DEU NO JORNAL

Luís Ernesto Lacombe

Nova urna eletrônica

Nos meus tempos de colégio, o ano letivo era mais curto. Tínhamos apenas 180 dias de aula. Como sempre fui bom aluno, escapando de recuperação e provas finais, eu costumava ter férias da segunda semana de novembro até o início de março. E as férias no meio do ano se estendiam por quase todo o mês de julho. Acho que acumulei energia suficiente nesse período para cursar duas faculdades ao mesmo tempo e, depois, para atuar como jornalista, profissão que não respeita fins de semana, feriados e madrugadas teoricamente silenciosas.

Tenho dois programas na televisão, dois projetos na internet, escrevo para três jornais. Como nossos magistrados, não tenho direito a horas extras, não tenho jornada de trabalho definida, estou disponível 24 horas por dia. Nossos juízes ainda podem tirar 60 dias de férias por ano… Eu não posso. Também não tenho um privilégio de servidores públicos, a possibilidade de pedir licenças especiais remuneradas. E não estou aqui para clamar por mais tempo de férias, mais dias não trabalhados. Muito pelo contrário.

Sei dos desafios que 2022 impõe, não apenas a jornalistas, a todos nós. Este ano vai exigir de cada brasileiro muita atenção, muito cuidado. Alerta máximo, descanso mínimo, só o necessário para seguir em frente, não embaralhar a mente, não embotar o pensamento. Serão dias movimentados, numa guerra quase sempre suja… Bandidos se vendendo como mocinhos, mentirosos desavergonhados, egoístas e oportunistas, estão todos aí, tentando laçar os desinformados, os distraídos, os preguiçosos, qualquer um que pisque mais lentamente.

Este ano, teremos a eleição mais importante da história do país. Pense bem em cada um dos seus votos, todos são importantes. Há tantos instrumentos para identificar os canalhas, os velhacos, os farsantes. Descarte imediatamente os que não querem saber de liberdade, os que representam o retrocesso, o atraso, fórmulas que nunca funcionaram. Verifique, por exemplo, os deputados que votaram pela manutenção da prisão do deputado federal Daniel Silveira, os congressistas que votaram a favor do bilionário fundo eleitoral, contra o Marco Legal do Saneamento Básico, contra a privatização dos Correios… Não dê a eles um novo mandato.

Vem de cada indivíduo a condução do Brasil pelo caminho justo, verdadeiro, correto. Somos, por natureza, animais políticos, ensinou Aristóteles. Entregue-se ao debate, não permita a eliminação do confronto de ideias. Mergulhe nos fatos, no mundo real. Argumente, contra-argumente. Não esqueça, Platão deixou claro que aqueles que não gostam de política serão governados pelos que gostam. Felizmente, os brasileiros se politizaram. Agora, então, exigem de todos nós empenho, luta pela verdade… Será um ano de enormes desafios. Meus tempos de colégio e férias longas estão distantes, muito distantes. Eu estou a postos. E você?

6 pensou em “DESCANSO MÍNIMO

  1. Respondendo à última pergunta do Lacombe; sim, estou à postos e disposto a dialogar, debater e defender que o Brasil siga em frente respeitando a liberdade individual de opinião, de religião e de pensamento, o direito à vida desde à concepção, à propriedade privada, do direito individual de se defender com o uso de armas de fogo e à não corrupção.

    Estamos no início de um processo que irá transformar o Brasil em um país relevante diante do mundo. Ele já o é, porém precisa se livrar de vez dos grilhões que a esquerda nos acorrentou nos últimos 35 anos.

  2. O jogo vai ser sujo, temos que estar preparados, se inscrever ao TELEGRAM, pois no “face” seremos cancelados (ontem fui suspenso 30 dias porque fiz uma brincadeira com meu cunhado em um site italiano) e jamais recuar.

  3. Digo desde sempre para quem queira ouvir, NÃO VOTE NAQUELE POLÍTICO QUE DIZ QUE VAI TE DAR CASA, COMIDA E ROUPA LAVADA DE GRAÇA. Que diz que vai cuidar de você e de sua família e toda sua descendência. Isso é golpe pra dizer o mínimo. Temos que valorizar os que trabalham para que o país cresça, produza mais e assim tenha mais empregos. Daí cada um com seu salário decida o que fazer. Dar fim a esse negócio de ficar esperando cesta básica e esmola do governo de uma vez por todas. Enfim, vai ser difícil, muito difícil para todos que se dispuserem a estar à postos.

  4. Sempre ótimo relembrar Platão
    aos comodistas
    de plantão!
    “Quem não gosta de política será governado por quem gosta”!
    Que estejamos a postos, mais atuantes do que nunca, neste ano importantíssimo para o nosso futuro: precisamos reeleger Bolsonaro!
    Vamos usar o verde/amarelo, cantar o hino e defender nossa Democracia, sem pausa pra descanso!

Deixe uma resposta