5 pensou em “E MATA MESMO

  1. “Viveiro de Adélios”.

    Expressão feladaputisticamente bem (a)cunhada que reflete o hospício que se tornou a grande imprensa brasileira.

    Nem Nietzsche conseguiria ser tão sucinto, sintético e aforismático para definir essa versão da terra de Cabral do que ele definira como “mundo-manicômio”.

    Banânia se tornou inspiração artística mórbida.

    Augusto dos Anjos cagaria um livro por dia diante de tanta inspiração.

    • Caríssimo Hell
      E o que dizer das múltiplas personas existentes na cabeça de Pessoa? O que diria cada um sobre este Brasil que hoje vivemos?

      • Como Fernando ainda não se manifestou, recorro a uma parlamentar: – Não desejar a morte dos outros é o que nos diferencia dos monstros, diz Joyce Hasselmann condenando a campanha pela morte do presidente.

      • Nobre sidekick do lendário Dom Quixote,

        não conheço as múltiplas personas de Pessoa, mas sei que todas elas unanimemente concordariam com meu veredicto.

Deixe uma resposta