GEORGE MASCENA - SÓ SEI QUE FOI ASSIM

O transporte aéreo público entre cidades de Pernambuco não é novo.

Nos anos 50 e 60 a Real Aerovias já fazia o pinga-pinga Petrolina-Ouricuri-Salgueiro-Arcoverde-Caruaru-Recife.

Meu pai, Seu Djalma, quando morava em Ouricuri, fez essa viagem algumas vezes e me disse que demorava quase o dia todo, tempo bem menor que o de carro.

Já nos anos 90, a Avianca botou seus jatos Airbus A320 na linha PNZ (código tridígito de Petrolina) a Recife. A Azul entrou na concorrência com os jatos brasileiros Embraer E190.

Em Caruaru, um grupo de empresários criou a NOAR, Nordeste Operações Aéreas, que chegou a ter 2 aviões tchecos Let L410, voando entre Caruaru e Recife com 2 voos diários.

Mas um acidente, no dia 13 de junho de 2011, pôs fim à empresa que tinha pretensão de expansão para o sertão pernambucano.

Mapa de rotas da Real Aerovias de 1961

Em 2017, o governo do estado e a prefeitura de Serra Talhada iniciaram uma reforma para que o aeroporto pudesse receber voos regulares da empresa Azul que se interessou em ter uma ligação entre o Pajeú e o seu principal hub do Nordeste, o Aeroporto dos Guararapes em Recife.

Com a reforma, várias datas para o inicio da operação foram marcadas e adiadas, até um voo com autoridades foi feito para testar a pista do Santa Magalhães em junho de 2018 em um ATR 72-600, mas o voo com passageiros comuns não foi disponibilizado.

Voo teste em 218 só para políticos e empresários com o moderno ATR

No inicio desse ano, a Azul comprou uma pequena empresa de aviação sub-regional que operava os pequenos monomotores Cessna Grand Caravan com capacidade para 9 passageiros, além do piloto e co-piloto.

Essa aeronave encaixou direitinho nos planos da Azul que incluiu Caruaru e o Aeroporto Regional do Pajeú Santa Magalhães (esse é o nome oficial do SET) na sua malha aérea.

Caravan ainda com a pintura da Two Flex

O Grand Caravan é uma aeronave pequena para pequenos deslocamentos, que fará também a ligação de Recife com Caruaru. O interessante é que este avião não tem tripulação de cabine (aeromoça) nem banheiro. Se algum passageiro tiver algum desarranjo intestinal grave, o piloto terá de fazer um pouso de emergência em um aeroporto mais próximo para que o passageiro faça suas necessidades fisiológicas.

Caso necessite falar com o piloto ou co-piloto, não tem aquele botãozinho no teto: é só se dirigir a frente e tocar no ombro de um deles, já que eles estarão com fones de ouvidos durante o voo.

Para se deslocar dentro do Caravan, o passageiro tem que caminhar abaixado para não bater com a cabeça no teto. Os Cessnas que compõe a frota da Azul foram fabricados em 1993, esses 27 anos de serviço não prejudicam a segurança do voo.

Captura de tela de venda de passagens do site da Azul

O tempo de viagem é de aproximadamente 1 hora e 35 minutos. Serão dois voos por dia e a passagem só de ida ou volta custará R$ 423,90 contra cerca de 120 reais do ônibus leito da progresso.

Para uma pessoa de Tabira se deslocar até Recife não é tão compensador, mesmo sem levar em conta o preço.

Quer ver, vamos fazer os cálculos: deslocamento em carro próprio ou taxi: 1h30 (se for de lotação dura bem mais, lembrando que o aeroporto fica a uns 10 km do Centro da cidade); checkin: 1h00 no mínimo; voo: 1h35, tempo entre a parada do avião e a porta do aeroporto: 30 minutos. Total: 4h35.

O ônibus da Progresso leva em média 6 horas e meia até o Derby.

Imagem do acidente do Caravan da TwoFlex em Manaus em 2019

Em 2019 um Cessna desses, ainda da TwoFlex, se acidentou no aeroporto de Manaus, segundos após a decolagem.

Os dois pilotos e oito passageiros sobreviveram, alguns em estado grave.

E ai tem vontade e coragem?

Vai no site da Azul que os bilhetes já estão disponíveis.

12 pensou em “VOCÊ VOARIA EM UM AVIÃO QUE O “BOTÃO” DE CHAMAR OS TRIPULANTES É O OMBRO DO PILOTO?

  1. Confiança é tudo

    Alguns professores de uma faculdade de engenharia foram convidados a entrar em um avião.
    Após todos se acomodarem confortavelmente, eles foram informados de que o avião havia sido construído por seus alunos.
    Todos eles levantaram e correram desesperadamente para fora do avião, quase em pânico.
    Somente um professor permaneceu sereno e sentado em seu lugar. Quando lhe perguntaram o motivo de tanta calma, ele explicou:
    “Sei da capacidade dos meus alunos, se foram eles que construíram, essa merda não vai nem dar a partida…”

  2. Se o piloto é competente e a manutenção está em dia, não vejo problema em voar de Grand Caravan.

    O problema que eu vejo é que estas linhas só existem para agradar políticos e cumprir cotas para ganhar subsídios. Não dão lucro e nem foram feitas para isso. Consequentemente, funcionam aos trancos e barrancos, começa-e-para, ao sabor da política do momento.

    • Marcelo, não acho que é o caso de Serra Talhada. Lá tem um centro médico regional eficiente, faculdades particulares, estadual e federal e órgãos públicos em que pessoas se deslocam para trabalhar e retornam para a capital. Com 90 passagens por semana não será difícil de dar lucro.

Deixe uma resposta