ROQUE NUNES – AI, QUE PREGUIÇA!

Este fim de semana, estando eu na minha taba, coçando as carcundinhas de meus doguinhos, por algum abusão do Anhangá estava vendo as diatribes de petistas e defensores dessa seita satânica, sonhando com a volta do ladrão de estimação deles ao poder em Pindorama. São centenas, milhares de fedorentos e desocupados que sonham em transformar o Brasil em uma imensa Venezuela, ou mesmo em uma Coreia do Norte de proporções continentais.

Nessa hora, lembrei-me de um aforismo do facínora furunculoso, também conhecido como Karl Marx, quando analisando a França imperial de Luís Napoleão, ou Napoleão III, disse, e com bastante propriedade que a história se repete: primeiro como drama, depois como farsa. Nada mais verdadeiro e exemplar para os tempos que estamos vivendo, com a América Latina escorregando para a ditadura esquerdista.

Eu ouço o discurso de alguns desses acéfalos que acreditam na inocência do ladrão de nove dedos e fico a pensar: o que esse pessoal pretende ganhar com a defesa estúpida, insana e homicida de uma ideia que, na sua essência louva a morte, a despersonalização do indivíduo, a destruição da sociedade e a dilapidação do patrimônio do povo.

Possivelmente essas pessoas, principalmente estudantes profissionais que, já estão com cabelos brancos, pele enrugada, mas nunca saíram dos bancos universitários, nunca buscaram devolver à sociedade aquilo que foi investido em sua formação, mas acreditam que todos aqueles que trabalham e produzem algum tipo de riqueza, têm uma dívida histórica com eles. Escoram-se em discursos falaciosos de correção de injustiças sociais, de vitimização e glamourização da preguiça, do parasitismo e do “dolce far niente”, desde que seja com o dinheiro dos outros.

Esses tipos profissionais da esquerda acreditam que, uma vez havendo a ascensão de um regime totalitário, com um governo esquerdista, esses mesmos inúteis que não tem capacidade laboral alguma, serão alçados à direção de empresas estatais, de órgãos governamentais que decidirão o futuro de toda a nação. Que farão parte da nomenklatura partidária, encastelados em altos escalões, usufruindo de datchas, escolas e mercados privativos da elite.

Bem, crianças, deixem-me dizer uma verdade. É apenas um sonho. Foi um sonho durante o drama, e será um sonho durante a farsa. Explico-me. Após o golpe de estado russo em 1917 e superada a guerra civil, quando o desocupado invejoso, que atendia pelo nome de Lênin foi despachado para o quinto dos infernos, o tarado bigodudo da Geórgia começou a fazer aquilo que todo comunista mais sabe fazer: matar. Os seus cupinchas como Leon Trotsky, Lazar Kaganovich, Sergei Kirov, Lev Kamenev, Dimitri Zinoviev, todos queriam estar lá no alto, tornando-se dirigentes do partido e da nação.

Trotsky foi morto com uma picaretada nos cornos a mando de Stalin, Kirov tomou um tiro no quengo a mando de Stalin, Kamenev, Zinoviev acabaram quebrando pedra na Sibéria acusados de traição e Lazar Kaganovich desapareceu. Possivelmente abduzido por alguma raça alienígena comunista de algum universo paralelo. O recado de Stalin estava dado: o poder na União Soviética era dele, e quem quisesse seria, no máximo, guarda de trânsito em Moscou.

Em Cuba ocorreu a mesma coisa. Quando Fidel consolidou seu poder, mandou Camilo Cienfuegos em uma missão suicida dentro do país. Fidel sabia que Cienfuegos teria a mínima chance de sair vivo da situação, mas mesmo assim o mandou. O mesmo ocorreu com o porco fedorento que, segundo seus cupinchas tinha cheiro de rim cozido. Depois da aventura africana, mandou El Chancho para uma aventura na selva boliviana até o militar Mario Terán mandar ele fazer revolução na casa do capeta.

E a história vem se repetindo em todos os países em que a ideologia comunista é implantada. Uma vez que o tirano chega ao poder ele o toma para si. Não existe essa história de que o tirano comunista vai dividir o poder com alguém. A única coisa que ele vai dividir com seus comparsas é um campo de concentração, ou um ambiente de trabalhos forçados.

Mas a farsa tende a se repetir. Esses que defendem regimes assassinos como o comunismo serão recompensados sim. Alguns podem até chegar a ser prefeito de algum grotão perdido no meio do nada, mas para a maioria, o que vai sobrar será ser capataz em alguma fazenda coletiva, onde esse defensor, frustrado com a não realização de seus sonhos, despejará todo o seu ódio nos escravos que o regime terá.

E assim, crianças, dentro da farsa histórica que se desenha na América Latina, e, se não tomarmos cuidados, também no Brasil, o que veremos será uma horda de Mengheles, de Barbi, de Heydrich matando e se regozijando com o sofrimento dos escravos. A história se repetirá como farsa, mas para aqueles que viverão essa realidade dantesca, essa farsa será amarga.

1 pensou em “ELES TAMBÉM QUERIAM

  1. COMUNGO COM O ENTENDIMENTO DO RELATOR, COM ALGUMAS PERGUNTAS : EM QUEM VOCÊS ACHAM QUE O TRAFICANTE VAI VOTAR?? EM BOLSONARO OU NO CARNIÇA?? EM QUEM VOCÊS ACHAM QUE O PEDÓFILO VAI VOTAR?? EM BOLSONARO OU NO CARNIÇA?? EM QUEM VOCÊS ACHAM QUE O ESTUPRADOR VAI VOTAR?? EM BOLSONARO OU NO CARNIÇA?? EM QUEM VOCÊS ACHAM QUE O CORRUPTO VAI VOTAR?? EM BOLSONARO OU NO CARNIÇA?? QUEM NÃO QUER TRABALHAR VAI VOTAR EM QUEM?? EM BOLSONARO OU NO CARNIÇA?? ACORDA BRASIL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta