CÍCERO TAVARES - CRÔNICA E COMENTÁRIOS

Para o mestre estudioso de filme de faroeste, D.Matt., um apaixonado da Cultura Nordestina

O poeta Leonardo Bastião num recital de poesia em Itapetim-PE, em 2019

No dia 7 de abril de 2020, sob o título de MINHA HERANÇA DE MATUTO, o leitor fubânico JACOB FORTES, residente em Brasília, publicou na seção de Correspondência Recebida do Jornal da Besta Fubana um brilhante texto chamando a atenção do mundo para a genialidade da poesia oral desse gigante versejador, LEONARDO BASTIÃO, cujo nome verdadeiro é LEONARDO PEREIRA ALVES, nascido em ITAPETIM-PE. Analfabeto, residindo até hoje na mesma paragem sertaneja, vale do PAJEÚ – PE, mensageiro de uma poesia tão pura e rica quanto à caatinga em que se esconde há mais de setenta anos de vida.

Ao se deparar com o talento versejador do poeta Leonardo Bastião, em criar versos orais como o cantar do sabiá, o chilrear do galo de campina, o arrulhar do colibri, o cantar da asa branca, o pipiar dos pássaros no sertão ao chover, o alegrar das árvores frondejantes, o chacoalhar das águas dos açudes sangrando para os moleques tibungarem na corrente…, o caboclo sente que o maior segredo do universo está na sua simplicidade, proporcionando a todos a beleza em tudo que se ver e no que não se ver.

O documentário Leonardo Bastião, O Poeta Analfabeto, escrito, produzido e dirigido por Jefferson de Sousa, conterrâneo do vate, traduz em imagens reais a genialidade de um poeta nascido com um dom divino capaz de traduzir oralmente o que fazia por escrito o maior poeta da Língua Portuguesa do final do Século XIX e início do Século XX, Fernando Pessoa, quando cantava sua Aldeia para o mundo em poemas geniais eternos como nenhum outro poeta havia feito antes.

Quem assiste aos vídeos de Leonardo Bastião, nas imagens captadas por anônimos, escritores, fãs, poetas, embevecidos com sua versatilidade em fazer poesias orais instantâneas, em quaisquer lugares da caatinga na sua matutice, não imagina que por trás daquele homem simples, tímido, há um poeta genial que, ao abrir a boca e olhar para qualquer espaço da natureza, embeleza o mundo descrevendo-o com a sua poesia oral, tirando de onde não se tem e botando onde não se cabe.

Por sua virtuose em fazer versos de improvisos geniais, por sua simplicidade sertaneja em não querer reconhecer o talento que tem, pelo ostracismo estigmatizado por morar em casebre de taipa no meio da caatinga, esquecido de todos que poderiam ajudá-lo, principalmente do poder público, por tudo que representa para sua terra natal, o poeta Leonardo Bastião, certamente receberá uma digna homenagem, com inauguração de estátua, nome de praça, de escolas públicas, ruas e avenidas; recitais de poesia em sua homenagem, depois de porem-no no paletó de madeira e jogarem-lhe sete palmos de terra na cara, como nos indigentes da magistral crônica “O Caixão da Caridade.”

a) O Relógio da Vida/A Morte/ Filho Bandido

b) A Infância/A Velhice/O Macaco/E a Cachorra

c) Leonardo Bastião Entre Amigos

d) Leonardo Bastião Recitando Verso Fescenino com o Poeta Zé de Cazuza

e) Leonardo Bastão/ A infância Perdida/ E a Seca

f) Leonardo Bastião: As Flores/O Passarinho/O Defensor da Natureza/Falando nos Animais

g) Leonardo Bastião: O Poeta Analfabeto/Documentário Completo/De Jefferson Sousa

17 pensou em “LEONARDO BASTIÃO, O POETA GENIAL DA NAÇÃO NORDESTINA

    • ALTAMIR, MESTRE do faroeste e avô de Antonio Miguel, o Cowboy:

      Fizemos a nossa parte: de levar o nome do poeta genial, Leonardo Bastião, aos quatro cantos do mundo!

      O Jornal da Besta Fubana é o porta voz!

  1. CABRA CRIADO NO MATO
    NÃO SABE O QUE É UM Ú
    A ROUPA FEITA DE SACO
    CHINELO DE COURO CRÚ
    ASSIM É O MEU SERTÃO
    DEU LEONARDO BASTIÃO
    O POETA DO PAJEÚ

    • Grande poeta, Valdeir Morais, obrigado pela postagem.

      Incrível a força da Natureza! É perfeita!

      Por trás de um homem simples desse, analfabeto, existir um poeta genial!

  2. LEONARDO BASTIÃO
    UM POETA ANALFABETO,
    DIPLOMADO EM POESIA
    NA RIMA É COMPLETO
    NA METÁFORA É SUBLIME
    O SEU VERSO IMPRIME
    VERDADE, PUREZA E AFETO.

    ARISTEU BEZERRA

    • Sublimes, poeta Aristeu, o reconhecimento e a homenagem que o colega faz a esse grande vate!

      Pelas imagens do milagre da tecnologia, – ainda bem que elas foram feitas por anônimos que reconheceram a genialidade do poeta Bastião – jamais tomaríamos conhecimento desse mestre da poesia oral de Itapetim-PE!

      • Cícero Tavares,

        Os meus versos retratam toda a grandeza de Leonardo Bastião. Você está de parabéns pelo tributo a um poeta autodidata que faz versos puros, criativos e belos. A inspiração é tão grande na mente de Leonardo Bastião que verso empurra verso dizendo: – sai que eu quero sair.

        Saudações fraternas,

        Aristeu Bezerra

  3. PREZADO TAVARES,

    ONTEM FOI O PRIMEIRO DIA QUE MANTIVE CONTATO UM POUCO AFASTADO COM O COWBOY ANTÔNIO MIGUEL DEPOIS QUE ELE SAIU DA INCUBADEIRA…

    P.S.: – Pelo menos as bochecha estão ficando cheinhas, mas ainda tá com a cara de um fuinha(RIMOU!!!).

    • Tenha paciência meu caro, o bichim ainda tá novim. novim,
      precisando crescer e engordar. Adispôs, vosmecê vai ver
      o caboclo cowboy que vai nascer e vai surpreender o vô
      babão que só pensa em estorias de filmes de duelos e tiros no
      sertão.
      Quem sabe, quando ele crescer não vai , um dia , se Deus quiser
      fazer uma surpresa e representar no cinema, uma nova versão
      do filme SHANE ? Com a recriação do heroi encarnado pelo
      ator Alan Ladd ( 1,5 m de alt.) daqui há uns quinze anos ele já estará no tamanho adequado. Com os escritos e as aulas do vô,
      ele vai tirar de letra o seu futuro de cowboy.
      Pensando no dito acima, pergunto ao mestre Altamir,
      se já não está na hora de uma nova versão do super clássico SHANE ?
      O problema maior seria, tem algum ator com o carisma
      e qualidades suficientes para interpretar tão grande personagem
      no cinema atual ?
      Eu não vejo ninguém. Uma coisa estou certo, somente o
      diretor Tarantino seria capaz de realizar com sucesso e
      bom gosto tal empreitada.
      ( Lá de cima, Ford e S. Leone, estão torcendo para que
      aconteça a nova versão.
      Meus votos de saúde e felicidade ao futuro cowboy Antonio Miguel.

      • Caríssimo D.Matt:

        Não sei se o grande pesquisador e apaixonado por filme de Faroeste, Altamir Pinheiro, concorda connosco, mas compartilho da mesma opinião de que o melhor cineasta que possua a honesta catilogência para realizar um SHANE moderno sem perder a essência do original seja o diretor Quentin Tarantino.

        Um cineasta que já realisou Pulp Fiction, Jackie Brown, Inglourious Basterds, Django Unchained, Once Upon a Time in Hollywood… com este último consolidando a posição de Leonardo DiCaprio como ótimo ator, está habilitado a realizar qualquer clássico, desde que o tema o interesse.

        Não vejo outro cineasta. E o que vejo não tem essa pretensão.

      • D.Matt.:

        Por que o “Oscar” foi tão injusto com SHANE na época! Será que um dia a história será refilmada por Antonio Miguel, tendo como tema central as traquinagens de Lampião e como cenário essas paisagens inóspitas do Sertão?

  4. Caríssimo Amigo Cícero.

    Primeiramente desejo agradecer por ter dedicado tão excelente e cultural
    artigo à minha pessoa.
    O Amigo sabe que sou realmente um grande apreciador da cultura
    nordestina e este artigo publicado hoje é sem dúvida de grande
    utilidade pública, pois leva à centenas, talvez até milhares de leitores
    da JBF, o conhecimento de um poeta de grande talento e muita
    humildade. A sua obra, conforme demonstrado nos videos é de tamanha
    criatividade e beleza que nos deixa surpresos por tal genialidade,
    somente possível com a graça de Deus.

    Obrigado Mestre, pelo belo texto.

  5. d.mattt,

    O filme OS BRUTOS TAMBÉM AMAM( o título de filme mais sem cabimento foi esse), só é filmado de mil em mil anos em razão de ser perfeito em tudo!!!

  6. Cícero, se a sua coluna já ficou boa, com os versos de Bastião entrou na marcha de arrombar.
    Vou espalhar o link pelo oco do mundo.

    Eu nunca imaginei
    Que antes de me deitar
    Ficaria tão contente
    Como quem vive de amar
    Lendo a coluna de “Ciço”
    E assistindo o rebuliço
    De Bastião no rimar.

    • Jesus de Ritinha:

      E como Bastião está vivo, e bem vivo, e fazendo versos de improviso geniais, nossa homenagem a ele foi bem merecida. E a de Aristeu Bezerra. E a VALDEIR MORAIS, e a de D.Matt. e a de Altamir…

      Bastião é um oásis de poesia. Uma fonte de água pura que tem de ser preservada enquanto estiver jorrando esse líquido de poesia doce no Sertão tão seco!

      Desafio-o, como grande poeta que é, além de grande cronista, a fazer um poeta que eternize Bastião pela capacidade improvisatória extraordinária que a Natureza lhe deu para fazer versos genialmente orais, sem nunca ter sentado no banco de escola!

      • Corrigindo: No lugar de “fazer um poeta”, o certo é: “fazer um poema.”

        Bastião merece uma homenagem sua, grande poeta!

Deixe uma resposta