23 pensou em “A PRÁTICA DE TORTURA NA DITADURA TOGADA

  1. Direitos Humanos ?
    Vidas negras importam ?
    Justiça ?

    Alguém que faça parte ‘da grande mídia ” vai usar algum destes argumentos para defendê-lo ou vão esperar que morra tal qual os prisioneiros políticos cubanos ?

  2. Pois é …….

    Não consigo entender como uma cafajestada desta continua no Brasil como se nada estivesse acontecendo de errado com este inquerito do fim do mundo, inclusive aprovado pela turminha de degenerados……

    Aonde vamos parar com este tipo de intimidação, barata, porca, desonesta e canalha dos Super
    Trambiqueiros Fdp’s

    Que nojeira ……. tsk Tsk Tsk

  3. Tentei ontem tirar apenas 3 palavras do Goiano à respeito desta nojeira toda, ele, um homem que preza pelos Direitos Humanos e não aceita a tortura nem em bandidos.

    Bastava dizer: “Eu condeno isso” e pronto eu estaria satisfeito de ver que ele trata tanto alguém de direita, como de esquerda da mesma forma no que diz respeito aos Direitos Humanos.

    Goiano falou, falou, falou e nem chegou perto destas 3 palavras.

    O máximo que consegui foi ele confessar que para ele, uma pessoa presa sob custódia da polícia tem que ser algemada, não importa se seja José Dirceu ou O. Eustáquio paraplégico sob uma maca. O Lula? Jamais em tempo algum e sob qualquer hipótese, afinal, ele é mais inocente que Jesus Cristo..

    Sabem o nome que dou a isso? Hipocrisia da esquerda.

    • Eu vou acabar pondo coisas na tua boca, João Francisco: Eu disse algemas para todos, fotografias de todos, presos ou transeuntes, acabar com essa palhaçada.
      Assim, acho desonesto dizeres que eu fiz reserva a Lula.
      Direitos humanos tambérm, para todos (não só para os bons, como a burrice direita costuma reivindicar).
      Se Oswaldo Eustáquio está tendo direitos desrespeitados pelo poder público, cabe reclamar aos órgãosd próprios, que certamente agirão se verificarem o desrespeito.
      Por enquanto, a prisão tem sido dada como legal, ao que tudo indica foi dada vista ao acusado, por seus advogados, do teor do inquérito, e é de lamentdar o acidente que ele sofreu na prisão – e é possível que os advogados dele acionem a justiça contra o Estado uma vez que ele estava sob sua tutela quando o acidente ocorreu.
      O máximo que conseguiste não foi obter o que querias ouvir, mas um calhamaço com os dados disponíveis sobre o assunto, em alguns comentários que escrevi. Raramente dou respostas curtas, porque pretendo deixar claro o que estou falando e debatendo, o que não é o caso de comentaristas que se limitam (o que não é em geral o teu caso) a xingar, a fazer muxoxos e a dizer palavrinhas bobas e vazias.
      Vai lá, volta e lê com cuidado meus comentários, anota e vem conversar direito.
      E pode vir até algemado, tu e Lula, no mesmo par.

      • “Se Oswaldo Eustáquio está tendo direitos desrespeitados pelo poder público, cabe reclamar aos órgãos próprios, que certamente agirão se verificarem o desrespeito. Por enquanto, a prisão tem sido dada como legal…..”

        Sabe Goiano, Rui Barbosa já dizia: “a pior ditadura é a do juduciário, pois contra ela não há a quem recorrer”

        Alguma dúvida de que a Suprema corte deste país age contra a CF ao prender alguém que não é réu, que não tem uma acusação formal; cujas supostas vítimas são, ao mesmo tempo, investigadores, acusadores e juízes? A quem recorrer contra Eles, se os mesmos além de tudo são os agentes recursais?

        Não precisa responder, pois v. ainda vê justificativa nisso.

        Hoje eles agem contra um adversário seu, amanhã pode ser um aliado ou v. mesmo, aí v. não vai poder reclamar.

        • Meu prezado João Francisco, é preciso aprofundar as análises, especialmente quando se trata de matéria jurídica.
          Primeiro vou dizer que sim, é verdade, quando o andamento de alguma coisa é a meu favor eu vou procurar os argumentos nesse sentido. Desse modo, se Oswaldo Eustáquio fosse um safado de um esquerdista petralha defensor do Lula e sua gangue eu estaria à cata de argumentos favoráveis a ele: – Quem puxa aos seus não degenera.
          Esse tipo de, digamos assim, viés é em geral inconsciente, de modo que, no caso do Oswaldo Eustáquio, como está correndo, tu te apegarás ao preenchimento e reforço de teu sistema de crenças e de tua escala de valores, o que é formidável nos debates, pois de outro modo teríamos um mundo choxo.
          Vamos aos fatos:
          O processo no qual o Oswaldo Eustáquio está enquadrado não foi inquérito montado contra ele, especificamente,
          Trata-se da Portaria GP 69/2019 da Presidência do Tribunal, que determinou a abertura do procedimento investigativo.(se quiser, veja o teor da Portaria aqui: https://www.conjur.com.br/dl/comunicado-supremo-tribunal-federal1.pdf ).
          Um partido político que vem sendo considerado de esquerda ou, em hipótese mais branda, de centro-esquerda, foi justamente ele, o Rede Sustentabilidade, que ajuizou Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 572 , alegando a incompetência do STF: o documento, segundo o partido, não indicou ato que tenha sido praticado na sede ou nas dependências do STF, quem serão os investigados e se estão sujeitos à jurisdição do Tribunal. O partido afirma que não compete ao Poder Judiciário, exceto em raras exceções, conduzir investigações criminais e aponta também a necessidade de representação do ofendido para a investigação dos crimes contra a honra e a falta de justa causa para a instauração de inquéritos por fatos indefinidos.
          Para o Rede Sustentabilidade, esse não era o caso das “raras exceções” nem do resto.
          A matéria foi relatada pelo Fachin, que explicou seu entendimento de que o inquérito é legal – e eu vou permitir-me, para não escrever laudas e laudas laudatórias, como costuma ser o caso, indicar onde podes ler as razões do relator: http://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=445278&ori=1#:~:text=Segundo%20ele%2C%20a%20instaura%C3%A7%C3%A3o%20do,apregoada%20desobedi%C3%AAncia%20a%20decis%C3%B5es%20judiciais.
          Não é admissível dizer “não estou de saco para ler”, porque quem quer saber precisa se esforçar, senão fica dando voltas dentro de sua própria cabeça.
          Pois bem, respondendo a tua pergunta, eu posso ter dúvida sim, mas preciso de muito argumento para derrubar o voto do relator do STF e mais ainda para convencer os dez, dos onze magistrados, que votaram a favor da regularidade do procedimento.
          Bem, cabe à Rede Sustentabilidade ingressar com os recursos que julgar cabíveis, se já não o fez.
          Agora, veja só: tu és um cabra neutro e dirigente de um órgão de defesa dos direitos humanos, te deparas com um caso onde os procedimentos legais foram formalmente cumpridos e juridicamente sustentados em determinado sentido, tens um investigado dentro desse inquérito de conformação legal o qual recebeu ordens judiciais, as descumpçriu, foi restringido em prisão domiciliar, não a cumpriu, perdeu o direito e assim vai o andar da carruagem, sendo que também não consta que o investigado tenha sofrido constrangimento, tortura ou qualquer tipo de violência na prisão, noticiando-se que acidentou-se na cela e está com sua saúde comprometida.
          Tu tens um caso para agir quanto ao desrespeito a direitos humanos?
          A OAB, que como eu já informei fez por uma seccional e pela direção nacional reclamação formal a respeito de determinada irregularidade nesse caso pode ser considerada inativa quanto ao caso do investigado?
          Então, eu te acuso: não sabes do que estás falando.
          Para completar rebato mais o que disseste ao final, que quando acontecer com um aliado meu eu não vou poder reclamar: Vou sim! E vou reunir todos os argumentos que favoreçam a minha posição (caso os argumentos existam – e no caso do Oswaldo Eustáquio argumentos existem, tanto que o partido político de esquerda entrou com a tal ação e tu tens também os teus argumentos, fajutos mas argumentos).
          Enfim, estamos em um governo de direita, não estamos em Cuba, nem na China, nem na Coreia do Norte, e aqui corre a democracia plena, apesar de Jair Messias Bolsonaro ter seus arroubos autoritários.

      • Ah, Goiano, realmente quanto ao uso de algemas v. não fez reservas nem ao Lula, mas nem precisava, afinal aqui mesmo no JBF v. já reconheceu que tem uma paixão incontida para com Ele.

        É normal que este tipo de psicopatia para com as paixões incontidas nos deixem ser ver a realidade ou a justiça.

        Me desculpe se eu interpretei errado e sua paixão para com o Lula acabaria se ele fosse condenado por crimes contra a pátria, ao ponto de ser algemado ao ser levado a um presídio.

        • João Francisco, a minha paixão por Lula é apenas um exagero oratório, ao qual as pessoas se apegam para passar aods outros a ideia de que minhas convicções são toldadas por esse sentimento exagerado.
          Não tenho paixão por Lula, sou apaixonado por Justiçã Social. Lula realiza na medida do possível políticas de Justiça Social.
          Quanto ao uso de algemas, para que fique bem claro e não acredites que eu tenho restrições, insisto: – Se eu for suspeito de algo e vierem me prenders podem algemar, porsque, culpado ou inocente, se puder eu fujo!
          E uma observação final: – Os casos de Lula ainda não terminaram, a justiça farda mas não talha.

        • João Francisco, a minha paixão por Lula é apenas um exagero oratório, ao qual as pessoas se apegam para passar aos outros a ideia de que minhas convicções são toldadas por esse sentimento exagerado.
          Não tenho paixão por Lula, sou apaixonado por Justiçã Social. Lula realiza na medida do possível políticas de Justiça Social.
          Quanto ao uso de algemas, para que fique bem claro e não acredites que eu tenho restrições, insisto: – Se eu for suspeito de algo e vierem me prenders podem algemar, porque, culpado ou inocente, se puder eu fujo!
          E uma observação final: – Os casos de Lula ainda não terminaram, a justiça farda mas não talha.

      • Em carta de próprio punho, jornalista Oswaldo Eustáquio denuncia agressão de policial e pede socorro – Perfil News – Notícias de Três Lagoas e região
        5-6 minutos

        Você ficará sem visita da família e vamos proibir a entrada do seu advogado. “Cadê o Bolsonaro? Você está preso e eu sou o Estado e meu papel é transformar sua vida em um inferno”

        (*) Jornal da Cidade On line

        O jornalista investigativo Oswaldo Eustáquio, preso desde o dia 21 de dezembro do ano passado, escreveu longa e detalhada carta, encaminhada ao Jornal da Cidade Online, para esmiuçar como tem sido a sua rotina de prisão e o tratamento dos agentes penitenciários pagos pelo Estado para manter a saúde e integridade física dos encarcerados.

        No início do relato, Eustáquio “abre” a carta dizendo que os agentes penitenciários desconfiaram de uma possível trama para resgatar o profissional de imprensa do Hospital Regional de Paranoá, em Brasília, onde ele está internado para tratamento das sequelas de queda sofrida dentro do Complexo Penitenciário da Papuda; onde estava preso, preventivamente.

        “Em uma hora da manhã do meu 31º dia de prisão. Precisamente, no dia 16 de janeiro, fui questionado pelo policial se eu tinha um primo com gol branco. Informei que meus primos não vivem no DF (Distrito Federal). O policial estava em conversa com o seu adjunto, Renan, que desconfiou de um possível resgate. Acham que havia uma trama para uma suposta fuga. Solicitei que fizessem uma ocorrência na Polícia Militar”.

        E completou:

        “Eles não quiseram fazer. Ou seja: não estavam preocupados com a minha integridade física. Quando descartou a pífia desconfiança de fuga, ignoraram a situação; mesmo com o risco eminente de ser uma emboscada”, declarou o jornalista, acrescentando que um dos seus algozes é esquerdista declarado. “Renan, o agente, é um esquerdista declarado e prevaricou ao não avisar a Polícia Militar; mesmo que para registro”.

        Como se não bastassem o sentimento de insegurança e a ausência da família, o comunicador demonstra temer pela vida; já que, na tarde do domingo (17), foi agredido por agente do presídio, onde é mantido em cárcere ilegal há 32 dias. O autor da agressão seria o policial “Pacheco”, da Papuda. Ele, por duas vezes, chutou as pernas de Eustáquio, que estava na cadeira de rodas em consequência de uma queda em dezembro do ano passado na cela em que estava e que culminou na perda dos movimentos dos membros. Na ocasião, Eustáquio estava sob a custódia do DF, no presídio da Papuda.
        Em dezembro do ano passado o ministro Alexandre de Moraes do STF determinou a prisão preventiva do jornalista Oswaldo Eustáquio (Foto: Divulgação)

        Oswaldo contou que a agressão foi motivada após a esposa do jornalista levar até a recepção do hospital uma sunga para que Eustáquio inicie o tratamento de Hidroterapia no excelente hospital em que está internado. Sem razão aparente, Pacheco impediu que o material para o tratamento fosse entregue ao jornalista pela equipe do estabelecimento e, questionado pelo comunicador sobre a ilegalidade da medida, foi agredido de forma covarde.

        Após o ato de violência, o policial penal ficou nervoso e avisou o chefe no presídio, que o afastou da escolta, logo após o ocorrido. O agente utilizou, indevidamente, o nome da juíza de Execuções do Distrito Federal, Leila Cury, para justificar as agressões física e moral a Eustáquio. Aparentemente, desnorteado, Pacheco voltou ao hospital, às duas horas da manhã, na tentativa de tramar com um colega, que se negou a falar o nome, um relatório fraudado com o objetivo de criar uma narrativa para amenizar a agressão e tentar escondê-la.

        “Durante a madrugada, eles gritavam e davam risada, regozijando-se e celebrando a agressão ter sido abafada. Entraram no quarto e começaram a zombar de mim: cadê o Bolsonaro? Você está preso e eu sou o Estado e meu papel é transformar sua vida em um inferno”, disse o tal agente, colega de Pacheco, recusando-se a dizer o nome.

        “Procure meu nome no relatório que vai te ferrar. Já falei com o Anderson Secretário de Segurança do DF e ele disse que vai falar com a Dra. Leila Cury para te ferrar e indeferir todos os seus pedidos. Você ficará sem visita da família e vamos proibir a entrada do seu advogado”, ameaçou o desconhecido agente da escolta.

        “Vamos ‘arrochar’ o Hospital para diminuir seu tempo de tratamento e, lá, no presídio, vamos acabar com você”, gritou, finalizando as ameaças.

        Veja a carta escrita por Oswaldo Eustáquio:

        • Airton, eu já tinha lido a carta do O. Eustáquio.

          Vou te dar apenas uma dica, siga-a se quiser.

          Se tiver uma reportagem para indicar, coloque aqui apenas o link, copie apenas se for coisa pequena e se servir para ilustrar seu comentário.

          Comentários longos já são cansativos, uma cópia de reportagem inteira então…

          É só uma sugestão.

          • Vou repetir pra você. Alguns links só lidos por assinantes. Nem sei se seria o caso da carta.
            Ninguém o obriga a ler, mesmo porque este foi colocado num comentário do Goiano, e não tinha a intenção de provocá-lo, e sim colocar a discussão de quais entidades defendem quem e o que.

            • Airton, não vi como provocação este seu comentário, ao contrário, achei pertinente a referência à carta do Jornalista Oswaldo Eustáquio, pois abordou um ponto em que eu não havia colocado no debate com o Goiano..

              Se não quer seguir a dica que dei de evitar de copiar e colar reportagens, tudo bem, não se melindre.

              No mais achei ótimo v. participar do debate que havia entre eu e o Goiano, pode se sentir à vontade.

              • Eu procurei pelo nome do Oswaldo pra saber se encontrava alguma menção sobre manifestação ,por exemplo , da Anistia Internacional ou dos Direitos Humanos ( aquele que sempre aparece quando a policia mata um bandido ) e nada .
                OAB , menos ainda .
                Algum sindicato ou associação de jornalista , idem .

                • Airton, eu também já havia procurado alguma manifestação contra este caso flagrante de desrespeito a um Direito Humano básico de um Jornalista. Veja bem, ele foi proibido até de se comunicar com um morto

                  https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/26539/em-decisao-estapafurdia-moraes-proibe-eustaquio-ate-de-se-comunicar-com-um-morto

                  Como ele não é de esquerda, é evidente o silêncio de todos, inclusive do Goiano.

                  • Não há, João Francisco, “silêncio” de minha parte. Costumeiramente, argumentas com suposições (deverias ter-se candidatado a assessor do então juiz Sérgio Moro, que adora isso) – quando não colocas palavras na minha boca…
                    Desde que começou esta conversa, venho apresentando o que pesquiso a respeito e o que é possível saber com bases em fontes confiáveis (Jornal da Cidade… valha-me Deus!). Esse jornal online é muito conhecido por seus desvios informativos (Por exemplo: “O site Jornal da Cidade Online faz parte de uma rede articulada de desinformação que compartilha estratégia de monetização por meio de anúncios com o site Verdade Sufocada, mantido pela viúva do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra (1932-2015), Joseita Brilhante Ustra. Integrante de uma cadeia organizada de republicação de conteúdo identificado com a extrema-direita, a página do coronel é, além de um memorial ao primeiro militar condenado por sequestro e tortura durante a ditadura, um índice de publicações falsas ou enganosas a respeito não só do regime, mas também do governo Bolsonaro.”).
                    Trata-se do seguinte: até o momento os órgãos de defesa dos direitos humanos devem ter verificado excessos em relação ao Oswaldo Eustáquio, pois essas entidades defendem até mesmo bandidos, quando sofrem agressões por parte do Estado. Mas,, ao contgrário do que dizes, a OAB, quando acreditou que os direitos dele estavam sendo desrespeitados, manifestou-se, sim. Era o caso do susposto impedimento do acusado aos autos do inquérito.

                • Airton, tanto a OAB nacional quanto à regional se manifestaram quando foi o caso, e foi a respeito do acesso do acusado, por seus advogados, ao conteúdo do inquérito.
                  As entidades não se movimentam quando tu achas que elas devam agir, mas quando há elementos que rcomendem sua ação.
                  Entretanto, çpodes escrever para a OAB e para as edntidade4s de direitos humanos, inclusive o Ministério da Damares, tomando satisfação.
                  Em tempo: Se os advogados do Oswaldo Eustáquio não estão tomando providências quanto aos abusos sofridos por ele esses advogados estão dormindo.

                  • Goiano, afinal, consta ou não dentre aas proibições do Ministro A Moraes ao Jornalista Eustáquio a de não entre em contato com o falecido Senador pelo RJ Arolde Oliveira?

                    Seria isso invenção do site jornal a cidade on?

                    Se for eu nunca mais leio este site

  4. Este é o maior exemplo do apocalipse moral que estamos vivendo.

    Para mim, não há perdão para o que os apreciadores de medalhão de lagosta e vinhos premiados (sempre às nossas custas) estão fazendo.

    O simples fato de ousarmos nos contrapor a esta gangue maldita já é suficiente para que sejamos trucidados por esses facínoras travestidos de juízes. Só não o fizeram ainda com todos nós porque somos muitos. Fica difícil massacrar a todos. Pegam um para Cristo e esse é esfolado.

    MALDITOS SEJAM PARA TODO O SEMPRE!!!!
    QUE AS PENAS DO INFERNO NÃO LHES SEJAM LEVES!

  5. Em tempo: Se os advogados do Oswaldo Eustáquio não estão tomando providências quanto aos abusos sofridos por ele esses advogados estão dormindo.

    com a atual imprensa você ( Goiano ) acha que isso seria ou será noticiado ?

    https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2021-01-26/atos-antidemocraticos-pf-diz-ao-stf-que-nao-encontrou-elementos-acusatorios.html

    E mesmo assim o Oswaldo Eustáquio continua preso .
    Pra quem ele deve recorrer mesmo ?
    Corte de Haia ?

    • Airton, se queres mesmo saber das coisas, leias os diversos comentários.

      Quanto a quem recorrer, sim, pode ser também a tribunais ingternacionais.

      Mas os advogados do Oswaldo Eustáquio devem recorrer so próprio Supremo, se houver base para isso.

      Mas… (Sanchopancista mas…), envias o link mas não leste a matéria atentamente, ou te deixaste levar pelos tais viéses (viés é fogo!).

      Essa matéria, em dado momento, explica que “o relatório (da PF) foi enviado em dezembro de 2020 para o ministro do STF pela delegada Denisse Dias Ribeiro, porém eles focam direcionados a PGR, onde permanecem até o momento” (a notícia que enviaste é do dia 21 de janeiro de 2021, é possível que a situação permaneça a mesma).

      Ou seja: para o STF o relatório da PF ainda não dispõe de “força” para determinar o fim de investigações e muito menos a soltura de presos.

Deixe uma resposta