VIOLANTE PIMENTEL - CENAS DO CAMINHO

Precursor é aquele que precede, anuncia, prenuncia, prepara ou indica a vinda ou o acontecimento de alguma coisa.

Dr. Ramos, médico pernambucano da Fundação SESP, radicado em Nova Cruz durante muitos anos (60/70), exercia a medicina como um sacerdócio. Ele e a esposa, Dona Gabi, que era parteira, eram abnegados benfeitores da humanidade, dedicados à saúde dos pobres, na pequena cidade de Nova-Cruz (RN).

Dr. Ramos atendia no Posto de Saúde, e também na sua residência, onde instalou um consultório particular, e ali atendia ricos e pobres, com a mesma abnegação.

A cidade era muito atrasada. Não dispunha de energia elétrica nem de água encanada.

As mulheres que batiam à porta de Dr. Ramos para se consultar, fosse qual fosse a queixa, antes de qualquer coisa, teriam que se submeter a um exame ginecológico, para coleta de lâmina, a fim de poder ser detectada qualquer inflamação uterina. Era o exame preventivo contra Câncer, numa época em que ainda não se falava nisso.

As pessoas de mente doentia faziam comentários maldosos contra o médico, por causa desse “exame preventivo”, mas nunca houve qualquer comprovação de conduta libidinosa por parte do respeitável profissional. Durante esse exame preventivo, o médico era auxiliado pela esposa, Dona Gabi.

Numa noite chuvosa, por volta das 19 horas, Dr. Ramos ouviu palmas à sua porta. Era Severino, um senhor que morava no Alto de São Sebastião, cuja esposa era cardíaca e estava passando mal.

Dr. Ramos o acompanhou, mandou abrir a farmácia e providenciou uma medicação paliativa, para tirar a paciente da crise.

Em Nova-Cruz, não havia hospital nem ambulância, para transporte de pacientes para Natal (RN) ou João Pessoa (PB), onde estavam localizadas as mais próximas unidades hospitalares, para atendimento de urgência.

Diante da gravidade do caso, Dr. Ramos recomendou ao marido da paciente que, no dia seguinte, a transportasse a Natal ou João Pessoa (PB), com urgência, pois o caso era grave. Tirou a paciente da crise, com os medicamentos disponíveis na farmácia e só voltou para sua residência à uma hora da manhã.

Antes de amanhecer o dia, Dr. Ramos ouviu, mais uma vez, palmas à sua porta. Era Severino, o marido da paciente, que viera avisar que a esposa havia falecido. Chorando muito, o homem esperou que Dr. Ramos preenchesse o Atestado de Óbito de Josefa Maria da Silva, para que o Cartório expedisse a competente Certidão de Óbito, e ele pudesse providenciar o enterro.

Compadecido diante do choro do viúvo, Dr. Ramos pronunciou estas palavras de solidariedade:

-Severino, se conforme. Aquele remédio que eu ministrei à D. Josefa é muito bom! Ela morreu, mas morreu muito melhorada…

Esse caso ocorreu nos anos 60/70.

Nos dias atuais, temos notícias de mortes por COVID-19, de pessoas já vacinadas com as duas doses e até com a dose de “reforço” da vacina, considerada milagrosa, pela mídia.

O que são 50 anos na História? Nada! A História se repete.

Uma verdade deve ser propagada: Pessoas já vacinadas contra COVID-19, com a primeira, segunda dose e a dose de reforço, continuam morrendo do mesmo mal, mas agora é diferente:

“ESTÃO MORRENDO MUITO MELHORADAS.”

Já é um alento para a humanidade!

12 pensou em “O PRECURSOR

  1. Bom dia mulher de lindo nome (não sou sapatão tá ! )

    Genial. Do começo ao fim. Principalmente o fim.

    “ESTÃO MORRENDO MUITO MELHORADAS”.

    Já é um alento para a humanidade !

    O que dizer agora sobre as crianças sendo vacinadas ?

    Abraço forte

    • Bom dia, querida Schirley!

      Obrigada pelo comentário gentil!
      Fico feliz por você gostar do meu nome.
      Aliás, sua amabilidade, inteligência e carisma tem conquistado toda a comunidade fubânica.
      Os comentários trocados entre você, Sancho e Cícero são um “show” à parte! Muita cultura e bom humor!
      Já sou sua fã…

      Um excelente final de semana!

  2. Minha cara e divina Violante, Dr. Ramos era médico das antigas em um lugar onde haviam parcos recursos. Fez o possível para salvar Dona Josefa, mulher de Severino. Suas palavras de consolo para este foi um modo de dizer que fizera o possível para salvar sua esposa. Não quis enganá-lo.

    Hoje com relação à gripe chinesa, é tudo muito diferente. A verdade é a última coisa que ouvimos sobre as vacinas.

    Beijo, minha querida

    • Verdades devem ser propagada:

      Pessoas já vacinadas contra COVID-19, com a primeira, segunda dose e a dose de reforço, continuam morrendo do mesmo mal, mas agora é diferente:

      “ESTÃO MORRENDO MUITO MELHORADAS.”

      Já é um alento para a humanidade!

      Vivi e João… Ela morreu, mas morreu muito melhorada…

      Isso, salvo melhor juízo, tem sido escrito e dito (e muito) por alguns, sobre as tais vacinas… Ou estou enganado?

      Já é um alento para a humanidade! kkkkkkkkkkkkkk.

      If it were not so tragic, it would be laughable…. Seria cômico se não fosse trágico…

      Vivi, um ótimo final de semana “bem melhorado” a todos que moram em seu coração, onde certamente me incluo… kkkkkkkkkkk.

      Beijão de Sancho é “inté”….

      • Obrigada pelo comentário gentil, querido colunista Sancho Pança!

        Dizer que a pessoa morreu muito melhorada, é “conversa pra boi dormir.”…kkkkk
        Mas, é válido, quando se trata de amenizar a dor da perda pela qual alguém está passando.
        Entretanto, Severino, passou a vida toda sem entender as palavras de Dr. Ramos…”Morreu muito melhorada”? Que história é essa? kkk

        É a mesma coisa que, atualmente, a mídia funerária tenta fazer: Quer obrigar o povo a achar normal que a pessoa tome as três doses da vacina contra COVID-19 e ainda contraia o terrível vírus, vindo a falecer ou ficando cheia de sequelas.

        ‘Não precisa explicar. Eu só queria entender”…Este era o bordão do macaco Sócrates exibido no humorístico da TV Globo nos idos de 1980.

        Beijão, querido amigo!

    • Obrigada pela gentileza do comentário, prezado João Francisco!

      Dr. Ramos foi uma figura inesquecível, que marcou época em Nova-Cruz.(RN), onde nasci e me criei.
      Quando se aposentou e voltou com a família para sua terra natal, Recife (PE), deixou muita saudade. A amizade com meus pais continuou e quando ele precisava ir a Nova-Cruz, era nosso hospede.
      Dr. Ramos e a esposa eram duas almas puras, dedicadas a fazer o bem ao povo de Nova-Cruz (RN). Duas figuras inesquecíveis!

      Com relação à gripe chinesa, que continua devastando a humanidade, há uma interrogação quanto à completa eficácia. Por que tantas sequelas? E por que tantas mortes de pessoas já vacinadas, com as duas doses e mais o reforço?
      Mistério!!!

      Beijo, querido amigo!

  3. Violante,

    Uma excelente crônica abordando a Covid-19. Quanto a frase do Dr. Ramos que a paciente tinha morrido muito melhorada, entendo como uma maneira de aliviar a dor da perda de Severino. Aproveito para fazer uma breve observação sobre a eficácia da vacina para a Covid-19.
    A vacina reduzirá o risco de desenvolver complicações pela covid-19, mas ainda não está claro seu impacto na infecção pelo vírus. Indivíduos vacinados têm menor risco de complicações, mas é possível que pessoas vacinadas venham a se infectar e transmitir a doença mesmo que não desenvolvam sintomas ou desenvolvam sintomas leves.
    A vacina pode me imunizar de todas as mutações do coronavírus? Os dados disponíveis até o momento apontam que as vacinas são eficazes para a maioria das cepas do vírus. Porém, não é possível prever ainda se existirão mutações do vírus que reduzam a proteção conferida pelas vacinas covid-19, produzidas e comercializadas até o momento.
    Infelizmente, a pandemia tomou um viés político. Há pessoas que acreditam que apesar da vacina não imunizar 100%, diminui sensivelmente a possibilidade de internação e agravamento dos sintomas. Isso já justifica o esforço da nossa população de se vacinar a fim de prevenir um quadro grave da Covid-19.

    Desejo um final de semana pleno de saúde, paz e felicidade

    Aristeu

  4. Obrigada pelo gratificante comentário, prezado Aristeu!
    Dr. Ramos fez o possível para salvar a mulher de Severino, mas sua luta foi inglória, em face da precariedade dos serviços médicos que a cidade oferecia.
    O povo, praticamente, morria à míngua.

    Gostei muito da sua explicação sobre a eficácia da vacina para a Covid-19.

    Concordo com a sua opinião, quando diz que::
    ” Infelizmente, a pandemia tomou um viés político. Há pessoas que acreditam que apesar da vacina não imunizar 100%, diminui sensivelmente a possibilidade de internação e agravamento dos sintomas. Isso já justifica o esforço da nossa população de se vacinar a fim de prevenir um quadro grave da Covid-19.”

    De qualquer forma, a vacina contra COVID-19 nos dá a leve esperança de estarmos imunizados, Mas a tranquilidade da população só ocorrerá mesmo, quando houver a certeza da erradicação total desse terrível vírus.

    Um final de semana, com muita saúde, alegria e Paz, para você também!

  5. A lady do JBF, cada vez mais elegante em suas crônicas.

    Pois é Violante, a abnegação desse médico possuidor do dom e da aptidão, é que o tornou adepto a causa da saude, por puro sacerdócio. Coisa muito rara hoje em dia.

    Constatou-se vários absurdos, desde quando transformaram a vacina em arma ideológica, . Registrou-se nas redes sociais que, na TV, (consórcio de veículos de imprensa funerária), ao noticiar a morte de uma pessoa com COVID 19, a jornalista teria dito que: ” especialistas dizem que, se não tivesse sido vacinada, teria sido muito pior”

    Por analogia mas, sem a peçonha ideológica reinante de hoje, o Dr. Ramos tentou confortar o viúvo, querendo transmitir a mensagem de que a esposa faleceu sem muito sofrimento. Uma forma humanizada de aliviar e tratar a dor do próximo.

    Usou da linguagem usual da região. A linguagem que aquele povo sabe entender.

    Congratulações, Violante!
    Bom fim de semana.

  6. Obrigada pelo carinho do comentário, prezado Marcos André, genial colunista do JBF!

    Dr. Ramos viveu numa época, em que “a maldade não tinha nascido”. Nem se sonhava com a pandemia da Covid-19.

    Quando deflagrou-se a pandemia da COVID-19, a mídia funerária atirou a sociedade ao pânico, e as mortes pelo terrível vírus, até então desconhecido, se sucederam “na velocidade da luz”.
    A população desesperada encontrou alento na Medicina e na Ciência..

    Enquanto a mídia funerária pedia para a população ficar em casa, os. médicos iam para a linha de frente, lutar contra um inimigo desconhecido, o Coronavírus. Foram mais de 40 mil médicos contaminados e mais de 65 óbitos.
    A classe médica, cujo ofício destina-se à dedicação ao próximo, teve sua grandeza reconhecida e valorizada pelos brasileiros.

    O ser humano se dignifica praticando a caridade

    A grandeza de Dr. Ramos se dignificou em Nova-Cruz, quando a Medicina era exercida sem negociatas, moeda de troca, nem verbas milionárias do governo federal.

    Lá do céu onde hoje se encontra, Dr. Ramos, com certeza, continua de olhos fixos no desenvolvimento da ciência, talvez, ajudando aos verdadeiros cientistas a chegarem a um denominador comum, no que tange à vacina certa para erradicação do Coronavirus.

    Bom final de semana, querido amigo!.

  7. Queridíssima Violante Pimentel (Vivi para Sancho. E eu sanciono)

    Com o PRECURSOR eu não recorro ao dicionário. Daqui mesmo já memorizei o significado do substantivo masculino de dois gêneros.

    Dr. Ramos já nasceu com a alma evoluída, daí caber nele todos os predicados sacerdotísio da medicina. Por isso é que Nova-Cruz (RN) é uma cidade abençoada.

    “ESTÃO MORRENDO MUITO MELHORADAS.”

    Já é um alento para a humanidade!

    Dr. Ramos foi profético. Anteviu esse coronavírus, criado pelos chineses para enfraquecer o mundo e deixá-lo em pânico.

    Ótimo final de semana para a nobre colunista e família.

  8. Obrigada pela gentileza do comentário, querido cronista Cícero Tavares!

    O Médico pernambucano, Dr. Francisco Ramos, conhecido como Dr. Ramos, foi um benfeitor do povo de Nova-Cruz. Uma alma caridosa, dedicado à Ciência, numa época em que não havia “gaviões” do dinheiro público. Casado com sua alma gêmea, D. Gabi (Gabriela), as portas da sua casa estavam sempre abertas a ricos e pobres, que necessitassem dos seus serviços médicos..

    A Fundação SESP (Serviço Especial de Saúde Pública) foi criada em 1942, a partir de acordo entre os governos brasileiro e norte-americano, e tinha como funções básicas o saneamento de regiões produtoras de matérias-primas, como a borracha da
    região amazônica e o minério de ferro e mica do Vale do Rio Doce.

    O SESP se expandiu nas regiões rurais brasileiras, onde construiu redes de unidades
    de saúde locais, focalizando tanto a medicina preventiva como a curativa,
    tendo como eixo principal, a educação sanitária nos mais variados espaços,
    dentre eles nas escolas primárias.

    Nesse tempo, a maldade ainda não tinha nascido.

    Um excelente domingo, para você e sua família, querido amigo!

    Grande abraço!

Deixe uma resposta