CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Prezado Editor,

ontem o Cabaré do Berto recebeu o poeta tabirense Francisco de Assis Guedes de Melo, carinhosamente chamado de Có, que recentemente lançou NOS CAMINHOS DO SERTÃO, um livro com poesias que retratam a vida do sertanejo.

Hoje, conversando com ele pelo zap, com o Poeta palmarense Pica-Pau, falei do meu sonho de fazer algo pela APPTA – Associação de Poetas e Prosadores de Tabira e disse: “quero que Tabira guarde muito mais do que meus ossos”.

O poeta me dedicou estas glosas:

Eu sou filho dedicado
Das raízes sou fiel
Antes que vá pro céu
Quero deixar meu legado
Estou mais que empenhado
Fazendo tudo que posso
Também faço o que não posso
Chega o meu corpo arde
Quero que Tabira guarde
Muito mais do que meus ossos

Sinto o cheiro da terra
Do meu querido sertão
trago no meu coração
meu lugar meu pé de serra
a minha voz sempre emperra
capaz de me dar um troço
mas nas lembranças eu posso
e regressar nunca é tarde
quero que Tabira guarde
Muito mais do que meus ossos

Agradeço ao Poeta Pica-Pau e anexo uma imagem do livro do meu querido amigo Có. Que ele faça sucesso Nos Caminhos do Sertão.

Obrigado, ilustre Papa.

3 pensou em “MAURÍCIO ASSUERO – RECIFE-PE

  1. Mil perdões, Mauricio.
    Perdi a bebedeira de ontem, pois na hora me caiu no colo uma visita de filha, que veio se socorrer da mãe, como sempre acontece com mulheres nessa situação, por uma roupa que atendesse uma situação que ela vai viver por alguns dias, enfrentando frio, em viagem que começa hoje.
    Exemplo concreto do comportamento de filhos.
    Só lembrar das necessidades em cima da hora.

Deixe uma resposta