A PALAVRA DO EDITOR

Um dos maiores desejos do cidadão é botar o pé na estrada, dar umas voltinhas por lugares diferentes, viajar a passeio, livre de compromissos. O tempo, pede pegar o carro, trem, navio ou avião e sair por aí sozinho ou acompanhado para curtir um lazer joinha. Na medida. Quando a viagem é programada, satisfaz. O resultado é positivo, tanto no lado social, quanto no aspecto financeiro e pessoal.

Opções é que não faltam neste país. Curtição, tem para todos os gostos e condições financeiras. Cenários deslumbrantes, culinária deliciosa, cultura e costumes diversificados, trilhas, clima quente, de sol direto no Nordeste ou de temperatura amena e até fria, na região Sul, para quem gosta de se agasalhar.

Afinal, parques, pousadas, resorts e hotéis nas mais diferentes categorias, estão prontinhos, só esperando ocupação. Basta o viajante escolher o destino, cair em campo e sair por aí. À vontade.

O prazer de viajar é preenchido por uma séria de detalhes. Gozar de liberdade, desgrudar-se da rotina, chutar os compromissos pro baú, escapar dos problemas cotidianos, livrar-se das responsabilidades do trabalho e das compras semanais no supermercado.

Nas viagens, basta traçar o roteiro, chegar ao destino, sentar à mesa, escolher o cardápio, engolir o rango, pagar a conta e tamos conversado. O resto é só descanso e pernas pro ar. Afinal, pra isso, valem as investidas de lazer.

Tem outro detalhe superimportante. Viajar, enriquece os conhecimentos, amplia relacionamentos, favorece a experiência, renova as energias. É prazeroso visitar pontos turísticos, somar experiências, rejuvenescer o coração, aliviar o estresse, somar felicidade, valorizar o bem-estar.

As viagens preparam o viajante para enfrentar novas jornadas, especialmente no trabalho. Finalmente, no regresso, o turista chega em casa tranquilim, tranquilim. Cheio de energia, renovado, feliz da vida. Prontinho para enfrentar novas paradas.

Como os destinos internacionais estão em baixa por causa da pandemia, cola pensar num turismo doméstico. Mais fácil de ser realizado, preferencialmente em locais de praia e de sol. Afinal, o verão começou fervendo e o fim do ano chegou.

Então, quem não quiser curtir o estrangeiro, vale dar umas voltinhas pelo Brasil. País territorialmente extenso, rico de lindas paisagens, de belezas naturais e de formidável biodiversidade, de flora e fauna. Infindáveis atrações, praticamente na porta de casa.

Segundo a crença popular, o Brasil tem fantásticos destinos turísticos, para ninguém botar defeito. Fora os tradicionais e famosos roteiros que atraem turistas do mundo inteiro, como Copacabana, Ipanema e Corcovado, vale dar uma esticadinha por lugares diferentes, poucos conhecidos. Mas aconchegante de verdade.

Foz do Iguaçu, tem de estar no roteiro de viagem. As quedas d’água das Cataratas, deslumbram. O marco das três fronteiras, Brasil, Argentina e Paraguai, cativam.

Nas aventuras selvagens, de ecoturismo ou no plano de animais exóticos e de lindas aves em seu habitat natural, o Pantanal, das terras alagadas, é o bicho. Tá à disposição, seja em Mato Grosso ou Mato Grosso do Sul, o encanto é o mesmo. Tanto faz andar a pé, a cavalo ou de barco. Fugindo das piranhas, os dourados e os pacus esperam o viajante para aquela curtição de pesca.

Quem quiser lances diferentes, de ecoturismo, a cidade de Bonito, em Mato Grosso do Sul, tem um cenário deslumbrante. A natureza em seu esplendor, a fauna, a flora, os rios cristalinos, as cachoeiras, as cavernas são o máximo. A Gruta do Lago Azul, de Bonito, com 90 metros de profundidade, é a caverna das fortes emoções.

Logo ali pertinho, o visitante topa com o Jalapão, no estado de Tocantins. Uma maravilha ao natural. Terra de cerrado, dunas, cânions, cachoeiras, fervedouros e morro avermelhado. A cor dos arenitos, avermelha o paraíso das trilhas.

Nas vizinhanças, fica a Chapada dos Veadeiros, em Goiás, que oferece um conjunto de formações rochosas, esculpidas pelo vento, com um visual semelhante às crateras lunares. Nesse ambiente, o visitante dispõe de grutas, fendas, cachoeiras e piscinas naturais de água cristalina.

Do cerrado, vale dar uma esticada até a Rota das Emoções, no Nordeste. No Maranhão, os Lenções Maranhenses fascinam pelo contraste. Paisagem desértica, com lagoas sazonais de água da chuva, rodeadas por dunas de areia branca.

Depois do rio Nilo, na África, e Mekong, no Vietnã, o Delta do Parnaíba, no Piauí, é o único das Américas que deságua em mar aberto. No Brasil, o despejo do Rio Parnaíba é no oceano Atlântico, através de cinco saídas, que formam um belo santuário ecológico, enriquecido por manguezais, igarapés e variada biodiversidade. A Revoada dos Guarás é algo inesquecível.

Integrando a Rota da Emoções, o Ceará oferece Jericoacoara, terra de sol permanente e deliciosas praias. Razão de Jeri tornar-se num badaladíssimo vilarejo do Nordeste. A paixonite por Jeri começa pelo divertido passeio de buggy pelas dunas ou em aventuras na tirolesa, no tobogã e no kitesurf. Sem esquecer o relax numa gostosa rede em plena praia.

Descendo um pouquinho mais, o turista esbarra na cidade de Ipojuca, Pernambuco. Nessa cidade, o viajante encontra praias paradisíacas. Tem a de Muro Alto, Cupe, Maracaípe, Tamandaré e a soberana praia de Porto de Galinhas. Eternamente atraente, Porto de Galinhas fascina. As piscinas naturais em pleno mar, a facilidade de caminhar pelos arrecifes, o emocionante mergulho com os peixinhos, o rico artesanato e a saborosa gastronomia. .

Num pulo, descortina-se a beleza do Caribe brasileiro em plena cidade de Maragogi, no estado de Alagoas. O cenário também é vibrante com arrecifes de corais, flora e fauna exuberantes para bater forte nas emoções do visitante.

Ao lado, desponta Sergipe, prontinho para encantar o viajante que esticar até o município de Canindé do São Francisco, distante somente 186 quilômetros de Aracaju, capital sergipana. Ali, nas margens do rio São Francisco, o forasteiro deslumbra-se com enormes cânions.

Porto Seguro é a estância turística costeira da Bahia. A água é cristalina, o lugar, inesquecível. Aliás, Porto Seguro tem o monumento do Marco do Descobrimento do Brasil, colocado em 1503, durante a expedição de Duarte Coelho.

No entanto, convém esticar as pernas até a Chapada Diamantina no abençoado e rico deslumbre como é o estado da Bahia. Região de serras, a Chapada Diamantina tem lindos cenários para curtir. Além de estar rodeada por uma cadeia de serras, o visitante encontra 24 cidadezinhas banhadas pelas borbulhantes águas de belas cachoeiras. O pico de Barbados, em terras baianas, tem 2033 metros de altura. É o pico mais alto do Nordeste. Além da formação geológica, a rara beleza botânica do lugar é extraordinária.

Das 24 cidadezinhas serranas baiana, uma é chamada simplesmente de Lençóis. No passado, Lençóis reinou absoluta na extração de diamantes. Nas suas ruas, existem muitos prédios do século XIX. Lençóis contorna o vasto Parque Nacional da Chapada Diamantina, que oferece bela área montanhosa, lindas florestas, quedas de água e grutas para o deleite turístico.

Completado o roteiro, sobram apenas saudades e aquele gostinho de quero mais. Fazer novos giros pelos belos cenários espalhados por novas e emocionantes regiões brasileiras. Projeto reservado para as novas férias.

Então, em vez de pegar o avião e esticar o roteiro para o estrangeiro, é conveniente o viajante começar dando aquela voltinha pelo Brasil. Com o propósito de descobrir as belezas naturais que endoidam o gringo. Pena que a corrupção, a violência e a sujeira nas cidades desencorajam o turista do exterior.

Se o brasileiro tem medo de enfrentar a perigosa barra, imagine quem é de fora. Problema que as autoridades brasileiras fazem questão de ignorar.

Deixe uma resposta