DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

Mote de Heliodoro Morais:

Uma porca perde a rosca
Mas não entra em parafuso

* * *

Eu já perdi o juízo
Porém doida não fiquei;
Maus momentos já passei
Mas do pranto fiz sorriso
Do inferno fiz paraíso.,
Da moda que eu fiz uso
É mel em que me lambuzo
E fez minha rima fosca:
“Uma porca perde a rosca
Mas não entra em parafuso”

Bastinha Job

* * *

Sempre fui muito teimosa
Assim minha mãe dizia.
Dessa minha teimosia
Nunca ficou orgulhosa.
Eu seguia toda prosa,
Deixando o povo confuso,
Destilava meu abuso,
Com minha linguagem tosca:
“Uma porca perde a rosca
Mas não entra em parafuso”

Dalinha Catunda

3 pensou em “DUAS GLOSAS

  1. Não dou o braço a torcer
    Prefiro dar u’a porrada
    Se não aguenta cagada
    Melhor gelo ir comer
    E nem venha me dizer
    Que aqui eu sou intruso
    me acusar de obtuso
    e que eu como até mosca
    “Uma porca perde a rosca
    Mas não entra em parafuso”

Deixe uma resposta