5 pensou em “SÓ EM BANÂNIA MESMO

  1. Guzzo, vamos por partes

    O Lewandowski por enquanto apenas enviou ao plenário as ações propostas por partidos políticos, o que é sua função (evitar decisões monocráticas). O que o plenario vai decidir são outros 500.

    E o grande culpado é o governo que está se omitindo no debate. Bolsonaro está escondido atrás de uma caixa de HCQ, em vez de comandar todo o processo (não, Guzzo, o Pazzuello não faz nada sem a aprovação do chefe, e mesmo assim leva rasteiras).

    O real debate deveria ser a elaboração de um plano nacional de vacinação (não obrigatória) e a gratuidade da vacina.

    Quem quiser se vacine, quem não quiser não se vacine. É só Executivo e Legislativo se acertarem e evitar a judicialização.

    No fundo, seu post é faccioso e desinformante para um jornalista de seu porte.

      • Acordaste de ressaca, hein? As vacinas existem, só ainda não terminaram a fase 3 e daí para a solicitação de aprovação pela Anvisa. E o Brasil vai ser pioneio com muitos outros, EUA, Inglaterra, etc…

        BTW, eu tenho imenso orgulho em ser brasileiro, a despeito dos políticos e juizes; jamais chamaria meu país de banânia.

        • E …. as indústrias farmacêuticas querem , na Europa , que o contrato as isentem de processos futuros em decorrência de efeitos colaterais da ” vacina ” .
          Lembra da talidomida ?

  2. Para quem oferece candidaturas para pessoas usando os nomes mais bizarros, esperar o que? Ah, esses candidatos recebm o suficiente para fazer mais ou menos 1000 “santinhos” mas nas contas apresentadas pelo partido o gasto de cada um deles é de aproximadamente 1000000 de “santinhos” e gastos com gasolina suficiente para viajar do Oiapoque ao Chui usando um daqueles carros economicos (Galaxy 500 ou Dodge Charger). Se os partidos perderem essas ações, vão inventar mais umas (muitas) ações.

Deixe uma resposta