DEU NO JORNAL

Ministros do Supremo Tribunal Federal não se sujeitam a resoluções do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), como a de nº 305, que proíbe magistrados de se manifestarem a favor ou contra políticos, e ordena que evitem emitir opiniões que busquem “superexposição”.

A resolução cita redes sociais.

A regra não vale para ministros como Celso de Mello e Alexandre de Moraes, que se revezam criticando o governo.

Procurado, o CNJ esclarece que o STF não se subordina às suas decisões.

Somente o Senado tem competência de processar e julgar ministros do STF.

Ou de aprovar lei que os subordine às resoluções do CNJ.

* * *

Quem quiser esperar que o Senado processe e julgue os supremos togados, ou que crie leis que os subordine às resoluções do CNJ, que espere deitado.

O Senado é aquela casa presidida por Alcolumbre, vizinha à casa presidida por Maia, compostas por gente que vocês conhecem muito bem.

Tão lembrados?

As aves agourentas vão continuar com seu poder absoluto, ditatorial, sem freios, ilimitado, pairando sobre tudo e sobre todos.

1 pensou em “O CÉU É O LIMITE

Deixe uma resposta