CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

A HISTÓRIA DOS CEARENSES QUE SEQUESTRARAM NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

O título da matéria parece estranho, mas aconteceu de verdade. O ano era 1950, a imagem de Nossa Senhora de Fátima saiu de Portugal para visitar algumas paróquias do estado do Ceará, chegando em Crateús, o número de romeiros estava muito além do esperado, e todos queriam chegar perto da Virgem Peregrina. Pessoas de toda a região chegaram na cidade nas primeiras horas do dia para aguardar a imagem. A fila dobrava quarteirões, porém a Santa tinha horário a cumprir, o avião que a levaria para Tauá, também no Ceará, tinha que decolar e pousar antes do sol se pôr. A organização da romaria resolveu retirar Nossa Senhora antes que todos os fieis dela se aproximassem, foi ai que aconteceu o sequestro, fecharam a saída da imagem, que só foi liberada depois que todos os romeiros da fila pudessem toca-la.

O ato contou com o apoio das autoridades locais, até do Padre Palhano Sabóia, que já havia reclamado que a santa chegou atrasada em Crateús, porém o Bispo de Sobral, José Tupinambá da Frota, não gostou do encarceramento de Nossa Senhora e mandou fechar a igreja de Crateús por uma semana.

Esse fato sujou a imagem da cidade de Crateús, que por muito tempo ficou conhecida como “a cidade onde prenderam a santa”. O escritor Flávio Machado conta em seu livro “Crateús – Lembranças que Marcaram História”, que quando criança, ia a outra cidade próxima e fazia qualquer traquinagem, as pessoas reclamavam dizendo: “quem tem coragem de prender uma santa tem coragem de tudo”.

Na época o caso foi divulgado pelas rádios e jornais do Ceará, da capital federal Rio de Janeiro e até pela BBC de Londres, de lá pra cá o sequestro foi sendo esquecido e hoje muitos moradores da cidade desconhecem esse fato. A mesma imagem de Nossa Senhora de Fátima já visitou Crateús outras duas vezes sem intercorrências, em 2003 para comemorar meio século do Arco de Fátima, construção da cidade que homenageia a primeira visita da Peregrina, e em 2005, em uma comemoração antecipada da aparição da Virgem em Fátima, em Portugal, a três pastorinhas em 1917. A violência contra a santa não prejudicou a cidade de Crateús nem a de Tauá, que hoje estão na lista das cidades menos violentas do Nordeste, como descritas no vídeo abaixo do Canal 1a10 Curiosidades .

As 10 cidades menos violentas do Nordeste

3 pensou em “GEORGE MASCENA – TABIRA-PE

  1. Legal! Mas, entendo que, não existe “cidade” mais pacata neste país continental, que o cemitério, né não? É de uma Paz que até incomoda! Arre égua!

  2. George, fantástico! Muito bom. Eu fiz um levantamento das cidades sertanejas, recentemente. A gente matou mais que o Rio. Fiquei impressionado com o Ceará. Não apareceu Quixadá. Deve ser por causa da sogra de Neto Feitosa.

  3. Tabira teve um período especial onde aconteceram vários assassinatos desencadeados pelo primeiro homicídio, tudo isso em menos de 1 ano, deve ter elevado a taxa, porém nossa vizinha Ingazeira passou 3 anos sem ter nenhum.

Deixe uma resposta