CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

A FALTA DE JESUS DE RITINHA DE MIÚDO NO CABARÉ DO BERTO

Ontem, 28 de janeiro de 2021, quinta-feira, mais um encontro no famoso, inusitado e perfunctório Cabaré do Berto, usando o moderno processo de Videoconferência, começamos a reunião com a notícia de que nosso querido companheiro Jesus de Ritinha de Miúdo pegou o vírus, o desagradável, aborrecido e perigoso Covid 19.

A reunião perdeu muito do que poderia ser, porque a ausência de Jesus de Ritinha de Miúdo não só nos abalou demais, pelo fato mesmo da doença, como porque as conversas são sempre animadas por sua participação constante, inteligente e artística: ele não só comenta e conta seus casos interessantes e engraçados, como ainda recita poemas seus e de outros autores com extraordinária graça e competência.

Ao final, Jesus de Ritinha de Miúdo nos deu uma breve aparição, quando tivemos a oportunidade de revê-lo, cumprimentá-lo rapidamente e recomendar-lhe cuidados e desejar-lhe rápida recuperação.

A noite foi de Variedades, procurei falar de tudo e de nada, com o objetivo de esquentar a platéia para as intervenções e para a segunda parte, enriquecida pelas participações de todos, quando cada um fala a bobagem que quiser.

Um dos pontos altos foi quando, após eu ter comentado a estranheza de alguns botecos encherem os mictórios masculinos de gelo, não sei para que, Adônis explicar eles fazem isso para a criação de baleias, porque baleias gostam de ambientes gelados como o do Ártico.

Oquei, ficamos sem entender como é possível criar baleias em mictórios, mas não duvidamos de nada quando se trata de Adônis e quando o ambiente é o Cabaré do Berto.

Momento de saudade quando falamos da Glorinha, minha querida irmã, que se foi antes do combinado e que deixou tantas saudades no Jornal da Besta Fubana. Violante Pimentel cantou uma música que ela, a Glória Braga Horta, gravou com a minha participação, O Que Tinha de Ser, do Tom Jobim, para a gente chorar junto um pouco a doce ausência.

Abri a reunião tentando concluir a apresentação de uma música, arranhando o violão, aquela mesma que abandonei da vespa assada, quando esqueci a letra (Ti Voglio Tanto Bene), e fechei com s portuguesa Nem às Paredes Confesso, quando quase todo o mundo já tinha ido embora porque não aguentava mais, restando apenas Violante e Cícero, a Violante cantando junto.

Foi mais uma noite legal, não fosse eu ter tido que explicar todas as piadas.

Agora ficamos aqui, na expectativa de notícias do querido Jesus de Ritinha de Miúdo, emitindo nossas boas vibrações e orações em favor de sua saúde.

26 pensou em “GOIANO BRAGA HORTA – PETRÓPOLIS-RJ

  1. Faltou, apenas, o registro estatístico, que me foi cobrado durante a apresentação, das presenças ao evento. O equipamento assinalou a presença de entre uma e meia dúzia de pessoas, desta vez a Polícia Militar não compareceu alegando que ia ter pouca gente, de modo que foi a pior audiência de todos os tempos, sendo que a próxima vez que eu for escalado talvez seja maior o fracasso de público, o que me anima muito a desistir.
    Meus lemas são: Não desanime com a derrota de hoje, amanhã tem mais, todo fracasso começa com a decisão de tentar. E… A luta é grande, mas a derrota é certa, desista logo, não deixa para amanhã a desistência que podes desistir hoje!

  2. Faltou nada não. Pra mim sobrou emoção. O relato que Goiano fez de Glorinha foi estupendo. Aquelas coisas dignas e decorrentes de um amor maior. O carinho com que ele se referiu a Anderson também foi de uma sensibilidade fantástica.
    Goiano, deu um show. Eu saí da reunião melhor do que entrei e ávido pelo CD da dupla. Queria externar que Violante Pimentel contribuiu bastante pra esse momento emocionante, fazendo um duo com Goiano. Fantástico. Um forte abraço a ambos.

  3. Goiano… ontem foi difícil segurar. Eu sei o que é perder um irmão, pois o meu mais novo se foi há seis anos, aos 35 anos de idade; Foi embora sem me pedir permissão…
    Quando tudo isso passar e que possamos ter a nossa vida voltando ao normal, espero que possamos nos encontrar pessoalmente aí em Petrópolis, Paris… ou em qualquer lugar que o valha, pra beber um vinho… tomar um porre de whisky, vinho, cerveja… tomar um porre de alegria e de amizade!!!
    Um beijo no coração, meu querido e extendo as minhas mãos para a sua amizade!!!
    Estamos na torcida e em orações por Jesus, que me disse que teve uma piora, porque sente febre, tosse seca e dores nos pulmões; Mas, vamos vencer!!!
    Quanto à sua irmã, sempre acompanhava as postagens dela aqui… Fica a saudade, né cara??
    Por que a vida tem que ser assim??

    • Meu querido Maurino, a vida tem de ser assim não só porque é assim como porque orecisa ser desse jeito e a gente chora que faz dó por nossas perdas mas sabendo que os Planos de Deus são para a perfeição de cada um de nós.
      Por favor, continue dando notícias do Jesus de Ritinha de Miúdo! Que ele fique bom logo, já para a próxima quinta-feira!
      Mãos tuas e minhas estendidas para a amizade.
      Grande abraço!

  4. Olá

    Vi os comentários do Goiano sobre o falecimento da irmã, de nome Gloria Braga Horta, vi a sua foto e quiz saber mais, mas nada encontrei .Pela foto, era uma pessoa ainda
    jovem e bonita. O que aconteceu ?

    Aproveito para pedir uma informação : Como faço pra entrar e/ou assistir esta video conferência ?
    Basta instalar o Skype ? Fvr. Façam um manualzinho para os leigos, como
    eu.

  5. Prezado Almerindo, a Glorinha, minha mana querida, nos deixou em 3 de dezembro fr 2017, aos 77 anos de idade. Essa foto é um pouco mais antiga, sendo que ela sempre foi uma mulher linda, posou para filmes de publicidade na TV, para cartazes de propaganda e outras atividades publicitárias, por sua beleza. Mesmo quando já avançada nessa idade, era uma senhora bonita, tocava piano e teclado, pintava (e bordava), escrevia poesias e cantava (fizemos durante anos a noite em Brasília, com muitas apresentações no Otello, no Café com Letras e em outros estabelecimentos, juntos ou separados – sempre que possível acompanhados por seu marido, o Maestro Marcos D’Abreu ao Piano, ao lado de outros músicos). Ela era bem ativa no Jornal da Besta Fubana, mas não se ligava muito em redes sociais, de modo que acho que ela nem tinha conta no Youtube, apenas uma página no Facebook, que ainda permanece lá.
    Gravamos várias músicas juntos, fora do meio comercial. Em 2013 gravamos O Que Tinha de Ser, do Tom Jobim, e até fizemos um vídeo amador:

    https://www.youtube.com/watch?v=4R5X6fUzhv0

    Quanto à participação nos nossos encontros, o chamado Cabaré do Berto, por videoconferência, no dia mesmo da farra o Maurício Assuero publicfa uma chamada com o link na coluna Correspondência recebida.

    Lá aparece que para participar basta “clicar aqui” (esse “clicar aqui” aparece em letras azuis).

    Clicando ali, não é preciso baixar nada, vai aparecer a tela com a tua imagem e com uma chamada à direita: peça para participar. Basta fazer isso e o paraíse se abrirá para ti.

    Obrigado pelas referências e bom proveito para ti nessa bagunça desorganizada que são essas nossas reuniões virtuais.

  6. Goiano, obrigado por nos registrar a permanência (eu, você e Violante Pimentel, com sua presença de espírito luminoso) no CABARÉ DO BERTO ontem à noite.

    Antes do Maurício Assuero apagar as luzes do cabaré, a gente ainda insistiu em dar alegria a nós mesmos, com uma mensagem espirituosa: o pronto estabelecimento da saúde de Miúdo e a sua volta triunfal aos palcos do cabaré mais bizarro já criado no mundo!

    Beijos a você, à Violante Pimentel, que ontem estava mais linda, e para mim também, que participei dum taquim da festa, depois de duas ausências.

    Foi ótimo!!

    • Sancho anda mais sofrido que joelho de freira em semana santa REZANDO para Jesus de Ritinha de Miúdo superar rapidinho o traiçoeiro Covid 19 e deixa aqui neste espaço um beijo grande no coração do poeta maior do estelar elenco fubânico.

      Força, Jesuizim, meu querido!!!!!!!!

    • Querido cronista Cícero Tavares:

      Obrigada pelas palavras carinhosas e pela luz, que ontem você trouxe ao cenário!

      Beijos fraternos!

  7. Em determinado momento o papo era sobre a Glorinha e este fã n° 1 da saudosa colunista citou, dizendo que apreciava, a gravação da música ‘O Que Tinha de Ser’ pela dupla Goiano e Glorinha.
    E como quem sabe faz ao vivo, Violante Pimentel e Goiano deram início a uma canja pra lá de arretada.
    Que tiro foi esse, pessoal?
    O intérprete Goiano eu já conhecia (tenho e curto um CD dele).
    Mas a Violante cantando, fala sério: É tudo de bom.
    Adorei!!!

  8. Jairo, me lembro de debates acirrados da Glorinha, inclusive contigo, e ela comentando: – Esse Jairo Juruna é fogo!
    Bem no jeito dessa camaradagem fubânica, que a gente briga e se abraça.

  9. A nossa querida Violante tem de expor um pouco mais da sua maravilhosa pessoa no nosso encontro. É uma pessoa linda! Desconhecia o quanto essa nossa amiga pode ser maravilhosa.

    Quanto ao Goiano, seu show de “Stand-Up” só não foi melhor porque o pessoal é meio curto de entendimento. Aí, ele teve de explicar detalhadamente todas as piadas.

    P.S. Não sei para que fui falar de baleia na estória do gelo no mictório. É PARA NÃO FEDER, PORRA!!!!

    • Adônis, a brincadeira da criação de baleia em mictório com gelo foi legal e tu ajudaste muito a levar as gracinhas para a frente. Quanto ao “stand up”, que eu chamei de variedades, era para ser melhor apresentado, porque tem de ser mostrado de jeito que as pessoas compreendam de cara, o que uma apresentação deficiente prejudica (o fato de não haver platéia presente e a plateia sendo virtual ainda não poder interagir à vontade, pela necessidade de desligamento dos microfones, atrapalha um pouco – mas deu para “esquentar” a turma para a segunda parte, livre, quando falamos de tantas coisas, cada um um pouco, e foi grata a breve aparição de Jesus de Ritinha Miúdo para que soubéssemos que ele estava contaminado mas em condições de aparecer para um rápido abraço).
      Creio que o importante mesmo é estarmos juntos e termos uma apresentação inicial para abrir o papo do Cabaré.
      PS.: Me lembro do mais recente mictório cheio de gelo em um casamento a que compareci no Rio de Janeiro (Restaurante Cais do Oriente) em dezembro de 2020: Não tinha baleia dentro, só golfinhos, e mesmo lotado de gelo caindo pelas beiradas fedia pra caralho!

  10. Querido Colunista adonisoliveira:

    Suas palavras gentis me deixaram emocionada… Obrigada pelo carinho!
    Senti, na reunião de 5ª feira, a presença contagiante da querida e saudosa Glorinha, ao lado do seu irmão Goiano. E fui impulsionada a cantar.

    “Há mais coisas entre o Céu e a Terra, do que pode imaginar nossa vã filosofia”.

    (William Shakespeare)

    Grande abraço e um feliz fim de semana!

    Muita Saúde e Paz!

Deixe uma resposta para Almerindo Pereira Cancelar resposta