Teste

O NÍVEL ESPIRITUAL DO EDITOR

Comentário sobre a postagem RECOMENDAÇÃO

Rômulo Simões:

Berto,

Interessante essa gente da ex-querda:

Eles têm a absoluta certeza que descobriram A Verdade.

E dessa maneira, como nas religiões – de fato, estão mais para uma seita xiita – em nome dessa Verdade, eles podem tudo, como bem provado, historicamente, em inúmeros exemplos, mundo afora. Podem matar, roubar, mentir, fraudar….

Acham que podem dar lição de moral nos outros, que podem queimar livros e dizer o que os outros devem ler. Principalmente o lixo fraudulento que eles escrevem.

Aliás, Berto, uma coisa sempre me intrigou, na questão do dito “debate democrático”.

Sempre admirei a maneira democrática como você conduz o JBF.

Essa sim, verdadeiramente, democrática !!!!!!

Nunca lhe vi censurar alguém ou negar o direito de postagem, até mesmo….. para quem frauda a democracia.

Então me explique, por favor, se faz sentido:

Se um debate democrático, é para pessoas democratas, que prezam e respeitam a democracia, como é possível um debate com alguém que defende os regimes mais tiranos e ditatoriais da atualidade, que fraudam a democracia, para se permanecer no poder?

Faz sentido?

Qual a razão para ler o lixo mentiroso e fraudulento que essa gente calhorda escreve e que ainda vem querendo dar lição de moral nos outros?

Só faz sentido mesmo se for para se divertir, para tirar sarro, como você faz tão bem.

Mas você já está em um nível espiritual mais elevado, caro Berto.

Eu, infelizmente, não consigo.

Dá vontade de vomitar !

3 pensou em “O NÍVEL ESPIRITUAL DO EDITOR

  1. Prezado Rômulo,

    Este é o paradoxo das sociedades liberais que tenho apontado tantas vezes:

    Se quisermos preservar nossa liberdade de opinião, e de expressá-las, teremos de ser absolutamente intransigentes com todos aqueles que queiram implantar alguma forma de cerceamento desta mesma liberdade.

    Infelizmente, O MAU SÓ É VENCIDO POR UM MAU MAIOR!

    Veja minha próxima coluna a respeito deste ponto.

    • Muito obrigado, Prof. Adônis.
      Sou seu fã, e tenho muitos textos seus guardados.
      Me identifico muito com você, com seu texto, em dois pontos principais:
      1) sua indignação, em tom sempre muito forte, estridente; e
      2) sua fala frequente de sair do Brasil.
      No primeiro, já comecei a agir um pouco, exercitando a escrita – com o grande incentivo do Berto!! – colocando para fora um pouco dessa indignação e da raiva presas. Tem sido muito bom.
      Já no segundo, apesar de também falar com frequência em ir embora – minha família já nem acredita mais em mim – no fundo, me falta a coragem.
      Sou filho de português e meu irmão mais novo já está com a cidadania portuguesa e com planos bastante concretos de sair do Brasil, como se diz aqui em Belém do Pará, “de mala e cuia”.
      Vamos ver o que o destino nos reserva.
      Um forte abraço e quem sabe, possamos algum dia nos encontrar.
      Quem sabe, no próximo aniversário do Berto – que está preparando uma festa de arromba – juntamente com toda essa gente boa da comunidade fubânica.

      • Prezado Rômulo,

        Eu estava com passagem comprada para Lisboa no dia 21 de março. No dia 18, fecharam as fronteiras.

        Desde esta data, eu continuo em compasso de espera. Estou que não aguento mais isso aqui. É imbecilidade demais para o meu saco que, inclusive, já estourou de tão cheio.

        Realmente, Portugal é o país dos meus sonhos. Espero terminar meus dias lá e, se Deus quiser, nos encontraremos por lá.

        Sua predileção por este mesmo destino demonstra o seu bom gosto e discernimento.

        Grande abraço.

Deixe uma resposta