DEU NO JORNAL

A polêmica do voto impresso causou constrangimento em um almoço recente do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, no restaurante Sushi Leblon, no Rio.

O relato foi feito própria filha do ministro, a advogada Luna Barroso, por meio de uma mensagem de WhatsApp.

Ela estava com o pai na ocasião.

* * *

Lamentável. Lamentável.

Eu fiquei triste com este episódio.

Muito triste mesmo.

Lamentei demais não estar no restaurante naquele momento.

Eu iria fazer uma esculhambação e gritar bem mais alto que esta senhora!!!

Que pena que eu não estava lá.

Tomara que Boca de Veludo invente de aparecer  num restaurante aqui do Recife.

Vou estofar os peitos e berrar que só a peste!

Está próximo o dia em que esses urubus togados não vão poder aparecer em lugar algum sem serem hostilizados pelos contribuintes, pelos cidadãos de bem e por todas as pessoas honradas deste país.

5 pensou em “GRITARIA NOS OUVIDOS DO BOCA DE VELUDO

  1. E olhe que o Sushi Leblon é reduto de esquerdistas caviar.

    Barroso se acha “o” iluminado. Foi João de Deus (aquele) que o disse. Ele acreditou.

  2. Ao ler essa mensagem de WhatsApp, tive saudades das aulas de português. Brasil, com “b”? “nocao”? “tava”? UUUUAAAUUU! Advogada? Não pode ser verdade.

    • Caro karl, a primeira frase já diz tudo “Gente cara”

      É gente que tem um custo alto?

      É uma forma diferente de falar “Cara gente”, mas aí o Cara não faz sentido.

      São duas interjeições de espanto do tipo “Cara! Gente!” ?

      De qualquer forma, ela deve ter sido alfabetizada pelo método P. Freire. Aí é justificável o nível do português do seu zap.

Deixe uma resposta