GEORGE MASCENA - SÓ SEI QUE FOI ASSIM

Entre 1618 e 1648 ocorreu a Guerra dos 30 anos envolvendo, principalmente, Espanha e França, foi uma das mais sangrentas guerras antes das 2 grandes guerras mundiais. Cerca de 8 milhões de pessoas perderam suas vidas, o motivo da guerra era aumento de território, mas um tratado foi assinado para demarcar a fronteira entre França e Espanha que ficou sendo a cordilheira dos Pirineus e o Rio Bidasoa.

Reunião na Ilha dos Faisões com representantes espanhóis e franceses para celebras o tratado

O tratado não só tratava da fronteira entre os países, mas de outros pontos como do casamento de Luiz XIV e Maria Tereza da Espanha, para que o entrelace ocorresse, Luiz XIV teria de renunciar todos os seus direitos a coroa espanhola e em troca receberia uma indenização de 500 mil escudos franceses, mas a Espanha deu calote no rei o que provocou outra guerra, a da Devolução, que também não atingiu o objetivo e Luiz nunca recebeu essa grana. Como vingança, Luiz lançou seu neto Duque de Anjou candidato a rei na Espanha, mas ai já é outra história.

Cordilheira dos Pirineus, fronteira entre França e Espanha

Para assinar o tratado, marcaram em um lugar neutro, na fronteira determinada no tratado, mais exatamente numa ilha no Rio Bidasoa, a Ilha dos Faisões, um pedaço de terra no meio do rio entre as cidades de Irun na Espanha e Hendaye na França, essa ilha quando o rio está seco dá pra ir a pé sem molhar os pés para o lado da Espanha, foi nesse local que Maria Tereza foi entregue a corte francesa. Após a assinatura, a ilha passou despercebida pelos 2 países como território neutro, qual interesse teria França e Espanha por uma ilhota com a área do tamanho do 2º Jardim na praia de Boa Viagem e sem nenhum atrativo, nem faisões a Ilha dos Faisões tem.

Tela do Google Maps da Ilha dos Faisões. Acima a França e abaixo a Espanha

Em 1856, com a demarcação da fronteira entre os dois países e pela importância histórica da ilha, França e Espanha resolveram transformá-la em um condomínio, território compartilhado entre dois ou mais países de forma pacífica, mas não determinaram de que maneira seria esse compartilhamento e só em 1901 é que fizeram o acordo: a Espanha teria o domínio da ilha entre 1º de fevereiro e 31 de julho e a França entre 1º de agosto e 31 de janeiro de cada ano, eles não perceberam que a “metade” da Espanha é menor que a da França 4 dias ou 3 em anos bissextos, mas os espanhóis nunca se preocuparam com esse detalhe. Não houve problema quanto a cidadania dos moradores já que a ilha é desabitada.

Tela do site Tripadvisor mostrando a atração da Ilha dos Faisões com o monumento que homenageia o tratado

Para conhecer a ilha, há um barco que circula a Faisões sem parar para desembarque, apenas funcionários dos governos acessam a ilha para limpeza e manutenção, fotos só de dentro do barco, embora encontrei fotos avulsas de turistas em terra firme fazendo poses e tirando selfies. Se você procurar no site de turismo Tripadvisor sobre a cidade de Hendaye, achará a atração “Ile des Faisans” com apenas um comentário em francês que o Google traduz assim: “É nesta pequena ilha que Richelieu e Don Luis des Haro concluem a Paz dos Pirineus, um prelúdio ao casamento de Luís XIV com a Infanta da Espanha. Você não pode acessar a ilha, mas uma pequena placa fornece algumas informações úteis e históricas.“

Turistas registrando a suas presenças na ilha

Se você acessar as enciclopédias em busca das superfícies territoriais da França e Espanha em datas diferentes do ano, é claro que estas não mudarão, por questões de lógica, porém os 3.000 metros quadrados da superfície da ilha estarão incluídos nas áreas dos dois países como sendo só sua.

Deixe uma resposta