DEU NO JORNAL

Texto do jornalista Zé Teles

Há 15 anos, o então contrabaixista do Quinteto Violado, Toinho Alves (falecido em 2008) compôs com o poeta Xico Bizerra uma canção intitulada Olinda, Holanda, para o 1º festival Olinda Jazz.

Mas a intenção do inquieto Toinho seria usar a música como trilha para intercâmbios artísticos e culturais com a Holanda, um infarto interrompeu o projeto.

Mais recentemente, Dudu Alves, tecladista do Quinteto Violado, e filho de Toinho, reencontrou com os produtores do Olinda Jazz, Coraly Pedro e Addeo Ramos, reacendeu-se a possibilidade da retomada do projeto.

Faixa do CD Candeeiros e Neons, de Xico Bizerra (2011), Olinda, Holanda volta a ser a ponte para a ligação entre Pernambuco e Holanda, um relacionamento iniciado com conflito e desaguou em amizade, e que remonta ao século 17.

Coraly e Fabrício convidaram o superguitarrista Jan Akkerman, líder do Focus, mais importante banda holandesa dos anos 70, e a filha dele, Laurie, para recriarem, com o Quinteto Violado a composição de Toinho Alves e Xico Bizerra.

Laurie canta a música com letra adaptada para o holandês, enquanto Jan sola e acompanha Marcelo Melo. A gravação foi feita virtualmente, e levou dois meses para ser concluída, entre conversas, ensaios, e gravações.

A nova versão de Olinda Holanda foi lançada às 10h, de 1º de outubro, no canal do youtube, e demais plataformas digitais, do Quinteto Violado.

O projeto é uma realização da PrumoPro, com patrocínio da Embaixada dos Países Baixo em Brasília.

Deixe uma resposta