PASSADISCO, PEN DRIVE e AMOR

MEU ROADSTAR NÃO SABE O QUE É PENDRIVE

Lá vem o vendedor, na loja de carros coreana, me apresentando o novo automóvel: motor turbo, ignição eletrônica digital mapeada, injeção Multi Point Fuel Injection, cabeçotes de alumínio, sensores diversos e outras tecnologias desnecessárias, além de um inteligente computador de bordo. Explicou tudo, menos sobre a minha musiquinha: como fazer para ouvi-la, se não existia no interior daquele bólido de última geração um leitor de CD? Em seu lugar, um buraquinho pequenino no qual cabia apenas um pen-drive. Não sabia ele que eu gosto do CD físico, aquele que tem capa, que tem encarte com as letras e fotos, que tem os nomes de quem fez e de quem tocou as músicas. Me deu até saudades do meu velho Fuscão 73 (EE4080) com seu atualíssimo Toca-Fitas Roadstar, último modelo, com auto-reverse, sonho de consumo dos jovens da época, adquirido numa viagem à Zona Franca de Manaus. Saí da loja meio deprimido e fui curar minha amargura na PASSA DISCO comprando o mais novo CD de Francisco César Francisco Cesar Goncalves, também conhecido por Chico César, meu parceiro e xará. Dúvidas não havia, mas ficou mais que consolidada a ideia de que O AMOR É, e sempre será, UM ATO REVOLUCIONÁRIO. O conteúdo é lindo. O encarte, letras e fotos, também. Coisas que o pen drive não me oferece.

Toda a série FORROBOXOTE, Livros e Discos, disponível para compra no site Forroboxote. – Link BODEGA. Entregas para todo o Brasil.

8 pensou em “PASSADISCO, PEN DRIVE e AMOR

  1. Grande Poeta Xico:

    Meus amores são meus insubstituíveis LPs e CDs de Gonzaquinha, Zé Ramalho, Caetano, Gil, Chico, Luiz Gonzaga, Jackson Pandeiro, Coronel Ludugero, Falcão, Chico César, Maria Bethania, Almir Satter, Zeca Baleiro, Milton Nascimento, Toquinho, e demais da espécie.

    Nenhum desses, com os apetrechos das capas e dos encartes, cabem no pen drive!

    Louvada crônica poética!

  2. O carro da minha mulher tem toca-fitas. E eu não tenho mais onde gravar fitas para ela. A coitada escuta as mesmas coisas faz uns dois anos.

  3. Caramba, eu me lembro do meu Roadstar, twitter, equalizador e ….. portátil!!!! Quando eu saí do carro tirava e botava debaixo do banco ou na mala quando ia demorar em algum canto. Tenho um 3 em 1, LBT A20, Sony e o cara ainda toca discos….tenho uns 400 LP’s….um deck com 200 cd’s sem contar os que estão na estante.
    É isso que eu acho interessante no poeta!!!!.o cara vai lá no fundo do baú, resgata um fato e põe lirismo!

    • Poeta Xico:

      ROADSTAR me lembra muito os eternos e irreverentes MAMONAS ASSASSINAS na música forró escrachado “VICENTE CELESTINO”, dedicada a um candidato a vereador em Guarulhos.

      Saudades dos Palhaços Modernos!

      • Caro Xico e leitores, apreciadores de suas belíssimas crônicas poemizadas. A música escrachada dos Mamonas Assassinas se chama “Jumento Celestino.”

        Perdão a todos pele lapso de memória!

  4. ROADSTAR lembra muita coisa boa de um tempo que ficou pra trás, amigo Cícero. Tempo de sonhos, de música boa, de uma inocência sadia, futebol no meio da rua e pipas no ar, de namoro ‘mão na mão’ (só rararamente ‘aquilo naquilo’), sem celular, WhatZap e outras ‘modernagens’. Sinto saudades.

Deixe uma resposta