($128,00) da Advent.

      Meu marido fez uso com receita da médica para tratar de artrite agressiva e deixou de utilizar porque depois de algum tempo de uso seu intestino foi afetado esse efeito colateral consta da bula e na dúvida ele preferiu continuar com suas sofridas dores da artrite.

      Hesitei em fazer esse relato porque não gosto de envolver problemas familiares em meus comentários mas, com um problema tão sério acho que mesmo que exista o ditado: De médico e louco todo mundo tem um pouco, assuntos de medicina devem ser tratados pelos profissionais que estudaram o assunto.

      • Cara Sra. Sônia Regina,

        Ninguém em sã consciência irá indicar a aplicação de um coquetel de remédios incluindo a hidroxicloroquina para paciente algum, mesmo em estágio inicial da doença da Covid-19 sem acompanhamento médico.

        O que estão fazendo em alguns lugares é: Apareceu com sintomas da doença (dor no olho e perda dos sentidos do paladar e olfato) sem estar com outras complicações. Manda para casa, dá o kit de medicação, que contém a hidroxicloroquina e faz-se um acompanhamento de perto com médicos e enfermeiros na residência. O resultado relatado tem sido de 80% de diminuição das internações.

        Então podemos concluir: Não é 100% garantida a recuperação, porém os resultados têm diminuído a sobrecarga hospitalar onde é aplicado.

        Vão haver pessoas com reações ao medicamento? Sim, mas é minoria e o acompanhamento de perto evita complicações.

        Fora isso, o que fizeram em Manaus os Petistas que se passaram por pesquisadores com o auxílio da Fiocruz do Mandetta foi criminoso.

          • Tudo na ciência, nada fora da ciência neste momento coronavírico. A ciência sempre será a resposta. Mas orar e vigiar não faz mal nenhum!!!

            Sabiamante muita bisavô dizia que a diferença entre o remédio e o veneno está na dose (quem nunca ouviu isso?). Uma certa verdade dessa afirmação está na origem grega do termo fármaco, usado tanto para designar a substância capaz de curar como aquela que pode levar à morte o SUJEITO.

            EXEMPLO: um produto obtido da altamente mortífera saliva do monstro-de-gila dizem que pode ser bom para diabete (que ninguém tente a proeza de encarar o bicho!).

            A prática desse tipo de recurso atribui-se a Hipócrates, com o tratamento de úlceras à base de arsênico, substância que hoje é empregada na terapia de diversos males (novamente, insisto: não tente usar de orelhada).

            Plantas com princípios ativos perigosos capazes de se converter em medicamentos de acordo com a dose ministrada ou conforme a substância com que sejam combinados já é bem explorado pela comunidade científica.

            Outro exemplo é do veneno da jararaca, de onde a ciência extrai substâncias úteis ao tratamento de problemas vasculares e hipertensão, ou seja, veneno da jararaca é toxico, mas que em doses fracionadas é utilizado pra tratamentos em forma de medicamento. Todas as substâncias são tóxicas, tanto é que o estabelecimento que os vende, normalmente é chamado de drogaria. A dose correta é que diferencia um veneno de um remédio.

            Vai uma cloroquina aì!?

            .

  5. Prezados amigos,
    Convençam-se de uma vez por todas:

    ESTAMOS COMBATENDO ASSASSINOS FRIOS, DESALMADOS E SEM DEUS!

    Segurar, proibir e banir a aplicação de um remédio cuja eficiência, até preventiva, já foi comprovada ao longo de séculos, é simplesmente GENOCÍDIO. O mesmo genocídio de que acusam Bolsonaro.

    ACUSE-OS DAQUILO QUE VOCÊ FAZ!!!!! Lembram?

    Agora… Vai Bolsonaro querer tratar dentro da legalidade, cujas leis são eles mesmos que fazem e manipulam, como se essas hordas de facínoras fossem seres humanos. Não dá, né?

    Metralhadora neles!!!!! JÁ, PORRA!!!!!

    Ei, Goiano! Sai dessa enquanto é tempo! Se não, tu vais ser passado na metralha também, babaca baba-ovo de comunista!!!

  6. P.S. Na quartelada de 1964, morreram 300 terroristas. Isso contando com toda a turma do Araguaia e ao longo de uns 10 anos. Dessa vez, a podridão comunista está muito mais entranhada. Vai ter de morrer bem mais de 300 MIL. Quero ver tribunal de Direitos Humanos da Costa Rica para abrir processo contra dessa vez.

    • Caro Adônis,

      Não foram 300 terroristas, foram menos e isso incluem os “desaparecidos” que foram muitas vezes justiçados pelos próprios companheiros quando não aguentavam a selva e queriam voltar para casa.

      Isso morre hoje em 10 horas pelo Covid.

Deixe uma resposta