VIOLANTE PIMENTEL - CENAS DO CAMINHO

O comportamento humano é cheio de manias e esquisitices. Há pessoas que quando não tem problemas, arranjam. A felicidade bate à porta, mas elas estão sempre chutando o balde e jogando a felicidade fora.

Pois bem. Valter e Amarílis formavam um casal perfeito, pois o fator que os unia era o amor. Ele sempre dizia confiar piamente na esposa. Entretanto, não gostava de vê-la produzida, isto é, com roupas sensuais, maquiagem, unhas e cabelos feitos, pois ficava enciumado. Amarílis era belíssima e o marido tinha consciência de que era muito feio.

Ele desconhecia o ditado popular que diz:

“Quem ama o feio, bonito lhe parece”.

Mesmo contrariada, Amarílis era a própria Amélia do compositor Mário Lago, aquela “que era mulher de verdade”. Além de muito bonita, era extremamente virtuosa e simples. Muito feio, baixinho e gordo, Valter era servidor público federal e ela era “do lar”, para sua tranquilidade. O casal tinha dois filhos e a família era feliz.

Levavam uma vida simples. Iam muito ao cinema, e aos domingos iam à Missa das 19 horas.

Amarílis chamava a atenção de todos e causava muita inveja às mulheres. Era morena clara, olhos cor de mel, alta, corpo escultural e cabelos castanhos, lisos e longos.

Aos domingos pela manhã, o casal costumava ir à praia, com os dois filhos pequenos. Quando Amarílis ficava de maiô, todos os olhares convergiam para ela. Os motoristas eram muito gentis e paravam, espontaneamente, para que o casal e os filhos atravessassem a rua. Faziam isso para apreciar a beldade que desfilava à frente deles.

Em todas as conversas com os amigos, Valter tinha a mania, quase neurose, de falar da beleza da sua mulher e da sua feiura. Achava que ela merecia ter casado, com um homem bonito igual a ela. Tinha complexo de feiura e isso o incomodava muito. Ele mesmo, sem querer, despertava o interesse dos amigos por Amarílis.

Certo dia, visitando um amigo, Valter, sempre repetitivo, confessou sentir-se o homem mais infeliz do mundo, por ter uma esposa tão bonita. Disse-lhe que preferia ter se casado com uma mulher feia.

Esse amigo, dessa vez, perdeu a paciência e retrucou:

– Por que você não se separa logo dela e acaba com essa lenga-lenga? Arranje uma mulher feia como você! Parece que o que você quer mesmo é ser CORNO!

Valter nunca mais tocou nesse assunto e se afastou dos amigos.

4 pensou em “A INSATISFAÇÃO

  1. Violante,

    Uma belíssima crônica que os leitores fubânicos têm oportunidade de ler neste feriado. Acredito no ditado popular: “Quem ama o feio, bonito lhe parece”. Conheço alguns homens feios casados com mulheres belas. Elas são ciumentas por mais incrível que isso possa parecer. Para provar o meu argumento, compartilho estas estrofes do poeta popular Bosquim glosando sobre o mote:

    Um homem feio provoca
    Mais ciúme que um bonito

    Eu vou provar um tal fato
    Se for preciso eu repito
    Que a mulher de um homem feio
    Zela dele com aflito
    Isso não é discrepância
    Nem sobra de ignorância
    Nem muito menos um mito
    Não é caso de fofoca
    Um homem feio provoca
    Mais ciúme que um bonito.

    A mulher de um homem feio
    Vive sempre em conflito
    Mas não é com ele não
    Com ele não tem atrito
    Mas vive só na sofrência
    Com medo da concorrência
    Isso lhe causa agito
    Não lhe convém uma troca
    Um homem feio provoca
    Mais ciúme que um bonito.

    Geralmente o homem feio
    Tem um coração restrito
    Por isso que sua amada
    Tem por ele favorito
    Quer ele sempre na mão
    Como se fosse um cão
    Se pudesse usava apito
    Preso tal fio na roca
    Um homem feio provoca
    Mais ciúme que um bonito.

    Mulher que perde homem feio
    Emagrece qual mosquito
    Vive só na roedeira
    Com os olhos no infinito
    Não quer aceitar palpite
    Lhe falta até o apetite
    Enjeita até peixe frito
    Mete a cara na ipioca
    Um homem feio provoca
    Mais ciúme que um bonito.

    Por qual motivo não sei
    De tal assunto descrito
    Eu só sei que isso é fato
    Nem é moda, nem é rito
    Como a bela e a fera
    A mulher um dia espera
    Um príncipe lá do Egito
    Pra agarrá-lo qual judoca
    Um homem feio provoca
    Mais ciúme que um bonito.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  2. Obrigada pelo generoso comentário, prezado Aristeu Bezerra! Realmente, “quem ama o feio, bonito lhe parece”, como diz a sabedoria popular.

    A beleza interior, composta pela inteligência, bondade e firmeza de personalidade, o tempo não apaga. Ela complementa e, às vezes, até substitui a beleza física.

    Obrigada por compartilhar comigo os versos do poeta popular Bosquim, glosando sobre o mote:

    “Um homem feio provoca
    Mais ciúme que um bonito!” Adorei!!!

    Violante Pimentel

Deixe uma resposta