RODRIGO CONSTANTINO

Participando do Jornal da Manhã na Jovem Pan hoje cedo, teci meus comentários de sempre, fazendo minha análise independente sobre a situação do país. Como todos que me acompanham sabem, adoto postura bem crítica ao governador de São Paulo, João Doria, por ele tentar monopolizar a fala em nome da ciência e a preocupação com as vidas humanas, colocando-se assim como o antípoda do presidente Bolsonaro, que seria um genocida insensível.

O governador não gostou dos meus pontos, e ligou para a rádio pedindo “direito de resposta”. A Jovem Pan, democrática, atendeu ao pedido e Doria aproveitou o espaço não para apresentar fatos e argumentos, mas para me atacar. Ele me chamou de “negacionista” e “terraplanista”, disse que sou um “capacho do Bolsonaro” e que não ligo para as vidas. Por fim, ainda repetiu a ladainha de que eu defendi estupro e pediu minha cabeça no ar, considerando inaceitável a emissora ter alguém de “extrema direita” nos quadros.

Enfim, Doria surtou, deu piti, subiu nas tamancas para um chilique desrespeitoso e até criminoso (essa parte será avaliada na Justiça). Tudo isso porque eu apontei que ele fala muito em nome da ciência, mas não apresenta os dados científicos de que suas medidas salvam vidas de fato, e ainda lembrei que o estado que ele administra tem resultados piores do que a média nacional na pandemia. A verdade dói, especialmente para quem só vive de narrativas.

A repercussão nas redes sociais foi imediata. O jornalista Paulo Polzonoff, da Gazeta do Povo, comentou: “Sou democrata, mas peço a cabeça de comentarista ao vivo”. Já o apresentador Lacombe escreveu: “CHILIQUITO – substantivo masculino – mistura de chilique com faniquito. Inacreditável, governador, inacreditável…”

Talvez Doria tenha dormido com a calça apertada, talvez esteja arrasado com a derrota humilhante do companheiro Rodrigo Maia. Mas não vou perdoar o que ele disse. A acusação de defender estupro é grave demais e quem a fez já está na Justiça. Ele será mais um. Piti tem limite!

Sobre o surto em si, demonstra apenas aquilo que já sabemos: todo esquerdista é um autoritário disfarçado, que fala em nome da ciência, mas rejeita fatos, que fala em nome das vidas, mas só pensa em poder, que prega a tolerância, mas articula para a demissão de jornalistas que incomodam com suas análises independentes.

A máscara que Doria usa até no banheiro quando há câmeras da TV ligadas já caiu faz tempo, e não só nas lojas de Miami. Caiu perante toda a população, que não aguenta mais esse show, esse espetáculo de hipocrisia, essa gestão autoritária, arrogante e ineficaz, protegida pelo manto da narrativa de um farsante, que se coloca como o homem da ciência e um humanista maravilhoso, enquanto só faz cálculo eleitoral de olho em 2022. E nem percebe que sua estratégia é patética, que não tem chance. Seu destino será o mesmo do Botafogo, e ao se dar conta disso, o governador perdeu a linha de vez. Melhor para o Brasil.

* * *

19 pensou em “LIBERALISMO DORIANA: O SURTO DE AUTORITARISMO DE UM FARSANTE

  1. Assisti o vídeo do ataque de pelancas que o patético, mas pernicioso, doriana teve diante do respeitável Rodrigo Constantino, no programa Pingos nos Is!
    Seu discurso descontrolado e sem nexo foi tragicômico!
    E como falou Marcello, acima, deu muito nojo ouvi-lo!
    Céus!!! como SP convive com esse doido “governando” o Estado??

  2. Dória surtou. Aquele governador “prudente e sofisticado” saiu do armário e pediu ao vivo a cabeça do jornalista.

    Faltou pouco para ele dizer que, como foi o Estado de SP quem bancou as reformas dos estúdios da Pan, criando a Pan Flix; ele exigia a demissão imediata do Constantino. É um democrata ao estilo esquerdista:

    “Aos amigos tudo, aos inimigos a Lei”

    Basicamente é o que o Goiano disse sobre o jornalista paraplégico Oswaldo Eustáquio, preso injustamente sem sequer ser réu no inquérito “dos atos antidemocráticos” do STF, conduzido por Alexandre de Moraes, que não por acaso é íntimo do Dória, tão “democrata” quanto.

  3. João Francisco,

    Veja a cronologia do caso Oswaldo Eustáquio, que, pulando etapas, foi mais ou menos o seguinte:

    Ao que tudo indica, ele foi o responsável pelo desenrolar de seus problemas após a prisão temporária em junho de 2020, prorrogada por mais cinco dias a pedido do Ministério Público Federal.

    Alvo de investigações a respeito de uma série de barbaridades contra o STF e o Estado de Direito,
    o ministro Alexandre de Moraes acatou o pedido e considerou que a prorrogação era “imprescindível” para que a PF investigue o material apreendido e elucide infrações penais atribuídas à associação criminosa, além de “impedir a articulação com outros integrantes da associação, que obstruam ou prejudiquem a investigação”.

    A prisão de Oswaldo Eustáquio foi feita no âmbito do inquérito que apura organização e financiamento de atos antidemocráticos. O inquérito foi aberto a pedido da PGR.

    Logo depois, em julho, ele foi solto, com restrições.

    Ele não podia fazer várias coisas e fez, desrespeitando as ordens judiciais.

    Por isso voltou a ser preso.

    Por infelicidade, foi acidentado dentro da prisão.

    Se fosses tu o juiz e tivesses preso temporariamente um lulista e acatasses o pedido de soltura, impondo restrições, como o de não deixar a cidade sem autorização judic ial, e o safado do canalha do lulista desrespeitasse a sordeem, o que farias?

    Deixarias que a autoridade judicial fosse para a cucuia e que o cachorro do lulista fosse para a frente do STF te dando banana?

    É muito engraçada a defesa que fazes: uma hora achas que a justiça no Brasil é frouxa, mas se é aplicada a um Bolsonarista o juiz está errado.

    Assim, vemos que a politização fecha os olhos ao mais sábio dos sábios.

    • Goiano, Vamos deixar claro: Oswaldo foi inicialmente preso sem acusação formal de crime que ele tenha cometido. Ele investigava ligações das mulheres do A. de moraes, do Tóffoli e do G. Mendes com grandes escritórios de advocacia que representavam no STF. Foi isso que irritou os ministros citados, nada mais.

      “Alvo de investigações a respeito de uma série de barbaridades contra o STF e o Estado de Direito,”

      Qual foi exatamente o crime que Oswaldo cometeu, quando, em qual artigo do CPP que ele foi enquadrado? Se fosse assim, Dória também teria prendido Constantino, pois o acusou de apologia ao estupro. Não ordenou a prisão, porém pediu sua demissão ao vivo.

      Oswaldo nem é réu e está preso. V. justifica as prisões posteriores à primeira com detalhes do que ele fez, porém a inicial, a qual foi arbitrária, não.

      • João Francisco, insistes em que a primeira prisão preventiva de Oswaldo Eustáquio foi ilegal, mas é um ponto de vista teu.
        Sim, pode ter sido, pois os juízes não são infalíveis, mas isso não parece ter acontecido, salvo se o inquérito fosse irregular, o que o pleno do STF botou uma pá de cal sobre com 10 votos a 1.
        Oswaldo Eustáquio, investigado em inquérito que apura o financiamento e a organização de atos que pedem o fechamento do Supremo e a implementação de atos ditatoriais no país, foi preso em 26 de junho de 2020 por suspeita de que iria fugir do país. O ministro Alexandre de Moraes autorizou a soltura dele no dia 5 de julho, sob a condição de que o jornalista não deixasse o Distrito Federal, não usasse redes sociais nem se aproximasse da Praça dos Três Poderes e das residências de ministros do STF.
        Se ele tivesse cumprido as restrições, não teria havido os desdobramentos posteriores, ele estaria respondendo em liberdade.
        Então, é como eu dizia e rebates: ele foi preso preventivamente por alguns dias porque suspeitou-se, com base em certos fatos (ele foi para a proximidade da fronteira do Brasil com outro país), sendo que ele era alvo da investigação;não consta que a preventiva tenha sido ilegal; a partir daí vêm os fatos que ele mesmo provocou.
        Entendo tua resistência em aceitar que o inquérito do STF é legal, parece que houve mesmo um certo esforço interpretativo para que o Tófolli iniciasse o procedimento, mas por enquanto a decisão prevalece com a decisão do Pleno e não consta que será derrubada.
        Se o inquérito é legal, e formalmente o é, a prisão preventiva baseada em fundada suspeita de evasão de envolvidos no processo, em princípio, salvo prova em contrário, que no caso não foi apresentada, ou não foi considerada como suficiente, não é ilegal a prisão inicial a que te referes.
        Lembrando que assim se deu com a Giromini, digo, a Sara Winters, que ainda deve estar sendo monitorada por tornozeleira eletrônica.

        • Goiano, mais uma vez você falou, falou e não respondeu: Qual o crime que ele é acusado? Qual o artigo do CPP? Ele é réu?

          A PF encontrou provas do crime que ele cometeu?

          Basta responder de forma simples a estas perguntas simples.

          Ou então responder: não sei.

          • João Francisco, para compreender com certa profundidade o direito não basta girar em torno de ideias pretensamente lógicas e apegar-se a generalidades, é preciso ir às leis e ser capaz de compreendê-las, isolada e em sistema, além de dispor de elementos básicos dessa ciência humana, como a teoria geral do direito e a filosofia do direito.

            Preciso desse nariz de cera para explicar que para a prisão preventiva não é necessário haver indiciamento, ser réu na conformidade do Código de Processo Penal, nem haver provas, pois o que a prisão preventiva busca dentre outras coisas preservar o ambiente focado na investigação e também evitar a fuga do investigado.

            1) Para a prisão preventiva os requisitos são os “sinais do cometimento do crime” (“fumus commissi delicti”) e o “perigo da liberdade” do investigado, para que ele não interfira na investigação e para que ele não possa fugir, desaparecer, cair no mato. E, finalmente, o cabimento, isto é, que a prisão se enquadre nas hipóteses previstas no art. 313 do Código Penal.

            2) Assim, não se trata de acusação, mas de “sinais de cometimento de crime”, a chamada “fumaça” do cometimento.

            3) Desse modo, não se trata de ser réu, pois a investigação é que determinará se o investigado será réu ou não.

            4) A inquérito inclui o procedimento policial mas não se esgota nele e no caso concreto de que falas consta que o processo se encontra em poder do Ministério Público Federal para sua manifestação.

            5) Direito não é coisa simples, não dá para responder simploriamente, como me pedes que o faça. Também as afirmações não podem ser simples, precisam decorrer de fundamentação precisa e adequada.

            6) A única coisa que posso responder, como exiges, “não sei” é que, não estando envolvido no processo, e não o tendo em mão, não posso garantir a sua regularidade, apenas acreditar nela, uma vez que, em princípio, a justiça é reta.

            7) Enfim, João Francisco, queres que a coisa seja como achas que deve ser, pensas que sabes, mas não sabes, embora tenhas certeza.

            8) Espero que tenhas a paciência que Berto diz que tens e que ele gostaria de ter a metade, para continuarmos a tentar compreender essas coisas que temos comentado.

            • Não, Goiano, eu não exigi o “não sei”, apenas dei como opção, visto que estás a enrolar muito.

              V. sabe o porque o Jornalista foi preso (infringiu restrições), porém não sabe o porque as restrições foram dadas.

              Sua premissa: se 10 entre 11 Ministros do STF aceitaram como correto o inquérito dos atos anti-democráticos é porque o inquérito é correto. Se o inquérito é correto, qualquer ação do condutor do inquérito (A. Moraes), está correta. Portanto as restrições à liberdade do investigado, que não é réu, estão corretas.

              Belo raciocínio, ou seria raciossímio?.

  4. Esse pulha, sempre demonstrou sua arrogância e sua intolerância. Parece que os paulistanos gostam disso, gostam dele ser assim, estou falando dos que o elegeram. Ou então, teve fraude nas duas eleições que ele ganhou.

    Para a prefeitura, se elegeu dizendo que iria até o fim do mandato. Abandonou com dois anos e aí o povo deve ter gostado dele não ter palavra e o elegeu para governador.

    Não é difícil imaginar a trajetória desse grande empresário e um gestor por excelência, da coisa pública.
    Quantas pessoas esse canalha não deve ter pisado, moído, ludibriado, descartado, passado para trás. Para ser esse respeitado e impoluto (que palavra incrível essa, é um elogio que parece um palavrão) homem de negócios e administrador exemplar.

    O pai era conhecido como “joão dólar”. E como o pai, deve ter se certificado para que aquela velha máxima: “no lugar certo, na hora certa e com a pessoa certa” nunca falhasse. Cercando-se ainda de pares iguais, ampliando
    a “caterva” dos amigos do rei.

    Escroques como esse é que vem comandando a política, a economia, a gestão pública, os destinos da Nação e as vidas dos cidadãos brasileiros, há mais de três décadas.
    O saco estourou, a paciência esgotou, a população acordou.
    Basta! Chega! Ninguém aguenta mais!

    A proporção econômicofinanceira, danosa e perversa é muito parecida com o resto do mundo. 20% das pessoas detém 80% das riquezas, enquanto os outros 80% da população tem que dividir e se contentar com os 20% das migalhas restantes, daquilo que produziram com suor, esforço e trabalho.

  5. Ainda sobre o Oswaldo Eustáquio:

    Certamente, os bolsonaristas odeiam o The Intercept, seja porque o jornal escancarou umas coisas da intocável Lava Jato, seja porque essas coisas podem favorecer Lula, seja porque tem viado na jogada e bolsonarista precisa ser homofóbico, seja porque um monte de coisas, mas o jornal fez um bom apanhado e quem quiser ler não vai virar comunista dpor causo disso…

    https://theintercept.com/2020/07/20/fake-news-oswaldo-eustaquio-damares-sandra-terena-infosolo/

    e

    https://theintercept.com/2020/05/31/sarah-winter-300-brasil/

    • Goiano, Lula tá politicamente morto. Põe ele prá concorrer com o Bolsonaro. Quero ver os babacas como vc calarem de vez a boca, após uma lavada histórica nas urnas. Vcs acham que temos medo do ladrão concorrendo? Quantas vezes o marginal já perdeu ? Tem q parar com isto, de achar que ninguém quer Lula concorrendo. Eu não quero porque ele é ladrão, foi condenado e tem que ir prá cadeia. Se este bosta ainda valesse alguma coisa, as últimas eleições teriam mostrado. É FATO.

      • Carlos, muitos milhões desejam Lula concorrendo, são os milhões que votarão nele caso ele concorra, milhões que não significam que ele vencerá ou venceria outros candidatos, inclusive, se viesse a ser o caso, Jair Messias Bolsonaro ser o oponente.
        Urna é igual bunda de neném novo, já saiu bosta e pode sair de novo.
        Tens o direito de achar que Lula é ladrão, ele ainda está condenado, embora haja recursos pendentes – sabes disso.
        Para ele ir para a cadeia, como desejas, ainda será preciso que ocorra o trânsito em julgado.
        Só poderemos saber se ele será preso, se não será, se concorrerá, se não concorrerá, se perde, se ganha, se a cigana nos disser.

  6. O idiota governador doria, só sabe dizer que defende a vida! Será que ele está comprando cestas básicas (com o próprio dinheiro) para distribuir aos paulistanos que estão proibidos de fazer os seus “bicos” para comprar comida (fique em casa, a economia depois a gente vê”)? Olha seu idiota governador doria, estamos guardando todos os artigos, filmes e entrevistas em que você fala idiotices e/ou aquelas que você c*g* para os paulistanos. Você pode esclarecer o que você fez enquanto ocupou a cadeira de prefeito de São Paulo? E o que você fez enquanto está ocupndo a cadeira de governador? E quem está pagando pelos outdoors com o teu nome nos outros estados? Vá para a PQP seu idiota! Você foi eleito pelo mesmo motivo e condições que o Bolsonaro! O Bolsonaro foi eleito pelos votos anti-PT e você também. Só que ele está deixando os ministros trabalharem e você?

  7. É o problema das calças apertadas: esmagam os ovos e fazem que o esperma suba prá cabeça, fazendo aquela meleca geral, somente pensando em como fuder o povo.

Deixe uma resposta