ROQUE NUNES – AI, QUE PREGUIÇA!

Estes últimos dias têm feito um calor de tirar o picapau do oco, como se diz aqui na gloriosa Campo Grande. Dias em que o termômetro teima em ficar entre 38, 39 e até 40 graus, com sensação térmica entre 41, 43 e 44, e por aí vai. Mas, como é tempo de eleições, o prefeito da cidade descobriu nosso bairro, Aliás, descobriu o bairro em setembro deste ano. Isto porque nos três anos anteriores, ele nem sabia que o Grande Aero Rancho é o segundo maior bairro da capital, com mais de 50 mil pessoas morando aqui, só perdendo para a Vila Cidade Morena, ou, Moreninhas, como carinhosamente chamamos que já vai quase para 80 mil habitantes.

E, não somente o “prefeite”, mas também os edis, da nossa amada cidade descobriram que os bairros da cidade existem, principalmente os periféricos, onde falta água, esgoto, calçamento, coleta de lixo, os terrenos baldios, apesar de terem donos, vivem supitados de entulhos. É rato, barata, carrapato, mosquito, escorpião.

E, na modorra de sábado, quando às dezenove horas estava fazendo trinta e seis graus fui convidado a participar de uma reunião política desses vereadores que acabaram de descobrir o nosso bairro. Fui! Emputiferado da vida, mas fui. Salivando mais que cachorro com hidrofobia, mas fui.

E não é pelo calor. Mas pela desfaçatez do sem-vergonha que achou que, vindo ao bairro, trazendo um monte de badulaques e pechisbeque para a garotada, como se o povo aqui fosse um bando de botocudo que anda pelado e vive de borduna na mão, aplainara sua fala mole. E, era aquela alegria. Não culpo as crianças, afinal…. “delas é o reino dos céus”…, mas a babação de ovo dos adultos em relação ao edil… isso me deixou mais prostituto ainda!

E lá se foi a catilinária de sempre – E, que Cícero me perdoe! -, “lutar pela saúde, educação e transporte público decente”. Engraçado, ouvir isso pela televisão e rádio provoca determinado sentimento. Ouvir ao vivo dá vontade de encher a cara do sujeito de bolachas. Ora, me respondam como se eu tivesse cinco anos e fosse mongoloide – e que o politicamente correto vá para o sexto círculo do inferno de Dante -, como um sujeito que só anda de carro com ar condicionado, motorista e gasolina à vontade sabe o que é o transporte público urbano?

Campo Grande tem uma das mais caras tarifas de transporte coletivo do país e um dos serviços mais horrorosos que uma empresa pode prestar ao cidadão. Até parece que é um deboche, do tipo: Caeté, usa isso que eu estou te dando e agradeça por não andar a pé! Ora, meu senhor, dando é meu ovo esquerdo. Esse serviço é pago, e muito bem pago. Com uma média de distância rodada de 3,5 quilômetros, o campo-grandense paga uma taxa de R$ 4,85 por pessoa. Quando chove é ônibus com goteira. Quando faz frio, as janelas não fecham, e quando está quente, como agora, não há ventilação dentro dos veículos. Isso sem contar carro que quebra, solta a roda, porta que abre com o veículo em movimento e lotado de caetés, elevador para cadeirante que não funciona, e por aí vai.

Ao ser questionado por um cidadão, pouquinha coisa menos deslumbrado, sobre o transporte público, o vereador veio com aquela conversa de “cerca-lourenço”, era difícil, pois ele era um só entre 29 vereadores, que buscar uma avaliação e uma tomada de posição requereria o apoio da maioria – e olha que o partido dele tem o maior número de vereadores na Câmara -, que o prefeito sempre dava um jeito de esvaziar qualquer tentativa de fiscalização.

Já disse e repito, caeté não briga com caeté, mas tem horas que a paciência chega no limite e os bagolinos ficam por demais inchados. Pedi a palavra e disse que a sem-vergonhice do serviço de transporte coletivo só melhoraria a hora que a sem-vergonhice política parasse de ser hipócrita e todos começassem a usar transporte coletivo. Sugeri ao vereador que ele propusesse um projeto de lei que definisse que prefeito, vice-prefeito, secretários municipais, secretários adjuntos, seus assessores, vereadores e seus assessores só pudessem ir ao trabalho, se deslocar pela cidade e voltar para casa apenas utilizando o transporte coletivo. Sem essa de carro oficial com motorista e ar condicionado. Apenas o transporte coletivo. Ainda fui mais além, caso ele propusesse esse tema como projeto, nós do bairro iríamos mobilizar a sociedade para pressionar a Câmara a apreciar, votar e aprovar a lei.

O resultado dessa pantomima? Fui solenemente escanteado, o vereador saiu à francesa, o dono da casa que me convidou ficou chateado comigo e, certamente ganhei um inimigo, pois o sem-vergonha que veio pedir voto saiu com uma cara de poucos amigos da reunião. Ora, meu senhor, vereador não é entidade sobrenatural. É empregado do povo. Desse mesmo povo que tem que esperar até uma hora e meia para pegar um busão lotado, fedido, correndo o risco de cair no meio do caminho. E será que nós, enquanto povo não podemos cobrar, pelo menos um pouco de coerência?

Ora, vá coçar as virilhas, meu senhor. Falar de transporte público andando de, e aqui vou fazer propaganda “de grátis”, Hunday Tucson é o mesmo que uma puta falar de virgindade dentro de um cabaré. O sujeito que não sabe dizer o nome de uma escola pública, falar que vai lutar pela educação, é no mínimo, estar gozando com a cara do cidadão. Nessas horas eu fico pensando nas formas de justiçamento que o velho oeste americano fazia com safados assim: piche e pena no couro do indivíduo. Pena que não herdamos esse senso de justiça.

E assim entramos em outubro, com um calor infernal. Chuva por aqui só depois do dia 10, segundo a meteorologia, mas circulação de vagabundo pedindo voto, já começou. Que venham…. eu estou fazendo uma borduna de guatambu bem grossa e pesada para descer no lombo desses cabras. E não me venham dizer que isso é violência. Não é não. Essa é a maravilha de viver em uma nação livre.

Viva la Democrácia!

5 pensou em “VIVA LA DEMOCRÁCIA!

  1. Eu entendo a sua indignação em relação as atitudes do edil , só que dá tua narrativa o que me deixa puto é a reação do povo . Por esta reação é que esse cabra ou outro que for eleito para o lugar dará prosseguimento a canalhice .

  2. Pois é ……

    mas, e sempre existe um mas, se não votarmos nos mesmos, parentes e amigos, estes canalhas vão acabar percebendo que acabou a mamata da reeleição, para eles e seus familiares, atuais e futuros.

    O que precisamos fazer é ir limpando esta escória, seus familiares e amigos……..

    Também não votar em “tiriricas” da vida pois rapidamente eles se acostumam a não trabalhar ….., e rapidamente esquecem da sua origem …….

    Lembrem-se ……… As origens de Lulla e o que ele é hoje,….. ….. um milionário, solto mas condenado em tres instâncias …… ….

    Escolher então gente desconhecida com um mínimo de instrução e bom senso para poder minimamente ler e falar ……

    • Para alegria do Goiano… E o que dizer do que anda ocorrendo na capital gaúcha?

      Em POA… Manuela D’Ávila lidera na pesquisa estimulada, que é aquela realizada com a apresentação de nomes para o eleitor.
      Na pesquisa espontânea (sem apresentação de nomes) que o Ibope fez em Porto Alegre, a comunista Manuela D’Ávila também lidera.

  3. Tem um jeito mais fácil de ter um bom transporte público: concorrência. É só a prefeitura parar de regular, regulamentar, controlar, determinar, definir, padronizar. Ou seja, parar de garantir o monopólio/oligopólio de seus amigos. Deixa quem quiser botar um ônibus e levar gente, obedecendo ao código de trânsito, e a coisa melhora rapidinho.

    Claro que é mais fácil o Coiote pegar o Papa-Léguas do que uma prefeitura abrir mão dessa boquinha. Não existe cidade no Brasil onde não exista um esquema envolvendo prefeitura, vereadores, empresas de ônibus e fabricantes de ônibus para distribuir dinheiro em troca de subsídios e mercado garantido.

    Um amigo meu, já falecido, foi diretor de uma grande encarroçadora de ônibus. Segundo ele, todo ônibus vendido no Brasil têm aproximadamente 20% de superfaturamento que vai direto para as propinas que são distribuídas entre políticos.

  4. Roque, a coisa é pra ficar mais que puto mesmo. Eu estive numa reunião com uma candidsra a prefeita e disse que os caras prometem lutar pela educação, saúde e segurança e quando são eleitos roubam dinheiro exatamente desse tripé. Ela já prendeu corruptos que só a porra aqui. Tinha a delegacia de combate a corrupção e o governador extinguiu. Mas, é pra ficar puto mesmo.

Deixe uma resposta