CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

A vitória de Biden e o pouso na Lua

Quando a jornalista da Globonews deu um pulo de alegria quando saiu o resultado da Pensilvânia. A sua alegria ao falar “ficou azul Viramos” me lembrou de Ivor Catt.

O engenheiro aeroespacial Ivor Catt trabalhou para a NASA no projeto Apolo por 10 anos. Ele e a mulher estavam em casa assistindo a chegada da Apolo 9 na Lua. No momento que Neil Armstrong pisou na lua o Ivor falou para a sua mulher:

– ESTAMOS DESEMPREGADOS.

Realmente semanas depois não só ele como dezenas de milhares de engenheiros, técnicos foram demitidos porque o principal motivo do trabalho era levar o homem à Lua.

Milhares de empresas fecharam e os seus empregados foram despedidos. Isto tudo o Ivor contou no seu livro: “O PRINCIPIO DE CATT – COMO SE AGARRAR NO EMPREGO ENQUANTO OS OUTROS VÃO SOBRANDO”.

O mesmo vai acontecer com os jornalistas e blogueiros que durante 4 anos só falaram mal do Trump, agora com a vitória do Biden todos vão perder o seu emprego.

Quero ver as Grandes Midas manter as suas cobras criadas que destilavam veneno em cima de tudo o que Trump fazia ou falava.

De quem irão falar mal agora? Se não tem mais inimigos então os jornais e TV irão dispensar as equipes que foram montadas só para criticar o governo.

Como o novo governo irá manter a maioria das políticas do Trump, pois não dá para mudar a economia de um país com um PIB de 19 trilhões de dólares de um dia para outro. Mantido as mesmas políticas a mídia não poderá falar o que falavam do Trump e principalmente serem contras. Sendo assim os jornais e TVs vão ter que contratar outros jornalistas, analistas políticos, economistas e colunista mais alinhados e menos críticos.

Não adianta você colocar uma fantasia de pombo da paz num cobra que ela continua picando, ou troca todo mundo ou quebra sendo contra o governo que ajudou a eleger.

A vitória do Biden foi o pouso na lua para a imprensa, os políticos vão dizer chegamos aqui agora não vamos mais precisar de vocês. Esta vitória vai secar também os rios de dinheiro que jorravam nos blog da zisquerdas, eles também irão acabar.

Sugiro que todos os jornalistas e blogueiros leiam o livro do Ivor Catt para se preparem para a próxima eleição, porque nesta eleição vocês conseguiram chegar à Lua. Aproveitem a vista.

9 pensou em “MAURI – SÃO PAULO-SP

  1. Me enche de alegria ler um texto vindo de um fubânico que consegue ser comparado em maestrria a qualquer texto de qualquer GRANDE jornalista da ex-grande mídia.
    Preparei-me para gastar palavras para elogiar, com textão, o lúcido, mais-do-que-perfeito texto de Mauri (uma pena que não tenha sido acompanhado do sobrenome).
    E para que textão, Sancho, se Mauri foi perfeito?
    Resta a você, caríssimo Sancho, fazer doer suas mãos aplaudindo a perfeição do que escrito acima está.
    Clap, clap, clap, clap (e bota clap nisso)…

    • Não concordo. Depois da chegada do homem à lua, a NASA continuou com o programa espacial.
      O políticos podem não precisar mais da mídia (há o twitter, o instagram e o facebook), mas a mídia ainda alcança muitos milhões de brasileiros e vai ser sempre necessária.

      Você diria que o JBF pode ser substituido por uma conta no twitter?.

      Quanto aos EUA, o Trump é uma versão mal educada do Biden, mas ambos rezam pela cartilha “America’s first”.

      E eu gostaria de saber o real motivo da demissão do IVOR. Com certeza não foi a chegada do homem à lua. Depois disso, muitas missões espaciais foram efetuadas. Algo deve ter acontecido.

      Mas e se tiver sido, vamos raciocinar: o “cinturão da ferrugem” era sede de inúmeras empresas montadoras de carros, de industrias siderúrgcas, que foram fechadas o que transformou as prósperas cidades em cidades-fantasma.

      Um outro exemplo, a GE fechou a maior de suas fábricas de lâmpadas em Schenectady, e acabou com virtualmente todos os empregos da cidade. Eu estive lá e ví.

      • Francisco, Às vezes eu acho que v. realmente habita outra dimensão, um mundo particular, onde o raciocínio é desnecessário.

        Vou desenhar: Depois da conquista do espaço pelos russos, que colocaram o primeiro homem em órbita, JFK disse que os EUA fariam tudo para chegar primeiro à Lua e isso significava gastar o que fosse necessário.

        Após o pouso e a volta da Apolo 9 ainda houve mais algumas missões na Lua, porém a conquista já estava feita e se gastou muito menos que o que foi feito para chegar à Apolo 9. A Apolo 13 foi quase uma tragédia e depois disso parou.

        Teve também o ônibus espacial por uns 10 anos que depois parou também por falta de grana. Não que os EUA não tivesse, porém não era necessário mais.

        Portanto é realmente crível que depois da Apolo 9 muitos engenheiros tivessem sido demitidos, como conta o Ivor em seu livro.

  2. Quase que a gente se trumpicava. Esse outro é também pra gente ficar com o pé atrás. Bide deriva de bidê aparelho de se mijar . Acrescido do “n”, significa mijado. Assim, tomara que venha a fazer somente o número 1, jamais o número 2 em riba do mundo. Para o bem dos Estados Unidos e felicidade geral do Brasil.

    QUANTO AO BOZO E AO GUARANÁ, QUE, AQUI EM CASA, É CONSUMIDO DE MONTÃO, TENHO QUE REPETIR ESTA DECLARAÇÃO QUE FIZ EM CADEIA NACIONAL:

    Amigos, vejam bem, não foi um ato oficial.

    Foi só a resposta bem-humorada do Capitão a uma jocosa provocação do deputado Aluísio Mendes.

    Qual a pessoa de bem com a vida que já não fez brincadeira análoga com um amigo, um parente, um colega, sem que isso ferisse sua sensibilidade?

    Viver com alegria é bem melhor.

    Mas há um tipo de gente que pensa de modo diverso. Já acorda com raiva e, à proporção que as horas transcorrem, aquele ódio vai amentando, recrudescendo, de um tanto que, ao anoitecer, até pra cagar, tem que ir amarrado.

    E tudo isso por quê?

    Porque não péidam!

    A ACRESCENTAR:

    O Capitão é um brasileiro de riso fácil, de alegria espontânea, que não vive as 24 horas do dia preso à massacrante liturgia do cargo, tenso, angustiado, enrustido, de cu trancado.

    Aliás, vocês já viram o Fula sorrindo? Que nada! Esse daí é mais sério do que um porco mijando!

  3. Você me desculpe, mas todos os atos do presidente em público passam a ser oficiais.
    Já tomei guaraná Jesus em São Luis; não posso tomar mais porque fiquei diabético. Aguardo uma versão Diet, agora que a Coca Cola comprou Jesus (putz, que trocadilho, não?)

    E realmente o Biden não vai ter atuação muito diferente do Trump, será apenas mais educado.
    America’s first

    E o Trump, amigão do Bolsonaro ferrou as exportações de aço do Brasil aumentando as alíquotas. E ninguém piou.E ainda ia exigir muitas concessões no leilão da 5G.
    Não quis a Amazônia, mas fez um acordo para uso da base de Alcântara.

    • Algum problema em uso de base de Alcãntara por um país “amigo”com o qual mantemos longeva relação de parceria?
      O Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) prevê o lançamento de foguetes, espaçonaves e satélites que usam tecnologia norte-americana a partir da base de Alcântara mediante remuneração.

      Segundo o relator das emendas de Plenário, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), “há uma expectativa de que o Brasil seja inserido no mercado de lançamentos de satélites, com previsão de ocupação de 1% dos lançamentos até 2030”.

      Fonte: Agência Câmara de Notícias

    • Francisco, olha eu aqui de novo para desenhar.

      Ato oficial do PR é aquele previsto em Lei, que só passa a sê-lo depois de publicado no Diário Oficial.

      Uma parada do PR para tomar um refrigerante em um boteco de beira de estrada definitivamente não é um ato oficial, é um ato público, mas não oficial. O que diz o PR nestas ocasiões representa sua opinião, que repercute sim, mas não é a palavra oficial do PR.

      Agora, realmente é pertencer a outro mundo achar que a única diferença entre Trump e Biden é que este último é mais educado.

    • Prezado Francisco, a versão diet já existe, que eu saiba, há muito tempo. É a que consumimos aqui em casa, pois sou diabético há anos. Mande ver!

Deixe uma resposta