FERNANDO ANTÔNIO GONÇALVES - SEM OXENTES NEM MAIS OU MENOS

Todas as áreas mundiais estão sofrendo barbaridades com os efeitos causados por uma terrível pandemia: fome, desemprego, mortalidade, subdesenvolvimento educacional crescente, violência urbana e desestruturação familiar, a exigir posicionamentos serenos dos dirigentes públicos responsáveis. Esta semana mesmo, perdi um enteado muito amado, o André.

Da sempre amiga Lúcia Souza, profissional competente do Paraná, recebi, tempos atrás, o texto abaixo, num cartão de Ano Novo próprio, reproduzido em computador pessoal. Pensamentos que bem deveriam indicar rumos comportamentais para todos aqueles que necessitam reestruturar-se para continuar seguindo adiante, num mundo de cenários múltiplos, díspares e divergentes. De insurgências e ressurgências, como antecipou Gilberto Freyre, sempre inesquecível. Ei-lo:

“Gosto de gente com a cabeça no lugar, de conteúdo interno, idealismo nos olhos e dois pés no chão da realidade. Gosto de gente que ri e chora, se emociona com uma simples carta, um telefonema, uma canção romântica, um gesto de carinho, um abraço e uma ternura. Gente que ama e sabe curtir saudades.

Gosto de gente que cultiva flores, admira paisagens, semeia perdão, reparte vivências e confidências, sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis por mais desgastantes que sejam. Gente que orienta, entende, aconselha, busca a verdade e quer sempre aprender, ainda que a lição advenha de uma criança, de um pobre ou de um analfabeto. Gente de coração desarmado, sem ódio e preconceitos cavilosos. Gente que erra e reconhece, cai e levanta, apanha e assimila os golpes, tirando lições dos erros, fazendo redentoras suas próprias lágrimas e sofrimentos.

Gosto de gente assim, desconfiando que é desse tipo de gente que Deus também gosta”.

Tenho uma imensa compaixão dos que possuem alma pequena. Dos complexados por esse ou aquele motivo. Das que se imaginam corporalmente formosas e se desestruturam com as primeiras rugas. Dos que não entendem a concepção moderna de família, refugiando-se num tribalismo hermético. Dos que não sabem rir, sentindo-se sempre coitadinhos. Das que se imaginam libertas, somente porque não prestam mais contas dos seus atos e andanças a companheiros, superiores ou subordinados. Dos que se arvoram de poderosos quando espezinham humildes, de quatro pés se postando, rabinho entre as pernas, diante de superiores, proclamando covardemente que o outro manda, ele simplesmente obedecendo sem a menor criticidade, para conservar cargo e privilégios. A la general Ernesto Pazuello, que muito desonra as Forças Armadas Brasileiras com suas pantomimas.

Aflige-me bastante a incapacidade daqueles que não sabem transformar “coisas invisíveis” em paz e felicidade, nunca assimilando, porque sempre inculto e dependente, que “o inferno é a incapacidade de amar” (Dostoievski), ignorando também, porque ficou sempre numa superficialidade cognitiva, que foi o próprio Dostoievski quem disse que o único meio de evitar os erros é adquirir experiência, esta somente emergida através dos erros cometidos.

Apreensivo, percebo quão infelizes se estão tornando aqueles que não reconhecem, porque portadores de uma transitividade ingênua, que livrar-se do que não se quer não é equivalente a obter o que se deseja.

Admiro profundamente aquelas pessoas que fecham os olhos para ver melhor. Que sofrem constrangimentos afetivos para ampliarem sua capacidade de integrar-se no Cosmo. Que não menosprezam acasos, pois estes só favorecem as mentes preparadas para os amanhãs pós pandemia.

1 pensou em “BATERIA EXISTENCIAL

  1. Você vai andando e vê um monte de merda .
    Imagina ; eu todo arrumado , limpinho passar perto de um monte de merda?
    mas ali é o caminho ,você ignora a bosta , tapa o nariz , prende a vontade de vomitar , e passa.
    Me senti assim , ao ler esta merda . Eu a li porque estava aqui , no meu
    caminho .mas só li por alto até chegar em Pazuello . Não vou puxar o saco de ninguém , mas duvido que tu , monte de excremento tenha o mínimo de condição e formação moral para chegar aos pés de um general . Estes homens , mesmo os de opinião contrária , não chegam a estes postos sem estudar , e muito !. É preciso haver muita democracia , muita complacência com bandidos , criminosos e imbecis , que pensam que são alguma coisa nesta vida porque leram algum livro . Vai dormir idiota , e depois acorda para a realidade. Eu pessoalmente li muitos , o primeiro e que não era escolar , meu pai tinha em casa , e não sei se era por dogma do partido dele , mas eu li A Origem da Vida aos 12 anos e sei que não era apenas científico , eles o usavam como material anti religioso. Li muitos livros técnicos tanto de mecânica como de elétrica e eletrônica . Mas eu não sou o único no mundo , o mundo não gira em torno de minhas ideias. Eu tenho muitas e enormes falhas .
    Eu critico aqueles típicos idiotas como tu , que se acham , mas não se encontram .
    Excelente fim de tarde amigo !.

Deixe uma resposta