CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Bom dia, caríssimo Berto

Permita-me passar a suas ínclitas mãos, esta colaboração que amigo acaba de me passar, que julguei ser a cara de nosso hebdomadário.

Tinha uma mulher no sertão da Paraíba engasgando os repentistas com este tema:

Sete vezes fui casada
Sete homens conheci,
Por incrível que pareça
Sou virgem como nasci.

Um dia Pedro Bandeira foi cantar na casa do Coronel Cunha Lima, em Areia, e a danada estava lá e inventou de azucrinar Pedro.

Pedro, grande repentista daqueles tempos, não se deixou impressionar e dedilhando a viola, mandou brasa:

Se você não vem com peta
seu segredo se explica
ou você não tem buceta
ou eles não tinham pica”.

1 pensou em “ARAEL COSTA – JOÃO PESSOA-PB

  1. Isso me fez recordar “história” que meu pai contava em minha éoca de menino:
    Uma viúva, ao casar pela 10ª vez, diz carinhosamente ao marido:
    – Benzinho, sou virgem!
    – Como ? – disse o marido
    Pois não foste casada 9 vezes?
    – Sim – disse ela – Mas aconteceu o seguinte:
    O 1º era político, só prometia e não cumpria
    O 2º era bancário, só entendia de fundos
    O 3º era poliglota, só entendia de línguas
    O 4º era massagista, só esfregava
    O 5º era caçador, só gostava de viado
    O 6º era médico, só examinava
    O 7º era juiz do interior, não tinha vara
    O 8º era coveiro aposentado, não enterrava mais nada
    O 9º era perfumista, se contentava só com o cheiro.

Deixe uma resposta