14 pensou em “CADÊ OS URUBUS???

  1. O que adiantou então a reforma da Previdência?
    A economia que era para dez anos, já foi gasta em um ano apenas.
    Maldita politicagem desse País.

    • Pois é …..

      Os governadores estão dizendo que não receberam esta grana toda ………

      Tá parecendo “diz que me disse” entre gente sem caráter …….

      Euuuuuu ???? ……. eu não fiz não, foi ele ….

      E o povão ……..???!!!!!!!

  2. Caro Arthur Tavares. Com a plêiade de governadores, prefeitos e demais políticos que esse depauperado País, possui.
    É mais fácil acreditarmos que um camelo passou pelo buraco da agulha. Concorda?

  3. Pois é…..

    Nao temos salvacao…….

    So falta o STF MANDAR PRENDER JMB ou um dos generaus das FA….

    Do jeito que os canalhas estao, breve nao vai faltar nada.. .

    Inaceitavel as ilegalidades com nossa constituicao…….

    JMB perdeu a vergonha e passa por este monte de vexames ???!!!!

  4. Se há uma coisa corretíssima praticada pelos urubus do STF é vigiar e colocar freios ou rédeas nas atitudes governamentais do LIXO TÓXICO BOLSONARO, senão o país será desmanchado por completo por esse maluco e os três filhos marginais. Até porque, essa famíglia ou familícia não para de afrontar e aprontar com os brasileiros e, se houvesse AI-5 já merecia o paredão. Atentai bem para essa notícia que invadiu as redes sociais, hoje, e é o pau que rola em toda a imprensa brasileira com manchetes variadas como essa:: COM AS SOBRAS DO DINHEIRO DA “RACHADINHA”, FLÁVIO BOLSONARO COMPRA UMA MANSÃO DE LUXO EM BRASÍLIA, À VISTA, NO VALOR DE 6 MILHÕES DE REAIS. Isso mesmo, 6 milhões de reais, no taco!!!

    Mais um novo negócio imobiliário do filho do presidente, investigado por suspeita de lavagem de dinheiro com imóveis, foi cercado de cuidados e tudo feito por baixo dos panos. ou seja, em vez de procurar um cartório da capital, o senador optou por LAVRAR A ESCRITURA de compra num serviço notarial de Brazilândia, cidade-satélite a cerca de 45 km do Plano Piloto.

    Segundo os órgãos de imprensa, o imóvel de luxo fica no Setor de Mansões Dom Bosco, no Lago Sul, bairro nobre da capital, e vinha sendo anunciado com destaque em sites de imobiliárias locais: “A melhor vista de Brasília da suíte máster”, dizia um anúncio, já desativado. Nos últimos meses, Flávio e sua mulher visitaram discretamente outras casas de luxo, algumas às margens do Lago Paranoá e anunciadas por até R$ 10 milhões.

    A essa altura do campeonato a fila anda e a catraca gira, pois na campanha de 2018, Flávio declarou ao TSE patrimônio de R$ 1,7 milhão. Como senador, passou a ganhar R$ 25 mil líquidos por mês e a usar apartamento funcional cedido pelo Senado. Sua esposa Fernanda é dentista e abriu consultório em Brasília depois que o marido foi eleito. Segundo os promotores, entre 2010 e 2017, o então deputado estadual lucrou R$ 3 milhões em transações imobiliárias com “suspeitas de subfaturamento nas compras e superfaturamento nas vendas”.

    P.S1.: – Pelo andar da carruagem ou nesse diapasão, Flávio Bolsonaro, o Rei da Rachadinha, vai bater ou botar no chinelo o Lulinha e o Luleco logo, logo!!! Sinceramente, depois desse deboche escancarado ficamos a nos perguntar: cadê o pudor, moralidade e vergonha… Claro que estão abaixo do nível do mar!!!

    P.S2.: – Além de vergonhoso e impressionante é de deixar todos nós de queixo caído a psicopatia transgeracional deste maldito clã…

    P.S3.: – Afinal de contas, o Seboso de Caetés e sua prole eram o limite ou só simples aprendizes?!?!?!

    P.S4.: – Coitado do Lula com aquele tríplex mofado e cheio de goteiras e infiltração na laje… E o sítio de Atibaia com pedalinho, tão singelo…

    • Conselho Regional de Medicina do DF publica nota contrária ao lockdown
      Estadão Conteúdo
      4-5 minutos

      Após o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), decretar lockdown (fechamento) para conter o avanço da covid-19, o Conselho Regional de Medicina (CRM-DF), enviou, nesta segunda-feira 1º, nota contrária às medidas de sanitárias implementadas pelo governo. O conteúdo também está no site oficial da entidade. O Estadão apurou ainda que o conselho enviará o mesmo posicionamento também às assessorias dos deputados federais.

      Na nota, o CRM diz que “tal medida já se mostrou ineficaz, condenada até mesmo pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS) nas palavras do Dr. David Nabarro: ‘O lockdown não salva vidas e faz os pobres muito mais pobres’”. Como o Estadão mostrou em outubro do ano passado, por meio do projeto Comprova, a frase do enviado da OMS foi retirada de contexto em publicações na internet para sugerir que a entidade condena o lockdown.

      Na ocasião, David Nabarro de fato destacou os impactos econômicos e sociais negativos dos lockdowns. Isso não significa, no entanto, que a OMS seja contrária à medida ou que a considere ineficaz. Na mesma entrevista, Nabarro afirmou que os lockdowns são justificados em momentos de crise, para reorganizar os sistemas de saúde e proteger os profissionais que estão na linha de frente do combate à doença. A ideia desta prática é “achatar a curva” de contágio, evitar a superlotação de hospitais e, depois, permitir a reabertura das economias.

      O Conselho do DF cita o Amazonas como exemplo negativo da medida. “Estado com maior índice de isolamento social do Brasil, apresentou o maior número de internações e mortes por covid-19, cerca de 30-45 dias após o primeiro lockdown, sendo ainda mais imediato, após o segundo, configurando mais uma evidência do fracasso dessas medidas extremas de restrição”, diz o texto. Especialistas em saúde têm defendido o lockdown como forma de conter o avanço do vírus, em fases mais descontroladas da pandemia.

      Para o CRM, ações preventivas eficazes estão relacionadas a campanhas de educação sobre medidas individuais de higiene, uso de máscaras, distanciamento social, vacinação populacional e ostensiva fiscalização por parte do governo, mas “nunca pela decretação de lockdown”.

      A Organização Mundial de Saúde (OMS) desde o início da pandemia considera que o lockdown é uma das formas conhecidas de combate ao coronavírus. Em 1º de abril de 2020, Michael Ryan, diretor-executivo do Programa de Emergências da entidade, afirmou: “Além das medidas de lockdown, precisamos de estratégias abrangentes baseadas em vigilância, em intervenção de saúde pública, detecção de casos, testagem, isolamento, quarentena, e fortalecer nossos sistemas de saúde para absorver o golpe”.

      O Distrito Federal é uma das unidades da Federação que, nos últimos dias, elevaram as medidas de restrição para o comércio. O movimento é uma reação ao aumento da ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em várias regiões, em um momento em que a vacinação ainda não deslanchou. Dados do Ministério da Saúde mostram que no Distrito Federal 295.615 pessoas já se contaminaram com a covid-19, ou 9,8% da população. Deste total, 4.831 pessoas morreram (1,6% dos contaminados).

      Na última quinta-feira, o governador já havia decidido restringir o funcionamento dos estabelecimentos comerciais das 20 horas às 5 horas. Na sexta-feira, porém, com os leitos de UTIs específicos para pacientes de covid-19 com 98% de ocupação, Ibaneis decidiu intensificar as restrições.

      • Premissas falsas, conclusões comprometidas.

        Há divergências quanto à afirmação de que Manaus sofreu tanto com a Covid 19 mesmo tendo índice de afastamento social elevado

        Em setembro de 2020 a proposta de lockdown quase foi adotada em Manaus.. Porém, uma sucessão de eventos que envolveu não só o epidemiologista Jesem Orellana, da FioCruz Amazônia, mas também a vigilância pública da cidade, o então prefeito Arthur Virgílio Neto (PSDB), o governador Wilson Lima (PSC) e até o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) modificou rapidamente a estratégia de combate à pandemia que poderia ter sido estabelecida.
        Em meados de janeiro 2021 Manaus atingiu o limite de sua capacidade de atendimento e não havia mais leitos, nem oxigênio, para tratar tantos pacientes. Mas o colapso do sistema de saúde poderia ter sido evitado se medidas mais contundentes tivessem sido tomadas com antecedência, nos meses de setembro e outubro.
        Esse é o ponto de vista defendido pelo epidemiologista Jesem Orellana, da FioCruz Amazônia. O cientista afirma que, durante o mês de setembro, apresentou provas às autoridades de saúde pública de Manaus e do Amazonas que indicavam um novo crescimento das hospitalizações e das mortes por covid-19 em Manaus.
        Segundo o especialista, a retomada desses índices já era suficiente para a adoção de medidas mais restritivas na capital amazonense. “Se tivéssemos achatado a curva de contágios drasticamente entre setembro e outubro, muito provavelmente não teríamos esse colapso de agora”.
        Também foi anunciado por inúmeros veíoculos de imprensa mundiais que a OMS ternha sido contra o lockdown – afirma-se que a fala do diretor da entidade foi tirada de contexto, que ele afirmou que o lockdown é medida muito dura e que antes de ser adotada devem ser tentados outros tipos de defesa para evitar o sacrifício da popiulação.
        Está tudo publicado na imprensa de verdade, basta querer saber e pesquisar.
        MAS…
        … Afinal o lockdown teve de ser estabelecido no Amazonas, somente a paertir de 25 de janeiro, e acabou tendo de ser prorrogado até 7 de fevereiro, de modo que usá-lo como argumento contra o lockdown no DF é fria.

    • Altamir, acho você meio débil mental, retardado, abestado e não sei mais o que ! Talvez seja fruto da visão de muito “farwest spaghetti italiano”. Primeiro: o cara é senador da República, maior de idade, vacinado. Se teve alguma coisa escusa no negócio, é e será problema dele com a receita federal. O que que você tem com isto ? Inveja ? Foda-se ele. Segundo: acho você meio retardado e viado também porque imagina alguém comprar algo por 6 milhões “com sobras de rachadinhas” …imagina o salário dos funcionários…e depois eu que bebo. Vá se foder .

  5. @Lorenzonitalo, uma das coisas que ferem a inteligência é o hábito de se querer argumentar com um pretenso exemplo que nada tem a ver – como a tua tentativa de dizer que como o STF mandou o governo pagar pelos leitos de UTI aos Estados ele, o STF, deveria também mandar que os governadores expliquem a destinação do dinheiro que receberam do governo federal.
    Quando o STF decide, ele o faz provocado por parte legítima e segundo a lei (se errar, cabe recurso, e os recursos existem porque juízes às vezes erram, caso contrário não haveria sentido na existência dos recursos).
    Para que o STF ordene aos governadores que deem a explicação que pedes, precisaria o presidente da república, Jair Messias Bolsonaro, pelos meios institucionais a sua disposição, requerer a providência ao STF.
    O STF só age se for acionado, não age por conta própria.
    Como isso tem sido explicado aqui no JBF todos os dias, tu, Italo Lorenzon, que lês este jornal todos os dias, já devias estar careca de saber disso e parar de falar bobagens.

  6. Depois de ler as “argumentações” de dois dos colunistas desse jornal; depois de tentar entender por que diabos pessoas nitidamente de esquerda, que publicam neste jornal, insistem em duelar com comentaristas de um site de direita, que publica esse jornal!; depois de entender que os comentaristas do site de direita se divertem com a situação; depois de estar farto dessa dicotomia, enfim, resolver dar razão aos bobos. Tá, então tá certo, vocês dois tem mesmo razão, estou arrependido, errei, como faço para entrar para sua seita, etc., etc. É sério esse bilete.

  7. Sérgio, saber como funcionam os tribunais, entender que os juízes não agem sem que um processo seja aberto por provocação de parte legítima, são coisas que a direita precisa saber e a esquerda está aqui para ensinar. Explicar isso não significa pregar o comunismo.

Deixe uma resposta para Arthur Tavares Cancelar resposta