XICO COM X, BIZERRA COM I

Se for manhã, deixe-me ficar lençol, abraçado a fronhas e travesseiros cor do mar. Ao meio-dia, serei apenas o cheiro de um baião-de-dois distante colorido por um pequi bem amarelinho. De tardezinha, me tornarei opaco e nem sequer verei o pôr do sol. Na boca da noite, viro céu azulado e enluarado cortejando estrelas e me escondendo nas nuvens brancas. Em noite alta, aí sim, serei eu a te espreitar, tez ardente, coração vermelho e doido. E assim, madrugada adentro, ficarei absorto até que a janela fechada deixe passar pela mais tênue fresta a larga luz do teu sorriso da cor do amor, não permitindo que eu me faça incolor.

Toda a obra do colunista Xico Bizerra, Livros e Discos, pode ser adquirida por e-mail xicobizerra@forroboxote.com.br ou através de seu site Forroboxote, link BODEGA. Entrega para todo o Brasil.

4 pensou em “CORAÇÃO VERMELHO E DOIDO

  1. Eita mulesta dos cachorro doido….esse homi deve de ter uma telefone sem fio no gabinete do criador…… inspiração da bixiga lixa

  2. Nada, Assuero, tenho amigos queridos, mulher, filhos e netos que fornecem tintas coloridas pra minha caneta … Obrigado pela generosidade de suas palavras.

  3. Isso é coisa de gênio, Xico.

    As palavras sempre agradecem suas prosas em versos. E eu fico extasiado quando as leio.

    Obrigado, grande Poeta!

Deixe uma resposta para Assuero Cancelar resposta