CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Nobre Editor Berto.

Veja que vídeo interessante.

É um pouco longo. Por favor, faça uma avaliação sobre a possibilidade de ser publicado no JBF.

Quem já conhece essa extraordinária história. Poderá relembrar, orgulhosamente.

Quem não conhece, como eu não conhecia também. Irá, se encantar e se surpreender com a trajetória desses dois irmãos índios, nordestinos, brasileiros.

Que elevaram o nome do nosso País, através do talento e genialidade que possuíam, para vários lugares do mundo.

Muito obrigado pela sua atenção.

R. Meu caro, você pede para este Editor “avaliar” o vídeo que você mandou.

Eu não avalio nada.

Aqui quem dá as ordens são vocês.

Enviou, a gente publica.

Agora é que vou assistir ao vídeo, junto com os nossos leitores:

7 pensou em “LUIZ CARLOS – RIO DE JANEIRO-RJ

  1. Caro Luiz Carlos, eu também não conhecia os Irmãos Tabajara. Fiquei com vontade de “quero mais”, vou pesquisar no Youtube ver se tem mais vídeos.

    De vez em quando, há pessoas que nascem com um dom; algumas enxergam números que estão na natureza e com eles faz todo o tipo de cálculo. O matemático indiano Hamanujan foi um exemplo retratado num filme maravilhoso, que já assisti várias vezes.

    Alguns sabem desenhar com perfeição, misturar cores de forma magnífica, outros fazem esculturas, trabalham com as palavras em composições literárias.

    Quanto à música, o monge beneditino Guido d’Arezzo lá pelo século X inventou a partitura, também criou os nomes pelos quais as notas são conhecidas atualmente (Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si), criando a escrita musical universal. Mas a música sempre existiu, estava lá na cabeça dos Irmãos Tabajara, assim como outras cabeças privilegiadas. Eles apenas colhem as notas e as colocam para fora para que nós, pobres mortais tenhamos o privilégio de ouvi-las.

    Como é bom frequentar este espaço do JBF. Hoje estou mais feliz.

  2. poxa vida , jbf é cultura tambem , aprendi mais hoje , como o joão francisco vou pesquisar no youtube , obrigado senhor por mais um dia de vida .

  3. Caro João Francisco.
    Fico imensamente gratificado por você ter gostado e nos brindar, com tantas outras informações relevantes e históricas até, de outros gênios e talentos em diversas áreas.

    Que fizeram e tornaram, o nosso
    mundo melhor, mais humano, mais civilizado e repleto de conhecimentos e aprendizados.

    Depois que me deparei com essa pérola de vídeo. Apresentado por esse extraordinário músico.
    Busquei outros e vou continuar buscando. Mas, a maioria que achei, por enquanto, é, feita por pessoas no idioma espanhol ou inglês.

    Triste constatação uma vez mais, né? Não damos o devido valor aos nossos heróis. Nossos ídolos. Nossos verdadeiros representantes brasileiros.

    Forte abraço. Um ótimo dia.

  4. Dileto Francisco Pereira.
    Agradeço à você também por ter reagido com entusiasmo e alegria ao vídeo.

    Despertando no senhor um interesse para pesquisar e obter mais informações à respeito desses irmãos gêmeos tão talentosos e brilhantes.

    A cultura, entre tantas outras coisas, foi desprezada e menosprezada em nosso País, por décadas. Né verdade?

    Resgatemos, então, as coisas boas e significativas nos diversos segmentos, desse nosso Brasil. Tão rico, de tudo. Mas, que o tornaram, nesse hiato de tempo, tão pobre de valores morais, humanos e de conhecimentos.

    Tenha um bom dia e êxito nas pesquisas.

  5. De Luiz para Luiz…

    (…) índios, nordestinos, brasileiros…

    Poetisando o João: Eles apenas colhem as notas e as colocam para fora para que nós, pobres mortais tenhamos o privilégio de ouvi-las.

    E lá vai Luiz Carlos Sancho de Panza aprendendo com o xará Freitas e com João… como é bom aprender, “nénão?”

    Como é bom frequentar este espaço do JBF, que sempre nos torna mais feliz.

    Valeu, Luizão! Valeu, João!!!!

    • Querido Sancho, eu penso que algumas notas musicais que formam as músicas ficam nas mãos de Deus. É lá que Bach, Mozart, Beethoven e os Irmãos índios Tabajara, dentre outros, vão buscá-las e as trazem para n´s.

      Tem outras notas também que ficam nas mãos do Capiroto, para o pessoal do funk e outros muitos sem talento irem buscar, fazer algum sucesso de 15 minutos e depois entregarem a alma ao Tinhoso. Aqui posso dar de exemplo a Anita, Vittar, Xuxa e mais uma penca.

  6. Retribuo de Luiz para Luiz…
    Para você amigo Sancho.
    Lisonjeado, deveras, com suas sempre gentis palavras, para com todos amigos fubânicos.

    Somos, verdadeiramente privilegiados. Primeiro, estarmos irmanados nessa união e convívio salutar, desde o Mestre Berto e com todos os ilustres colunistas. Até os comentaristas, palpiteiros, arenguistas e outros istas e eiros mais. Não tem ingresso que pague isso.
    Segundo, vivermos em um País que só nos enche de orgulho, da sua gente, do seu chão, das suas raízes…
    Mas, lamentável mas… aprendi com o amigo. Tem uma parte que ignora tudo que é maravilhoso e cria forças antagônicas para o infortúnio e
    a depreciação da nossa Nação.

    Graças ao nosso Bom Deus. Temos uma certeza: o mal nunca vence o Bem.

    Uma excelente noite e um bom descanso.

Deixe uma resposta