CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Vantagens do Etanol sobre os Combustíveis Fósseis

O Etanol ainda é visto no Brasil com desconfiança. Alguns incutem a ideia de que o mesmo é mais caro que a gasolina, é subsidiado e só existe para atender a demandas de “usineiros”, o que é totalmente falso. O nosso programa de combustíveis renováveis é modelo para o mundo inteiro, sendo inclusive copiado pelos EUA, que hoje produzem Etanol de milho em maior quantidade que o BR. Tem etanol de 2 tipos, o Hidratado (92,5% INPM usado direto no motos e o Anidro 99,9% misturado à gasolina). Sobre as vantagens, podemos falar:

Menos nocivo ao meio ambiente

Por ser produzido, principalmente, a partir da cana-de-açúcar ao invés do petróleo, o etanol emite menos gases poluentes na atmosfera. Segundo a Agência Americana de Planejamento Energético (EIA), o etanol produzido através da cana-de-açúcar reduz, em média, 89% a emissão dos gases responsáveis pelo efeito estufa, em comparação à gasolina comum.

Ajuda a manter o motor do carro limpo por mais tempo

A gasolina comum pode deixar resíduos nos bicos injetores do veículo, fato que é mais difícil de ocorrer com o etanol. Além disso, o etanol tem a capacidade de remover resíduos deixados pela gasolina por onde o combustível passa. Por isso, especialistas apontam que o álcool deixa o motor do carro limpo.

É um produto renovável

O petróleo, matéria-prima da gasolina, é um produto fóssil e não-renovável, ou seja, em algum momento ele irá acabar. Com o etanol isso não acontece devido a suas fontes de produção, que só depende da plantação da sua matéria-prima.
Ajuda na cadeia econômica

O Brasil é um dos principais países produtores de cana-de-açúcar. Com isso, o consumo do etanol aumenta a demanda por esses produtos e ajuda a empregar milhões de brasileiros, contribuindo para a economia local.

Aumenta a potência de carros flex

Carros que possuem motor flex tendem a andar melhor quando são abastecidos com álcool. Isso acontece devido a taxa de compressão do motor, que é maior com o combustível vegetal. Esse aumento que explica o maior consumo do etanol em relação à gasolina.

E a adição de Etanol Anidro (27%) à gasolina é nocivo?

Uma das consequências mais importantes da adição do álcool à gasolina é seu impacto ambiental. Primeiramente, o uso do Etanol Anidro na gasolina substitui o antigo componente, Chumbo Tetraetila, que é um químico altamente tóxico e poluente. O álcool, por sua vez, possui um impacto muito menor no meio ambiente.

A porcentagem de 27% influi diretamente no montante final que calcula o preço total da gasolina. Por ser um componente produzido pelas usinas de cana-de-açúcar em alguns momentos, como os de safra, ele barateia o custo final. Mas ao mesmo tempo, quando as usinas se encontram na entressafra, o preço também se reajusta, encarecendo um pouco o valor final.

Eu poderia me alongar mais ainda, mas vou citar que hoje cerca de 10% da energia elétrica produzida no Brasil provém de biomassa, que nada mais é do que o bagaço da cana, um subproduto da produção de etanol. Esta energia é produzida no período da seca dos rios que corresponde à safra da cana, ou seja, preserva os reservatórios. As Usinas de Cana têm créditos de carbono a receber.

32 pensou em “JOÃO FRANCISCO – RIBEIRÃO PRETO-SP

    • O Etanol Hidratado, como colocado acima, tem 92,5% de ETOH e 7,5% H2O e é composto de um único hidrocarboneto, por esta causa o carro com motor a Etanol rende 3% mais que o mesmo motor à gasolina. A Gasolina é composta de vários hidrocarbonetos, cada um queima a uma temperatura diferente, portanto sua eficiência em potência é menor.

      O Motor dos veículos é à gasolina adaptado par o Etanol. O dia que construírem um motor ciclo Otto específico para o Etanol, ele gastará menos que o motor à gasolina.

      Mas porque não construíram este motor ainda? O desenvolvimento é caro, teríamos que ter duas linhas de montagem e o principal; não é do interesse das empresas petrolíferas. O Motor Flex demorou 10 anos entre o seu desenvolvimento e o lançamento no mercado.

  1. Bom dia,
    Moro numa região que, atualmente, tem muitas usinas e realmente trouxeram muitos benefícios e progresso. Ocuparam terras arenosas não muito adequadas para o plantio de soja.
    Já vi gente das usinas dizer algo como multiplicam por oito o combustível que consomem no processo todo.
    É bom mas a longo prazo precisamos mais que isso. E o plantar cana consome outros insumos escassos e importados caso dos fertilizantes que nunca estiveram tão caros e parte deles consomem muita energia (gás e eletricidade) na produção.

    • “É bom mas (doce) a longo prazo precisamos mais do que isso”.

      Corretíssimo. Sempre admirei as plantações de cana na região de Ourinhos como também sempre soube dos custos para se plantar cana.

      Excelente observação a sua.

    • Caro Sérgio, o Etanol já é mais que o que v. colocou.

      Eu não coloquei acima, mas temos o RenovaBio, o único mercado de carbono regulado no Brasil. As usinas são credoras de carbono e, se credenciadas podem negociar Cbios, uma espécie de moeda com valor fixado no mercado.

      Um exemplo: uma Refinaria de Petróleo, que precisa pagar Cbios, por geral carbono precisa pagar ou comprar das usinas, que têm excedentes. Isso também é contabilizado na comparação Etanol x Gasolina. Veja com mais detalhes a matéria abaixo:

      https://www.renovabio.org/meio-ambiente-renovabio-o-unico-mercado-de-carbono-regulado-do-brasil/

      Abraço

  2. João Francisco dos comentários ?

    Muito bom.
    A gasolina hoje está comprometendo o bom funcionamento dos motores.
    Entopem os bicos injetores e o gastos com oficinas ficam absurdamente altos.

    Curiosidade: Entressafra da cana me remete a cidade de Ourinhos onde morou minha filha. As queimadas, depois da colheita, produziam uma fuligem preta que se espalhava por quilômetros. Que desespero ver as ruas, as casas (por dentro e por fora) cobertas com essa fuligem enquanto duravam as queimadas.

    Abraços

    • Cara Schirley, já escrevi cartas ao Berto antes e acho que João Francisco de Ribeirão Preto – SP só tem um. Agradeço o seu comentário, é muito bom trocar informações contigo. Sou um defensor aguerrido do Agro Brasileiro.

      Hoje em dia está proibida a queima de cana e a mesma é colhida 100% mecanicamente no Sul / Sudeste. Queimadas, só se for acidental ou criminosa, pois é prejuízo muito grande às usinas quando elas acontecem (fogem ao controle).

      A única coisa que tem aqui em Rib. Preto na safra da cana é que, devido à secura do ar, aumenta a poeira proveniente da movimentação de caminhões nas lavouras. Mas é bem menos que a antiga fuligem.

      Abraço

      • Discordo e muito. Kkk
        Duvido que na grande Ribeirão Preto só exista um João Francisco.
        Brincadeirinha.

        Adeus fuligem.
        Como nada é perfeito agora a poeira vermelha.

        Imagino as máquina e os caminhões bitrem levantando o pó.
        Tô fora.

        Abraçação

  3. O Brasil é um país atrapalhado, sabe-se muito bem por quem. Os EUA nos copiaram em matéria de biocombustível, em especial o etanol e metanol. Agora, veja se lá tem o etanol anidro e o etanol hidratado. Lógico que não. O hidratado é fonte de sonegação fiscal, adulteração e não é tão bom combustivel quanto o anidro, qu tem poder calorífico superior. Então, porquê tê-lo ? Obrigou aos produtores a aumentarem se custo de produção com armazenamento separado, uso de corantes para diferenciá-los, teste de qualidade diferentes, uso de água em abundância, etc. Para que ? Somente os sonegadores sabem. Amém.

    • caro carlos, não vou dizer que não há sonegação ou mistura com água no etanol em nenhum posto no país.

      O que eu digo é que existe uma agência reguladora, a ANP, que fiscaliza o produto na saída das usinas, nas distribuidoras e nos postos.

      Nos EUA, se misturam Etanol de cana e milho (a maior parte) à gasolina, com certeza é o Anidro (99,9% ETOH).

      A mistura com 92,5% de ETOH é a ideal para a queima nos motores nas condições em que estes trabalham no BR. Não se usa água na produção e sim a destilação é feita com uma coluna a menos. Também não há corante para diferenciar os Etanóis H e A. O cheiro é diferente, bem como dá para diferenciar no contato com a mão.

      O ETOH Anidro só é usado na adição à gasolina, pois se usar o outro, a água (7,5%) pode se separar do combustível e o motor irá falhar.

      Se tiver mais alguma dúvida, pode perguntar.

      Abraço

      • Caro, suas informações não estão corretas. Sou Eng. Mecânico, trabalhei por mais de 20 anos em multinacional petroleiro anglo holandesa que atua no Brasil , atuando nos setores de construção, armazenagem, controle de qualidade e distribuição. Entendi um pouco. Por partes: a ANP tinha até pouco tempo, 51 fiscais para “fiscalizar” uma rede de mais de 4000 postos revendedores, 200 distribuidoras, usinas de álcool, revendas de aviação, revendas de diesel marítimo, 600 transportadores revendedores retalhistas, mais de 10.000 revendas de gás de cozinha, o GLP, etc. Resumindo, não fiscaliza porra nenhuma, não se iluda. E quando não vai direcionada para fiscalizar com propósitos escusos. Por conta da sonegação e adulteração, as distribuidoras solicitaram e a ANP baixou portaria diferenciando, por coloração, os etanóis. Se vc for em qualquer posto, verá que as bombas de hidratado rem um densímetro pelo lado externo por onde passa o hidratado e sua coloração é incolor. Já o anidro, vendido diretamente das usinas às distribuidoras para mistura na gasolina A que, com sua adição, passa a ser denominada gasolina C, tem coloração avermelhada. Não sei de onde tirou a informação
        que o ETOH, que tem água,
        é o ideal para os motores no Brasil. A água não queima e somente tira mais rendimento do motor, por óbvio. Se tiver alguma dúvida, pode perguntar.

        • Carlos, Etanol hidratado se chama assim porque contém água, e o percentual é de 7,5 %, acredite. O etanol anidro 99,9 % ETOH sai das usinas sem corante algum, depois que é misturado à gasolina vai ficar da cor da mesma, que no caso da Shell é vermelha, para diferenciar das outras bandeiras.

          Ah, o etanol hidratado que contém uma mistura homogênea de 92,e ETOH e 7,5% H2O queima normalmente nos motores.

          Abraço

          • Tem que demonstrar tudo…vá ao parágrafo segundo, do artigo 12, da resolução ANP NR. 19, de 15/04/2015, DOU de 16/04/2015, republicado DOU 17/04/2015, republicado DOU de 20/04/2015, onde regula a OBRIGATORIEDADE do fornecedor da adição do corante especificado pela ANP ao anidro fornecido às distribuidoras. Qualquer dúvida, pergunte.

            • Ah! Sim. Quanto a água do hidratado, verifique o sistema de exaustão de qquer carro nacional, onde a oxidação/ferrugem come tudo, do silencioso, catalisador até o final. Dá gasolina é que não é, pois dela, após a queima, sobram gases. Logo, sobra a água do hidratado, cujo nome já diz tudo.

                • carlos, eu trabalho com usinas, faço análise de etanol de mais de 150 usinas antes dos tanques serem lacrados para venda.

                  Nunca vi usina adicionar corante em seu etanol, bem como nunca recebi etanol anidro colorido para análise para a ANP (veja que se as usinas não analisam o etanol, não podem nem vender, segundo a ANP).

                  Logo, se tal coloração é feita, é da distribuição para frente.

                  Não faz sentido colorir o etanol Anidro, que é mais caro que o H

              • Tenho um carro com mais de 10 anos que sempre foi abastecido a etanol, não há corrosão alguma no sistema de escape. O que ocorre de sair água do escape é quando está muito frio de manhã , a água fica na tubulação de escape, que pode sim oxidar se o carro ficar parado muito tempo sem uso. Como eu uso sempre, não tem problema. A água que sai é limpa, mas se fica parada, pode enferrujar metais.

                  • Eu pensei que falava com um colega engenheiro mecânico. Bem, existem profissionais e profissionais.

                    A água que sai pelo escape é quando está frio ou quando condensa de muito tempo parado quando o carro é abstecido por ETOH H

                    • Mermão, Eng. Mecânico, mestrado em Eng. Ambiental, MBA em Gerenciamento de Sistemas Logísticos, quando o assunto decamba para inverdades, tendo a ser irônico e sarcástico. Mais de 20 anos de engenharia e operacões na Shell Brasil, maior empresa mundial do setor petrolífero, hoje sócia da Cosan como maior produtora mundial de álcool, consultor do sindicato nacional das distribuidoras de petróleo e alcool, inclusive junto á ANP, penso que me qualificam à alguma coisa. E, desculpe-me, mais vc caga muita goma sem embasamento e qualiicação alguma. Fazer teste de qualidade em álcool, qualquer frentista treinado em posto de de gasolina, faz. Basta um termômetro e um densímentro específico. Sugiro que, da próxima vez, vá se ilustrar um pouco mais. Beijocas e me queira bem. Ah, sim, não sou seu colega, não !

  4. Coloquei no Google “poder calorífico da gasolina”. Apareceu isso:

    O poder calorífico da gasolina A é 45978 kJ/kg; do álcool combustível é 27169 kJ/kg e do diesel 43888 Kj/Kg

    27169 é menor do que 45978.

    Quanto ao preço, a Petrobrás informa que paga 3,85 o litro do etanol, enquanto o preço da gasolina pura no mercado internacional é 3,21.

    3,21 é menor do que 3,85.

    Como dizem os jornalistas, “é ciência!”

    • O valor do poder calorífico de 45978 kJ/kg levou em consideração as diferentes temperaturas dos vários hidrocarbonetos que fazem parte da mesma? Este poder calorífico não representa que esta energia queimará ao mesmo tempo.

  5. Se me permite uma curiosidade, o seu primeiro ítem fala em “gases de efeito estufa”. Vc acredita em efeito estufa e aquecimento global?

    • Eu falei que existe a Cbio, uma moeda de compensação que gera crédito para quem sequestra carbono no ambiente (Etanol) contra quem gera carbono (derivados de petróleo). Isso é real. Se acredito ou não em aquecimento global é outra questão e não vem ao caso.

  6. Não sei se acompanho o Marcelo ou o João, a única coisa que sei sobre o assunto é que estamos pagando caro “pra dedéu”, tanto a gasolina como o nosso nacionalíssimo etanol de Ribeirão Preto.

    • Caro Paulo, eu não vejo esta área de debates como uma disputa entre times de futebol, onde v. tem que assumir um lado. Espero apenas passar informações para instruir e aprender recebendo retorno. Quanto ao valor do combustíveis, o mesmo já esteve mais caro que agora. Aqui em Rib. Preto, o Etanol está por R$ 4,50 e a gasolina por 6,3 reais em média.

      As ruas e estradas estão cheias de carros, então acho que o pessoal pode até reclamar, mas está andando muito de carro.

      Abraço

  7. Existe uma informação que ao auge da produção de petróleo se deu em 2018. Com a Petrobras buscando a 7000 m de profundidade (fato comemorado) e os EUA lavando rochas e areia para pegar uma rapinha o que se pode esperar dos preços?

Deixe uma resposta