JOSÉ NARCELIO - AO PÉ DA LETRA

Conversando com um amigo de muitos anos ele se queixou de que uma sua neta, com pouco mais de sete anos de idade, mantém verdadeira aversão por frutas. E que não há forma de fazê-la, sequer, experimentar o sabor do alimento razão de sua repulsa.

Segundo ele, os pais da criança imaginaram tratar-se de um transtorno típico da infância, porém, mesmo com o processo de crescimento o nojo se ampliava, ao ponto de a menina não tocar, não suportar ver, tampouco permanecer em local onde houvesse uma bandeja com frutas.

Quando buscaram alguma solução na medicina disseram-lhes se tratar de antojo natural da idade e que a cura viria com o tempo. O ceticismo deles ainda permanece, porque os irmãos da garota não cultivam qualquer tipo de asco por frutas. Ao passo que a neta rejeita todo tipo de suco, somente aceitando ingerir água pura.

Fiquei encafifado e fui bisbilhotar qual a alimentação dos meus cinco netos. Tudo normal, considerando a faixa de idade dos moleques, situada entre os seis e doze anos. Porém, o problema do meu parceiro ficou martelando no pensamento. Aí iniciei pesquisa na bendita Internet.

Pois não é que lá encontrei a possível causa do transtorno alimentar da neta do meu amigo. Sem nenhuma pompa ou mérito, após dar ciência ao avô preocupado, fiz questão de divulgar esta matéria para ajudar famílias com filhos possuidores de transtornos semelhantes aos da criança aqui citada.

Carpofobia – É um distúrbio psicológico muito raro e pouco conhecido do público em geral: é um medo irracional de frutas que, na ausência de precauções, pode ter consequência na saúde. Raramente, a carpofobia causa transtornos alimentares (anorexia nervosa, bulimia, por exemplos). Isso resulta de um pânico e um profundo desgosto pelas frutas.

A intensidade da carpofobia pode variar de uma pessoa para outra: alguns possuidores do transtorno não suportam estar na mesma sala que as frutas, ficam ansiosos com sua simples menção e as excluem completamente de sua dieta.

Frutas são importantes fontes de vitaminas e minerais. Sua exclusão pode, portanto, causar deficiências nutricionais com consequências muito diferentes no corpo. As deficiências são ainda mais importantes quando a carpofobia está associada à lacanofobia (medo de vegetais).

A carpofobia pode se manifestar desde a infância. Sua causa varia de pessoa para pessoa e muitas vezes é difícil de identificar, mas fatores psicológicos geralmente estão envolvidos. Para aqueles que conseguem comer smoothies de frutos ou suco, o desgosto parece estar relacionado principalmente à textura da fruta.

Em caso de carpofobia é aconselhável consultar um nutricionista, onde encontrará aconselhamento nutricional valioso para cobrir todas as necessidades de vitaminas e minerais do corpo, apesar da falta de frutas.

A doença também pode ser tratada mediante terapia cognitivo-comportamental, caso ela tenha se tornado realmente prejudicial na vida cotidiana. Trata-se de combater o mal confrontando o paciente com o objeto do medo.

Se apenas uma pessoa ou família sentir-se aliviada com as informações aqui transcritas, ótimo! Deixar-me-á gratificado pela ajuda concedida.

Deixe uma resposta