A PALAVRA DO EDITOR

Hoje, quarta-feira, às sete e meia da noite, haverá mais um furdunço semanal, presidido pelo colunista Maurício Assuero, criador e gerenciador da plataforma onde ocorrem os nossos encontros.

Teremos uma palestra com o fubânico Magnolvado Santos, que nos brindará com um papo diretamente de Palm Coast, lá na Flórida, aquele belo recanto de mundo nos Zistados Zunidos.

Tudo ao vivo e a cores, com nossas belas carinhas brilhando na tela do computador.

Contamos com a presença de todos vocês.

É só clicar aqui e emburacar.

Até daqui a pouco!

E pra alegrar a nossa tarde, um sacolejado bem gostoso na voz do saudoso alagoano Augusto Calheiros (1891-1956).

Uma composição de sua autoria, gravada em 1950, intitulada “Adeus Pilar”

1 pensou em “MAIS UMA MONUMENTAL REUNIÃO DO NOSSO PARLAMENTO

  1. Em que pese ser alagoano de Pilar,(AL), Augusto Calheiros chegou em Garanhuns ainda adolescente e costumava dizer que era alagoano de nascença, mas garanhuense de coração.
    Ao morrer no Rio de Janeiro, atendendo seu pedido foi enterrado no Cemitério São Miguel de Garanhuns. No seu túmulo ao invés de uma cruz está edificado um violão.

    P.S.: – Augusto Calheiros exerceu a profissão de carcereiro em Garanhuns e jamais usou um revólver. Costumava dizer que sua arma era um violão…

Deixe uma resposta