4 pensou em “MERECE UM TANGO ARGENTINO, EM VERSÃO DUPLA

  1. Quando na Argentina me perguntaram se eu gostava de Peron, eu respondi que não, pois preferia Carlos Gardel.
    Peron já apodreceu e desapareceu.

    Carlos Gardel, os argentinos garantem , está cantando cada vez melhor.

    Eu concordo plenamente, ,pois até hoje não apareceu alguém que se lhe compare
    ao interpretar um tango mágico e sensual.
    Não existe tango sem sensualidade.
    Capisce ?

  2. Eu me lembrei de D. Chiquinha do Fole (o apelido não tinha nada a ver com o instrumento), prostituta arrependida dos tempos que se chamava Dolores, beata depois de velha, que pariu dois meninos de uma vez só no Cabaré da Bica, quase zona rural de São Saruê.
    Os gêmeos eram gênios!
    Um se formou em Medicina, o outro em Direito (o pai ignorado na certidão de nascimento nunca ficou sabendo).
    Enquanto o médico salvava vidas, o advogado se metia em crimes.
    Dona Chiquinha encarnava Dolores e só elogiava nas rodas da igreja o advogado.
    Coisas de mãe.

  3. Só queria saber qual é o motivo da comemoração para os 2 primeiros itens ?
    O autor esperava mesmo que a Interpol aceitaria um imposição do Xandão como fez o Facebook ? Ou ele acha que a Interpol aceitou uma interferência (?) do Bolsonaro ?
    Ele também esperava que o Tribunal de Haia aceitaria a papelada do Renan como provas de genocídio cometido pelo Bolsonaro , sabendo-se que a palavra foi retirada das acusações ?

Deixe uma resposta