CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Berto,

O livro do Janot já está circulando e tem munição para uma guerra como nunca se viu no Brasil.

Veja o que ele registra em 251 páginas.

É assustador.

Fraterno abraço

R. Gostei do termo que você usou: “assustador”.

Mas, em se tratando de deduragem e de troca de tapas entre malfeitores, eu também usaria o adjetivo “encantador”.

É pra gente se deliciar!

Só pra aguçar o apetite, aqui estão os títulos dos capítulos do livro-bomba:

1. Ele não
2. A prisão de um ídolo
3. Com Dilma no Alvorada
4. Como tudo começou: todo poder a Curitiba!
5. O dia em que a Lava Jato quase acabou
6. Tiros no Senado? A segunda sabatina
7. Todos dizem eu te amo (ou “ My life in your hands ”)
8. Nada menos que tudo
9. Ele sim
10. “Chefe, acho que vamos ter que prender um senador!”
(Uma faísca no paiol de pólvora do governo)
11. Os pedidos de prisão de Sarney, Calheiros e Jucá – o dia em
que quebraram o nariz da Lava Jato
12. Ao mestre, com carinho – os bons morrem antes
13. Pau que dá em Chico dá em Francisco
14. A América em chamas
15. O objeto de desejo chamado Lula
16. Corrida de toros – um ministro ferido
17. No coração das trevas (ou o dia em que a Lava Jato fisgou o
presidente da República)
18. Uma tempestade quase perfeita – enquanto houver
bambu, lá vai flecha
19. Quer ser ministro do Supremo?
20. Nada será como antes

Janot, nomeado por sua protetora Dilma Peidona Rousseff, já provou que é um finório estrategista: o STF caiu na sua armadilha de determinar busca e apreensão nos seus computadores, celulares e documentos.

Deve ter coisa podre pra cacete!!!

Quem quiser ler a íntegra do livro enviado pelo nosso estimado colunista Pedro Malta, basta clicar aqui.

“Cumpanhero Janô, tu fudeu nóis: jogasse merda no ventiladô”

Deixe uma resposta