PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

Mãe – doce monossílabo que encerra
Um mundo de carinho e de bondade.
É um sorriso de Deus que desce à Terra,
Espalhando alegria e claridade.

Coração que não mente e que não erra,
Meiga voz que consola e que persuade,
Verde ramo de paz no lar em guerra,
Arco-íris que põe termo à tempestade.

Por mais que sofra, nunca desespera.
Não se cansa, jamais, por mais que lide,
E, em vindo o inverno, esplende em primavera.

E como o seu amor não há nenhum:
Quando por muitos filhos se divide,
Fica inteirinho para cada um.

Manuel Bastos Tigre, Recife-PE (1882-1957)

Deixe uma resposta