GEORGE MASCENA - SÓ SEI QUE FOI ASSIM

A cidade de Petrolândia em 1988 teve que mudar de lugar, pois a antiga foi para o fundo da barragem de Itaparica, construída no Velho Chico com a finalidade principal de geração de energia, porém o lago não conseguiu submergir totalmente a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, esta igreja, com estrutura de concreto armado, nem havia sido totalmente concluída e já teve que encerrar quase que totalmente suas atividades eclesiásticas, eu digo “quase” porque se realiza missas e até casamentos, esporadicamente. Na verdade esta famosa igreja não era a matriz, nem sequer ficava na sede de Petrolândia e sim no povoado de Barreiras. A igreja principal, mais antiga e sem estrutura para ficar submersa, foi destruída pelas aguas alguns anos após a inundação.

Mas no Nordeste houve outro caso menos famoso de uma cidade que teve de mudar de local para dar lugar às águas de uma represa: São Rafael no Rio Grande do Norte, cidade na margem direita do Rio Piranhas que foi alagada em 1983 pela barragem Engenheiro Armando Ribeiro. O rio já tinha expulsado da sua margem a cidade de Carnaubais, também no Rio Grande do Norte, antes da construção da barragem, devido às cheias que produzia nos períodos chuvosos. A bacia do Rio Piranhas-Açu é a maior das terras potiguares e da Paraíba, maior até que a do rio que nomeia o estado da capital João Pessoa.

A gigantesca barragem Armando Ribeiro cobriu também a linha do trem que seguia de São Rafael para Jucurutu e possivelmente até Caicó, vinda de Natal, este trecho nunca foi usado e não achei notícia sequer da estação em Jucurutu, mas os trilhos foram colocados. Talvez por já existir o projeto da represa, o projeto de ligação férrea foi abandonado. Já na inauguração da barragem, o trem não chegava mais nem a São Rafael, mas por causa da baixa procura que assolou todos os outros trechos ferroviários no interior do Nordeste.

Uma nova São Rafael foi construída a cerca de 4 km da antiga com uma nova igreja. Para diminuir a saudade dos fiéis, a nova igreja era exatamente igual à antiga, isso mesmo, construíram uma réplica. Após o fechamento das comportas da Armando Ribeiro, a cidade inteira foi submersa, a torre da igreja era a única construção da velha São Rafael que podia ser vista quando o lago estava cheio e virou atração turística, dividindo com fosseis de mastodontes, preguiças e tatus gigantes a página destinada a cidade no site da Secretaria de Turismo do RN. A torre da matriz resistiu bravamente por quase 3 décadas ao sobe e desce do nível da água, mas em 17 de dezembro de 2010, já bastante danificada pela ação do tempo, a torre ruiu.

“Segundo a turismóloga Jane Santos, o desaparecimento da torre ocorreu por volta da meia-noite da quinta para sexta e foi ouvida por pescadores. “Algumas pessoas ouviram um barulho, mas não imaginaram que se tratava da torre da igreja velha”, disse. A notícia abalou a cidade, que tem no turismo um dos seus potenciais financeiros. Embora possua muitas outras belezas naturais, a torre da igreja, perdida no meio das águas do açude, era um dos lugares mais visitados da cidade, que mantinha um passeio de barco em sua volta, enquanto um guia turístico contava a história da transição da cidade antiga para a cidade nova”, publicava o blog Focoelho.

Hoje o site da SETUR-RN continua a divulgar a atração da igreja, mas para quem se atreve a fazer o mergulho com guias locais.

Vídeo do fantástico sobre Petrolândia

Video da TV Ponta Negra sobre a velha São Rafael.

Deixe uma resposta