GEORGE MASCENA - SÓ SEI QUE FOI ASSIM

Lá por volta de 1955 ou 1956 Roberto Carlos sentiu que Cachoeiro do Itapemirim havia ficado pequena para o seu talento, e viajou para o Rio de Janeiro, onde alcançou o sucesso conhecido de todos nós, eu pesquisei como foi feita esta viagem entre sua cidade natal e a adotiva, se de carona, trem, avião, carro próprio ou ônibus, mas não consegui descobrir. Nesta mesma época a Itapemirim entrava no ramo do transporte interestadual de passageiros com a linha Cachoeiro – Rio e pode ter sido numa destas pioneiras viagens que o rei embarcou rumo ao sucesso, e é desta empresa tão famosa quanto Roberto (pelo menos no interior do Nordeste) que eu vou falar hoje: A Viação Itapemirim.

Casa onde viveu Roberto Carlos em Cachoeiro do Itapemirim, hoje Museu

No dia 4 de julho de 1953 foi fundada a Viação Itapemirim no Espírito Santo, fazendo rotas dentro do estado. Sob o comando de Camilo Cola, começou com 22 ônibus e foi crescendo, passou a fazer viagens interestaduais para estados vizinhos e depois subiu para o Nordeste para concorrer com os caminhões paus de araras, que dominavam o transporte rodoviário de “paraíbas” para o sul maravilha. Camilo Cola era um visionário, não tinha só uma empresa de ônibus, tinha a Itapemirim, comandada de perto por ele, esposa e filhos. A família morava literalmente dentro da empresa, a casa dos Cola era no mesmo terreno da garagem, oficina e administração.

Camilo Cola e o logo zebrado com o “vi”

Em 62 a VI deixa de ser uma “ltda” para ser uma “SA”. No começo dos anos 70, Camilo Cola encomenda ônibus de três eixos, inéditos no Brasil, com mais conforto e muita propaganda. Para entrar na região Sul adquire a empresa Penha, e constrói pelo Nordeste uns pontos de apoio nas rodovias para que os passageiros pudessem fazer refeições e tomar banho, enquanto os ônibus eram limpos e abastecidos, era a Rede Flecha. Lembro que em 1978 fui com os meus pais e irmãos para Salvador e no caminho umas placas com um indiozinho informavam a distância do próximo ponto de apoio, na medida em que se aproximava, o curumim ia ficando mais alegre, eu com 11 anos de idade achava aquilo muito interessante.

Ponto de apoio Flecha em Vitória da Conquista:

:

Na década de 80 a Itapemirim lança o Tribus, um três eixos mais confortável que os anteriores, e com o sucesso deste, cria a Tecnobus, e passa a fabricar suas próprias carrocerias. Neste período até meados dos anos 90 a Itapemirim atingiu seu auge, a principal concorrente no Nordeste, a São Geraldo, foi adquirida pela Gontijo que entrou com preços mais competitivos, mas sem o conforto e o “glamour” da Itapemirim, os ônibus da Gontijo tinham fama de sujos e fedorentos por causa da viagem de três dias sem higienização interna e externa. Muitos caminhões tinham escritos em seus para-choques: “Deus me livre das almas do purgatório e dos ônibus da Gontijo”. O grupo Itapemirim era muito forte, tinha revendas Mercedes Benz, Fiat, Toyota, gráfica, loja de pneus e até uma empresa aérea, a Itapemirim Cargo, ou ITA, que chegou a ter seis Boeings 727.

Aeronaves da ITA em Viracopos e Tribus 3ª geração, fabricado pela Tecnobu

Em 2006 Camilo Cola se elege deputado federal pelo Espírito Santo, em 2008 perde a esposa Ignez Massad Cola, originando uma disputa judicial entre os filhos adotivos Ana Maria e Camilo Júnior, ela reclamando que recebeu uma fatia menor da herança e ele alegava que esta era a vontade da mãe deixada em testamento. Com muitas dívidas, a empresa decide vender garagens, algumas linhas e a Penha, foi neste período que eu comecei a pegar carona vez por outra nos ônibus da Itapemirim entre Arcoverde e Tabira, e escutar a história dos nordestinos que moram no Sul e querem voltar pra terrinha, mas não podem, porque lá estão seus filhos com seus empregos, estudos ou namoradas, hoje a frequência das viagens é muito pequena e quando preciso me deslocar sem o meu carro, vou de lotação ou de Progresso e quem eu encontro lá? Os “paraíbas” com suas malas “ostentando” a etiqueta da companhia aérea na sua bagagem, desembarcam no Recife e pegam o ônibus para completar a viagem. Talvez a baixa dos preços das companhias aéreas tenha sido a última estação destes quase 70 anos da empresa que fez história, principalmente neste Sertão nordestino.

Um dos três ônibus da Itapemirim retidos em 2018 pela PRF de Caratinga por falta de licenciamento

Deixe uma resposta