CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

PICANHA POR JERIMUM

Eu vi Lula na campanha
Entre promessas que fez
Dizendo “agora é a vez
Do povo comer picanha.”
Mas quem sempre acompanha
As falas desse bebum
Sabe que lhe é comum
O povo ele enganar
E já sugeriu trocar
Picanha por jerimum.

Sem constrangimento algum
Muda o discurso na hora
Só falta propor agora
O povo fazer jejum.
Ficar sem comer nenhum
Dizendo “o povo ganha
Se fizer essa façanha.”
Eu que não sou iludido
Tenho dó do desvalido
Que sonhou comer picanha.

Versos de Zeca Viloso, primo de Caetano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *