GOIANO BRAGA HORTA - ARCO, TARCO E VERVA

A pressão está tão grande sobre a Justiça Eleitoral, com as afirmações no Zap de que ela não tem estrutura nem conhecimento de direito penal para tratar os processos que envolvam crimes comuns, que os primeiros que tiverem seus processos encaminhados para lá estão lascados: a Justiça Eleitoral vai querer provar que condena!

– A carta do Einstein para a filha, que circula pela aí pelo Zap, dizendo que Love is All 💘, é apócrifa, críticos garantem que o gênio da física jamais escreveria tanta baboseira. A carta é cheia de pieguices, diz que existe uma força, o amor, para a qual “não existe uma explicação formal”, que é uma força que “opera todas as outras” e, o máximo, feito para dar credibilidade à autoria de Einstein, nada melhor do que declarar que “o amor é gravidade(!)” porque “faz com que algumas pessoas se sintam atraídas umas pelas outras”. Putz!

– A admirada síndrome de Forrest Gump pode ter tomado conta de Bolsonaro, é o que diz por aí no Zap um petralha safado, moleque e cachorro que adora mimimis. Segundo essa síndrome, o atacado por ela fica desajeitado, tem dificuldade de coordenação motora, ausência do contato visual e também da reciprocidade social e emocional, apesar do desejo de ter amigos. Também existe a excentricidade, como o intenso interesse por um único assunto, rigidez na execução de atividades e forte preocupação com determinados objetos. Será que pode apresentar um esgar no lugar do sorriso?

– O presidente do Senado chileno recusou um convite do governo do seu país para um almoço com Bolsonaro porque nosso mito declarou, no passado, ser admirador do ditador Augusto Pinochet, que, segundo ele, “fez o que tinha ser feito”. Ao que tudo indica, essa doutrina permeia a filosofia vigente, eis que Onyx Lorenzoni, fechando o raciocínio, digamos assim, presidencial, manifestou o lindo pensamento de que Pinochet “teve de dar um banho de sangue para ajeitar a economia do país”. É o mantra de que fins maravilhosos justificam meios cruéis. Mas o Zap também é cruel e disse que o Jaime Quintana Leal que vá catar coquinhos. Só que aí o presidente da Câmara do Chile falou que também não vai ao almoço e aí como é que fica?!

– A diplomacia brasileira está mudando, não se sabe se da água para o vinho ou do vinho para a água. Haja cabeça para entender. O governo Bolsonaro rompeu a tradição e votou na ONU contra os palestinos. Tá no Zap, sem tomada de posição: – O que é que tu achas?
– Bolsonaro, para virar tudo de pernas para o ar mesmo, disse que vai mudar a embaixada brasileira para Jerusalém. O Netanyahu está lá, só esperando. E nós também. Afinal, vai ou não vai? Segundo o Zap, tem de resolver se é coturno ou mocassim.

– A gente quer entrar para o clube dos ricos, mas nem arreganhando as pernas para Trump eles nos admitem na OCDE. Dizem que ofereceram para o Lula e ele não quis. Eu não sei, está no Zap, eu confio.

– O ministro das relações exteriores informal, Eduardo Bolsonaro, disse que de alguma forma vai ser preciso usar a força na Venezuela. Aí o paipai disse que não vai apoiar isso, mas ninguém sabe o que foi que aconteceu naquele salão oval. Aí no Zap-Zap um cabra disse que esse era um governo de malucos, outro falou que Bolsonaro é tosco e eu estou tentando entender afinal o que é política de direita católica apostólica romana e nacionalista marchando com Deus pela família e pela liberdade ao som do Hino Nacional e vou acabar pirando, porque parece que ser de direita é mudar tudo para qualquer lugar, seja qual for, e vamos ver se dá certo, estou torcendo heim?

– Enquanto isso o presidente Bolsonaro compara Maia a uma namorada… Fui!

Deixe uma resposta