LUIZ CARLOS – RIO DE JANEIRO-RJ

Caro Editor Luiz Berto:

Peço a gentileza de publicar no seu Liber Immunus Jornal da Besta Fubana esta vídeo vídeo postado pela Deputada Estadual de Santa Catarina Ana Campagnolo.

Narrando um fato ocorrido numa Escola do seu Estado. Simplesmente esclarecedor e preocupante.

Se fizermos uma predição para adivinharmos que casos como esses possam ocorrer em outras Escolas Estaduais e dos outros 25 Estados do Brasil, é assustador.

Até quando iremos permitir essa insanidade ideologisada dos mentecaptos de má índole manter contato e convívio com nossos filhos e netos?

Obrigado.

8 pensou em “LUIZ CARLOS – RIO DE JANEIRO-RJ

  1. Caro Luiz Carlos, já tivemos várias nulidades no Ministério da Educação nos últimos 20 anos. Só para ficar em alguns exemplos: Haddad, Mercadante, Genro e Cristóvão (foi demitido pelo celular).

    Atualmente os ministros indicados pelo JB (foram 3 até agora) todos foram escrutinados, esmiuçados, caçados (Weintraub teve suas férias importunadas). O próximo também não vai ter vida fácil.

    A doutrinação nas escolas públicas e particulares é um dado estratégico para as esquerdas.

    Ontem, aqui neste espaço o grande J. R. Guzzo, questionou o porque JB não direciona para o ensino básico e fundamental parte do dinheiro (coisa de 120 bi) que vai para a educação superior.

    A resposta é: mais fácil entrar com um cabo e um soldado e fechar o STF e o Congresso atual, do que mexer um milímetro que seja nesta educação que está aí.

    A deputada Campagnolo de SC tem esta meta, porém é perseguida de todas as formas. Já tentaram cassar seu mandato várias vezes.

  2. bom dia a todos.
    existe sim essa doutrinação esquerdopata mentecapta nas escolas, minha filha é prova viva disso porque ela tinha um professor babaca que só enxergava até a ponta do nariz.
    uma das piores merdas que temos é a palavra educação mal usada, e digo mal usada porque na mentalidade da maioria dos pais quem dá educação é a escola, e dá mesmo, esse é o papel da escola, mas é uma educação relacionada ao conhecimento científico em todas as áreas.
    a educação básica quem dá são os pais, é essa educação que prepara o cidadão para o mundo, seja onde estiver, é essa educação que forma o caráter, a índole e o pensamento do cidadão, é isso que o protege das amarguras do mundo, sejam essas amarguras o que for, drogas,bebidas,más companhias,vícios de toda espécie e também da doutrinação de um sistema de governo pífio, onde o lucro é usurpado pelo rei, o troco fica com seus lambe botas e as migalhas para o povo.

  3. Grande Luiz Carlos,
    Campagnolo (Ana Caroline Campagnolo) pertence a um pequeno grupo de parlamentares que Sancho costuma “ganhar seu tempo” ouvindo, pois a maioria é pura perda do mesmo (tempo é dinheiro, dizem meus amigos caminhoneiros. Corre que o frete não espera). Quanto à educação é uma lástima por qualquer instrumento ótico que você tente enxergá-la. Vai um Abraham Weintraub aí!?

    Deixo aqui meu abraço forte a Abraham Bragança de Vasconcellos Weintraub, um caro que admiro e que faria muito pela educação se tivessem deixado o homem trabalhar.

    • Prezado Sancho,
      A professora errou, porquanto associou o fascismo ao Bolsonaro, isto em sala de aula não é correto.

      Mas o fato é que o governo JB não tem dado atenção à Saúde, à Cultura e à Educação, haja vista a quantidade e qualidade de ministros e secretários que passaram por estes cargos.

      Se a professora (do terceirão) fizesse uma análise histórica do fascismo, do comunismo e do nazismo, seus atos e consequência para a história mundial, estaria simplesmente instruindo os alunos para que eles pudessem ter a sua própria acepção da história, ou seja o aluno deve conhecer para poder decidir.

      Isso seria liberdade de expressão. Mas falar só do fascismo e do jeito que ela falou é muito errado. Alguns alunos podem achar que somente existiu o fascismo (nojento, aliás). E a professora podia falar, por exemplo, do massacre que Stalin promoveu na Ucrânia, matando 10 milhões de FOME, E a Revolução Cultural de Mao, os massacres do khmer vermelho, a Venezuela de hoje?

      Se é para instruir, que se abordem todas as tendências, sem sectarismo, com objetividade e veracidade.

      Isto para a garotada não achar que os homens maus só existiram na Itália e no cinema americano

      • Queridíssima,
        Concordo com a maior parte de seu argumentos – a maioria deles -, mas (argumentativo mas), ouso discordar de um ponto. Escreveu você : fato é que o governo JB não tem dado atenção à Saúde, à Cultura e à Educação, haja vista a quantidade e qualidade de ministros e secretários que passaram por estes cargos.
        Dou meu pitaco: 1.Quem não dá importância a algo mantém o primeiro incompetente que coloca em algum lugar. Se mudanças houveram foi exatamente em razão de preocupar-se o presidente para que tudo dê certo.
        2. Ele pode não ter dado a atenção que, você, por exemplo, gostaria que ele tivesse dado, mas (bendito mas), os dados sobre estas três pastas provam que muitas coisas foram feitas. Qualquer pesquisada na grande mídia provará “N” feitos da equipe de JB sobre tais assuntos. Guzzo, Nunes, Fiúza, Constantino, Berto, Puggina, só para citar alguns, sempre escrevem sobre coisas boas que estão sendo feitas.
        3. Governos e governantes perfeitos não são coisas que tenhamos como tradição no Brasil ou que tenhamos encontrado com facilidade nas pessoas que ocupam e ocuparam cargos de relevância na República Banânica desde que nos entendemos por gente.
        4. Vejo em todos os ministérios, gente capacitada, que os ministros de JB lá colocaram, procurando melhorar as condições de vida de nossa gente.
        5. Nomes melhores dos que estão lá certamente devem existir, mas (maldito mas), é o que temos pra hoje, Sandrinha (como diria Alexandre Toledo em Torre de Babel, novela da Globo).
        Beijo no coração, minha linda.

        • “Dou meu pitaco: 1.Quem não dá importância a algo mantém o primeiro incompetente que coloca em algum lugar. Se mudanças houveram foi exatamente em razão de preocupar-se o presidente para que tudo dê certo.”

          Não á bem assim, caro Sancho. Ele troca todos os que não falam a sua lingua, mesmo que tenha publicamente dado “carta branca” ao sujeito.

          Foi assim com o Moro, com o Mandetta.

          E só trocou o Weintraub porque ele fez mais besteiras que a Dilma.

          Por outro lado, os governos aneriores, petistas, não foram exatamente pródigos na escolha de seus ministros.

          Mas eu não me deixo levar por incompetências passadas, prefiro me ater aos competentes que deram certo.

          Por exemplo, a Coréia do Sul, que saiu devastada de uma guerra, priorizou a Educação para soerguer-se e hoje é uma potência tecnológica (sem deixar de lado a Cultura). E o Japão, a Alemanha, até mesmo a China? Todo crescimento foi baseado na educação tecnológica sem descurar da Cultura.

          O Luciano Huck fez uma reportagem sobre o ensino na Coréia do Sul e, como diria Papa Berto, fiquei-se-me babando de inveja.

          Aqui no Brasil ainda estamos na fase “meninos vestem azul e meninas vestem rosa”, sem ter escolas públicas decentes (e importante, com merenda – já que muitos lá têm a única refeição do dia) na maioria das cidades.

          Como bem disse Capistrano de Abreu, a Constituição Brasileira podia só ter 2 artigos:
          Art 1° – Todo Brasileiro se obriga a ter vergonha na cara.
          Art. 2° – Revogam-se as disposições em contrário.

          Hoje eu me atrevo a dizer que o Brasil tem jeito, basta não roubar.

          Abraços

  4. O posicionamento de Artemísia está totalmente desfocado. Problemas na educação sempre existiram e vão existir enquanto ela usada para doutrinar. Fui professor de escola pública e meus alunos, naquela época, não votavam visto que a maioria não tinha 18 anos e não havia voto pra 16 anos. Ainda assim, eu falava de problemas sociais, respeitando e jamais impondo minga convicção pra nenhum deles. Pedi votos aos maiores para o PT e no julgamento atual eu estaria defendendo a democracia. Se eu pedir votos pra Bolsonaro estou defendendo o facismo. Essa professora é uma imbecil porque não sabe o que facismo. Pegue o Dicionário de Política de Noberto Bobbio para aprender.
    Nossa educação é uma merda porque ao invés de ensinar a ler, escrever e calcular, ensina essa porcaria que não é exigido em nenhuma prova.
    Sou professor de universidade federal e tenho muito orgulho de ensinar meus alunos a pensar. Discuti problemas sociais, políticos, morais, etc e ninguém é capaz de dizer que eu obriguei, constrangi, atrelei nota a preferência política.

Deixe uma resposta