DEU NO JORNAL

A Secretaria de Saúde Publica do Rio Grande do Norte, governado pela petista Maria de Fátima Bezerra, contratou novamente, com a dispensa da licitação, a empresa BRAMED.

A mesma que foi responsável pelo calote de R$ 1,6 milhão em ventiladores pulmonares quebrados.

Desta vez, o valor foi de R$ 621,5 mil para suprir as necessidades da Rede Frito Estadual, para a utilização de imunobiológicos contra a COVID-19.

* * *

Errar é humano.

Permanecer no erro é petralhano.

Aliás, “petralhano” rima com…

Num lembro…

Tô meio leso do juízo.

“Sou 13 mesmo e não nego!!!”

3 pensou em “LADROAGEM VERMÊIA-ISTRELADA

  1. Digam uma coisa… essa não era aquela professora semi-analfabeta que gritava “é gópi” quando despejaram a presidAnta do governo do Brasil? Se for, já mostrou que de Língua Portuguesa não entende nada, mas na arte de “petralhar”, é doutora honoris causa, como seu deus absoluto, o ladrão-mor de garanhuns.

  2. Aliás, “petralhano” rima com…

    Seria rimável “com” aquele simpático senhor da terceira idade, residente na cidade de Pedro e que dá expediente nesta gazeta de tantos seres extraterrestres?

  3. Essa notícia é a esclarecer, porque consta que a empresa que vende4u respiradores danificados ao Rio Grande do Norte era a BAUMER e o Dei no Jornal está falando de uma tal de BRAMED, e são empresas diferentes.
    Será que Sancho Pança, que rima com Jair Messias Bolsonaro, poderia nos informar algo a respeito?
    Aproveito para esclarecer de uma vez por todas que eu não me chamo Golhano.

Deixe uma resposta