5 pensou em “DOIS LINDINHOS CONTRA O FASCISMO

  1. A conversa pode ter tido de tudo, porém não foi de amenidades.

    Freixo foi defender a sua parte na divisão do poder, por “aceitar” a união Lulla / Alckmin.

    A campanha eleitoral já começou faz tempo.

  2. Não consigo. Não dá. Como pode um homem que já foi governador por 3 vezes, traído por José Serra, FHC, Dória (eca), ser mesmo assim bem avaliado pelo eleitorado e tentar mais uma vez ser traído? E pagar os votos que teve com traição?
    Um homem que viu de perto uma rodovia importante de seu estado ser tomado por motos, com pessoas vestindo verde e amarelo em apoio ao presidente do Brasil, e que viu esse personagem lotar avenidas em seu apoio. Milhões de brasileiros. Clamando, na verdade exigindo lisura e honestidade com a coisa pública. Como é possível um ex-governador respeitado se expor a tamanha insensatez? Como pode se aliar a um ladrão condenado, por ele mesmo combatido durante décadas? Será que a ideologia que professa é assim tão poderosa que o tal teatro de tesouras permite até mesmo alianças criminosas com gente comprovadamente nojenta, apenas para atingir um objetivo que ninguém honesto quer? Defecar sobre seu próprio passado por um projeto de poder que sabemos todos ser criminoso, vale quanto a pena?
    Você, leitor/eleitor, apoia essa sujeira?

Deixe uma resposta