MARCOS ANDRÉ - DADO & TRAÇADO

O tema é inesgotável e prolixo. Resumidamente, temos que, fanatismo, é uma condição psíquica de ardor continuo compulsivo e irracional, ligado a estímulos de essência política ou religiosa. Que pode acarretar fascínios, absorver delírios e paranóias ante uma adesão extremada por uma causa ou crença.

Pois, o fanatismo, reflete e se manifesta numa explosão irracional e exagerada de uma paixão desmedida, ferrenha e obstinada por um ideal. Cultuando o apego a dada teoria, de forma total e incondicional. Seja ela política ou religiosa. No dicionário Michaelis, teremos que “o fanático é definido como qualquer pessoa que se mostra demasiadamente entusiasmada, apaixonada, tomada por devoção cega a uma causa (política, religiosa, etc.) ou pessoa; apaixonada, exaltada, obcecada”.

DISSONÂNCIA COGNITIVA

Em síntese, a dissonância cognitiva é quando se percebe a incoerência entre o que aquela pessoa fala e o que realmente ela faz. Você já deve ter visto ou conhecido alguém que defende uma idéia e age totalmente diferente dela. Algumas criticas maldosas são dirigidas a celebridades socialistas do mundo da arte que só se auto-exilam em paraísos capitalistas. Façam o que eu digo… A frase: Acuse-o daquilo que você faz é bem apropriada para ao presente caso.

Na esteira desta dissonância, ainda reside o fato de que o sujeito crê, cegamente, que a solução para o que é melhor para a vida e o destino dos outros, reside no que ele idealiza e quer. (E ele, por você, tem certeza disso) É a forma que ele possui de “criar um mundo” e, com ele, toda maneira de ser.

ALGUMAS CARACTERISTICAS DO FANATISMO

Preconceitos e discriminações, limitações intelectuais, ira e ódio exacerbado, egocentrismo, hostilidade aflorada, crença extrema a uma doutrina ideológica, passional e tendencioso, lentidão ou bloqueio cognitivo, e assim por diante.

TRANSTORNO DE PERSONALIDADE?

Na atualidade, inexistem diretrizes seguras que rotulem o fanatismo como um transtorno da personalidade. Alguns (fanáticos) podem até possuírem transtornos de personalidade, mas sem o significado de que seja fanatismo. Conforme me explicou a psicóloga Wanessa Cavalcanti, algumas (e não todas) características, podem ser associadas a personalidade de um fanático, tais como irascibilidade, comportamento desconfiado ou explosivo, certa fragilidade do eu, Comportamento interpessoal que varia de submissão ao extra punitivo, Autoimagem combativa, índole cognitiva e dogmática, etc.

FANATISMO RELIGIOSO

Existem várias formas de se classificar o fanatismo, que varia conforme a predominância da ideia. Historicamente, o mais questionado é o religioso. Este, desde priscas eras, é responsável por danos humanísticos e culturais marcantes. Guerras, torturas, genocídios e atos terroristas (Ku Klux Klan, Inquisição, Cruzadas), tem deixados cicatrizes profundas. Na questão religiosa, não podemos esquecer que existe o efeito reverso do fanatismo, ou seja, aquele que se apresenta ou se opões a uma crença de forma bastante hostil. É o antirreligioso (antijudaico, anticristão, antimuçulmano).

FANATISMO RELIGIOSO NA ATUALIDADE

Foi amplamente divulgado nos meios de comunicações, que os grupos terroristas ISIS e Boko Haram, cooptaram muitos jovens pelo mundo afora. Os recrutados, em sua maioria, possuíam conflitos de identidade e de relacionamento social ou familiar. O fanatismo religioso, neste caso, funciona claramente como uma seita de adeptos. A violência física e a idealização da morte é bem marcante nestes casos específicos de fanatismo religioso.

FANATISMO ESPORTIVO

Tronou-se corriqueiro, assistirmos estarrecidos, o fanatismo esportivo. Atos deploráveis causados por fanáticos torcedores com espancamentos e mortes, por uma “paixão” a um clube, a uma equipe, ou a um atleta.

Maradonismo – torcedores argentinos se unem e cultuam, celebrando como um”deus” o ex-jogador de futebol argentino Diego Maradona. Eles possuem seus próprios mandamentos, orações e “bíblia”, denominada «Yo soy el Diego de la gente».

FANATISMO ARTÍSTICO

Temos também o fanatismo por uma celebridade do mundo da arte: um cantor, um ator, um músico, um escultor, um pintor, etc. Fanatismo por uma idéia política, um partido que represente aquelas idéias.

Muito comum, é encontraremos pessoas fanáticas pelo mistério, pelo fantástico e pelo desconhecido. Pessoas que são aficcionadas por tarólogos, cartomantes, advinhos, bola de cristal, etc.

FANATISMO LITERÁRIO

Foi marcante o caso da escritora Emily Brontë. Leitores fanáticos “enxergavam” em seu romance “O Morro dos Ventos Uivantes”, que Emily estava convidando as pessoas a jantar com o diabo e ela própria estava prestes a ser vítima desses fanáticos.

Do prestigiado livro “O apanhador no campo de centeio” de J.D. Salinger, muitos fanáticos relacionaram suas sugestões de assassinato, ao insano ato praticado pelo atormentado Mark David Chapman (dizia identificar-se com o protagonista do livro, que odiava a falsidade), que matou a tiros, John Lennon. E, logo após, sentou-se calmamente para ler o referido romance. Salinger, teve que se refugiar em lugar incerto para operar seu oficio de escritor, para evitar ser vítima dos fanáticos.

Na mesma trilha, o poeta francês Baudelaire, foi acusado por fanáticos que queriam mandá-lo para fogueira pelo conteúdo do seu poema “As flores do mal”.

FANATISMO LITERÁRIO E POLÍTICO

As obras de Karl Marx, por exemplo, despertaram muito fanatismo e até hoje causa impacto social e político em que, cujos “adeptos” procuram justificar e utilizar suas idéias e obras, para cometer delitos terroristas.

Como podemos ver, nos deparamos ante um fenômeno conhecido na psicologia e psiquiatria conhecido como dissociação. Onde são eliminados do individuo toda essência de sua identidade que, paulatinamente, se transmuta assumindo uma nova postura e identidade, num processo que culmina numa sólida união que se harmoniza com os novos ideais da corporação.

A poetisa portuguesa, Florbela Espanca, foi muito feliz quando descreveu o fanatismo em sua poesia:

“Meus olhos andam cegos de te ver” …
“Podem voar mundos morrer astros,
Que tu és como um Deus princípio e fim”

10 pensou em “FANATISMO

  1. Parabéns Dr Marcos, por mais um tema interessante.
    E realmente o transtorno de personalidade faz parte do fanatismo, mas um fanatismo sem causa específica, não é de futebol, nem política, nem religião etc.
    Vou esperar o próximo tema
    Um grande abraço.

  2. Fanático incurável por texto de Marcos André jamais procurei a cura,o mesmo acontecendo com o amor que nutro pelo meu Vasquim, por minha esposa, pelas amantes quadrigêmeas tailandesas, por meu Quixite Véi di Guerra e pelo meu cãozinho Guim.

    Ah, e pode me incluir em fanatismo literário, pois não resisto a uma livraria ou sebo, mesmo sabendo que nenhum Cervantes me PARIU.

    Abração, Marcão!!!!!!

    • Honra impar é ter Sancho escrevendo no roçado do quintal desta modesta e irregular coluna.
      É sempre marcante tê-lo nos comentários.
      Você fez uma saborosa mistura de vícios, obrigações e fanatismo.
      O fanático em grau “moderado”é apenas um apaixonado irrecuperável. Vide
      O Vasco da Gama e as amantes tailandesas.

      Forte abraço!

  3. Dr. Marcos André irmão e amigo. Um intelectual de mão cheia. Seus textos são belos e de uma objetividade formidável.

  4. Parabéns pela perfeição do texto, prezado Marcos André!

    O fanatismo é um estado psicológico, quase um delírio, em que o indivíduo se apega a uma causa, tema ou pessoa, não admitindo contestação. É um sentimento fervoroso, irracional e persistente, . que perturba o convívio social. Historicamente é associado a motivações de natureza religiosa, política, esportiva, ou artística.

    Não é catalogado como distúrbio mental, mas chega perto, pois o fanático , quando contestado, é capaz das piores reações. É o que se vê sempre em estádios de futebol, quando torcedores fanáticos praticam crimes contra adversários.

    Depois da Pandemia do Corona Vírus, o fanatismo político é, atualmente, a pior praga que assola o nosso País.

    E para este, não há vacina..

    .Bom domingo! Muita saúde e Paz!

    • Eis que, em pleno domingo, sou premiado com a amavel participação da nobre dama do JBF.
      Muito obrigado, mesmo.

      Um forte abraço e um excelente domingo.

Deixe uma resposta