9 pensou em “AQUI TAMBÉM…

  1. Trump vai deixar os chineses sem grana?

    “Estou muito decepcionado com a China”, disse Donald Trump durante uma entrevista à Fox Business Network.

    O presidente norte-americano (amado pela esquerda mundial, que possui verdadeira fixação pelo DONALD), foi perguntado sobre qual seria o relacionamento com os chineses daqui em diante, e então respondeu que os EUA economizariam dinheiro rompendo as relações. “Há muitas coisas que poderíamos fazer. Poderíamos interromper todo o relacionamento. Economizaria US$ 500 bilhões”.

    Como comércio exterior é deixar de comprar de A para comprar de B… O B me lembra Brasil… Estou errado? Seria ótima boa parte dos 500 bilhões de dólares da gringolândia entrando na economia brasileira. Com a palavra os “economistas bestafubânicos” altamente especilaizados…

  2. A comunistada está exultando com o virus chinês. A praga está fazendo o que eles mesmo não conseguiram ao longo de um século. !

  3. Leandro Rushel, via twitter, teve esta tirada de ótimo humor, hoje:

    – O ministro Celso de Mello dá 24 horas de prazo para que o Covid-19 explique por que não infectou Bolsonaro.

  4. O presidente do sindicato Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região, Henry Chmelnitsky explica a dramática situação do setor:

    – O segmento não aguenta por muito tempo. Inúmeros estabelecimentos fecharam. Hoje, mais uma morte: Charlie Brownie Pub acaba de encerrar suas atividades. E, com a continuidade da proibição, outros vários também irão fechar. O setor, que emprega uma quantidade enorme de trabalhadores, teve que demitir seus funcionários para poder permanecer vivo. Os bares e restaurantes podem operar com segurança sanitária de forma mais efetiva que hipermercados, por exemplo, que recebem milhares de pessoas por dia. É necessário evitar que a já caótica situação se transforme em terra arrasada permanentemente”.

  5. Há controvérsias quanto ao remédio matar mais gente do que a doença, como pode ser o caso da cloroquina.
    Vamos aos números.
    Pelos dados oficiais, os óbitos correspondem a sete por cento dos casos de contaminação comprovados.
    Vamos considerar, para efeito de um raciocínio menos pessimista, que haja subdimensionamento dos relatos de contaminação, mas não de óbitos.
    Digamos, para efeito de uma projeção cujos dados são insuficientes que os óbitos não correspondam a sete por cento dos casos de contaminação, mas a um por cento.
    O Brasil tem cerca de 210 milhões de habitantes.
    Nesse caso, se houver a liberação geral, poderíamos ter toda a população do Brasil contaminada.
    Mas como queremos ser o menos catastróficos possível, digamos que por mais que se extinguisse o isolamento social, metade dos habitantes do País contraíssem o vírus Covid 19.
    Seriam 110 milhões de contaminados.
    Ou um milhão e cem mil mortos.
    Seria como morrerem todos os habitantes de São Luís, capital do Maranhão, vitimados pela epidemia.
    Isso em um panorama possivelmente bem menos realista que a realidade.

  6. Li esses dias que o Japão vai retirar sua base industrial da China. São Paulo que abra os olhos, não demora muito para empresas sediadas aqui procurem paragens mais amigáveis para seus negócios. Não faz muito tempo que aconteceu aqui em São Bernardo do Campo. Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, para citar os mais próximos, não ficariam chateados…

  7. Caro Sérgio,
    Creio que as indústrias que tinham de ir embora, já foram há muito tempo.
    As sucatas que ficaram, porque não eram interessantes para os chineses, vão simplesmente quebrar. Se é que já não quebraram.
    Só vamos ter aqui empregos de prostitutas adolescentes e de garçons e camareiras, todos para atender aos gringos que vierem aqui fazer turismo erótico. Isso só para os que não preferirem ir para Bangcoc atrás de uma Ladyboy.

Deixe uma resposta