MARCELO BERTOLUCI - DANDO PITACOS

Vacina é um dos assuntos da moda no Brasil (e no mundo). E muita gente não gosta de ver o país importando vacinas.

O que pouca gente sabe é que existe uma ativa e próspera indústria de vacinas no país, com quase 30 fabricantes produzindo mais de 300 milhões de doses por ano – só que para vacas, não para humanos.

Por que a diferença? Provavelmente porque o mercado de vacinas bovinas é uma relação comercial com duas partes: o vendedor e o comprador; nas vacinas humanas, existe o comprador, o vendedor e o governo, e relacionamentos a três só funcionam bem em filme pornô (porque é tudo fingimento e segue um roteiro). Falando sério, quanto mais o governo se intromete em um setor, menos pessoas existem querendo investir nele – em geral, sobram apenas aqueles que mantêm “relações íntimas” com deputados e ministros.

A fabricação de vacinas no país começou no tempo dos militares, com todos os ingredientes de costume: um nome pomposo (PASNI – Programa de Autosuficiência Nacional em Imunobiológicos), comitês, planejamentos, metas e vultosas verbas distribuídas para institutos como Manguinhos, Butantan e Vital Brasil. Também como de costume, o que no começo parecia funcionar aos poucos vira um sem-fim de prejuízos e pedidos de “mais verba”. Quando o país se abriu um pouco para o resto do mundo, nos anos 90, descobriu que as vacinas produzidas nos outros países eram muito mais baratas do que as produzidas aqui, e a fabricação local começou a encolher.

Em 1999 veio uma novidade que pesquisadores da área chamam de “a pá de cal” ou “o prego no caixão” da produção brasileira: a criação da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A ANVISA estabeleceu um monte de exigências técnicas e burocráticas na área farmacêutica, e as estatais que ainda fabricavam vacinas não conseguiram atender a essas exigências, alegando, mais uma vez, que precisavam de “mais verba”. Não é curioso ver um órgão do governo reclamar que não consegue atender a exigências feitas por esse mesmo governo?

O Instituto Butantan produz atualmente sete vacinas (incluindo a da COVID), mas apenas uma, contra a gripe, tem o insumo básico fabricado aqui. Todas as demais usam matéria-prima importada, que é apenas processada e embalada aqui. A Fiocruz mostra números um pouco melhores: dos dez tipos de vacina produzidos, quatro usam insumos nacionais (ainda assim, menos da metade).

Por que isso acontece? É difícil explicar de forma específica, mas a explicação genérica é bem simples: governos não são eficientes em produzir coisas. Como qualquer empresário sabe, uma empresa só aprende a ser eficiente quando sente a presença da concorrência. Uma empresa estatal, com mercado cativo e planejado pelo governo, e sem compromisso com o lucro, desaprende: ao invés de se tornar mais eficiente, tende a se esquecer do objetivo para o qual foi criada (seja produzir vacinas, computadores ou livros escolares) e se preocupar cada vez mais com sua própria burocracia e com os salários e benefícios de seus funcionários. Para contornar a falta de eficiência e de produtividade, a solução é sempre a mesma: declarar que o governo precisa “investir mais”. Funcionários de empresas estatais geralmente acreditam piamente que o dinheiro do governo é infinito.

Outro problema que também afeta esse e outros setores no Brasil é que a pesquisa científica costuma ser concentrada nas universidades públicas, que de modo geral não são eficientes na hora de transformar a pesquisa em produção. Um professor da USP chamou de “Vale da Morte” a distância que existe entre o laboratório e a indústria, expressando que essa distância hoje é praticamente intransponível. A solução apontada, como sempre, é “mais investimento”. Aliás, aqui no JBF temos vários representantes do mundo acadêmico que podem falar do assunto com mais propriedade do que eu.

O que fica claro é que, independente de preferências ideológicas, a função do governo deve ser governar, não produzir. A razão básica do socialismo não funcionar é que, ao pregar a “ausência de propriedade privada dos meios de produção”, deixa os tais meios de produção, ou seja, a indústria, sem dono e sem rumo. Nesse sentido, o Brasil sempre flertou com o socialismo. Nos anos 70/80, criou uma pomposa indústria estatal de computadores (onde trabalhei por oito anos). Não deu certo. Criou, como vimos, uma indústria estatal de vacinas (aliás, mais de uma). Não deu certo. O governo de São Paulo foi dono de uma empresa de aviação, a Vasp. Não deu certo. Empresas que hoje são consideradas por alguns “orgulho nacional”, como Vale e Embraer, enquanto foram estatais acumulavam prejuízos, lentidão, projetos que nunca chegavam ao fim, desperdícios, tudo isso enquanto os funcionários, fossem produtivos ou não, recebiam todo tipo de benefícios.

Enquanto isso, setores como o de vacinas veterinárias, entre muitos outros, mostram que o empreendedor brasileiro pode ser tão produtivo e competitivo quanto qualquer outro. Basta o governo não atrapalhar.

20 pensou em “VACINAS

  1. A razão básica do socialismo não funcionar é que, ao pregar a “ausência de propriedade privada dos meios de produção”, deixa os tais meios de produção, ou seja, a indústria, sem dono e sem rumo. Nesse sentido, o Brasil sempre flertou com o socialismo.

    Marcelo,
    Vou mais longe… Flertou, amaziou e desta relação de décadas (e bota décadas nisso) pare cada filho horrendo, que trava o Brasil sempre que algum ar liberal e/ou conservador ousa perturbar a burrocrática vida dos seguidores de Marx, Lênin, Mao e outros menos cotados…

    • REDACCIÓN TIRAMILLAS – Un informe de la la Plataforma Intergubernamental Científico-Normativa sobre Diversidad Biológica y Servicios de los Ecosistemas de la ONU (Organización de las Naciones Unidas) adevierte del peligro de antrar en una “era de pandemias”: “Pandemias en el futuro surgirán con más frecuencia, se propagarán más rápidamente, tendrán mayor impacto en la economía mundial y podrían matar a más personas que COVID-19”.

      • OBAAAAAAA!!!!!!!!

        Acaba com essa raça de merda chama de “humanos”.

        Deixa a natureza seguir seu curso, como fez em bilhões de anos, sem que esse verme canalha, sempre querendo ser dono de tudo, espalhe a desgraça da sua ambição demoníaca por todo o planeta.

        FECHA ESSA MERDA!!!!

      • Creio que cada vez que as pessoas começarem a achar que podem cuidar de suas próprias vidas, surgirá uma nova pandemia para novamente transformar todos em crianças assustadas pedindo que o governo as proteja.

  2. Muito bom o texto. Seria bom se ele chegasse as mãos do Senhor Presidente Burro da República. Trocamos da esquerda para a direita e não melhorou nada. Nada! A grande disputa nacional é saber quem é mais burro, Bolsonaro ou Dilma. Triste situação do país do futuro.

    • Caro Nikolai,

      Concordo integralmente contigo.

      Estou na mesma situação do cara de Braking Bad. Estou só pensando em qual vai ser a grande putaria que vou aprontar com esses canalhas antes de morrer.

  3. Moçada,

    Nós somos “The masters of the universe!” Nós somos a elite ainda pensante nessa bosta de país.

    Por que é que nós não nos unimos e montamos um grande esquema para, no mínimo, influenciar essa putaria toda?

    O que é que está faltando?

    Mandamos uma mensagem com 2,6 milhões de assinaturas e…NADA! Morreu o assunto.

    CARALHO!!! Se 10% desses milhões de pessoas se dispusesse a ir até Brasília, acampar em frente ao STJ, e só sair de lá quando forem trocados TODOS os vermes que lá se acoitam, quero ver o que iria acontecer.

    VAMOS CONVOCAR UMA GRANDE MARCHA SOBRE BRASÍLIA! QUEM FOR BRASILEIRO, SIGA-ME!

    • Não acho uma má ideia. Mas, deixo minha sugestão de preparar uma relação com as 5 providências a serem solicitadas. Já temos um Exército de Branca Leone instalado em Brasília, não é necessário mais um. Saber o que cobrar é o primeiro passo.

  4. Podem espernear à vontade… Bolsonaro é sem NENHUMA sombra de dúvida o MELHOR presidente que nosso país já teve ou terá…
    Só não vê quem não quer…
    Por isso os mamadores querem a todo custo defenestrá-lo do poder.
    Nossa bandeira jamais será vermelha!! Brasil acima de tudo e Deus acima de todos!!

    • Recomendo que saia um pouco do seu mundinho limitado e exclusivo para poder fazer comparações com mais propriedade. Bolsonaro está isolando o Brasil como uma ilha de ignorância e desgraça.

      “O Governo Bolsonaro transformou o Brasil em uma espécie de “leproso” no mundo. A comunidade internacional quer distância do país que, neste momento, lidera o ranking das mortes por Covid-19, com mais de quatro mil mortes diárias. Números que levaram o imunologista Anthony Fauci, conselheiro do presidente Joe Biden, a classificar o Brasil como uma “ameaça ao mundo”. O Relatório Reservado teve acesso a três informações de áreas que reafirmam a posição do Brasil como um pária aos olhos do mundo:
      Segundo o RR apurou, a Iata (Associação Internacional do Transporte Aéreo) comunicou ao governo brasileiro que o país ficará de fora dos testes do Travel Pass. Trata-se do aplicativo que está sendo desenvolvido para substituir o passaporte convencional, em papel. A Iata se recusa a enviar funcionários ao Brasil por conta da disparada dos casos de Covid-19. Resultado: os aeroportos brasileiros vão para o fim da fila e deverão figurar entre os últimos do mundo a receber a nova tecnologia. O sistema, ressalte-se, ainda terá de ser incorporado pela PF, responsável pela emissão de passaportes no país.
      As Filipinas ameaçam reestabelecer o embargo à carne de frango brasileira. A medida se daria pela dificuldade do Departamento de Agricultura do país asiático de fazer inspeções in loco em frigoríficos no Brasil. O governo filipino não quer despachar seus técnicos para cá por causa dos números alarmantes da Covid-19. Os asiáticos suspenderam a compra de frango do Brasil entre agosto de 2020 e janeiro deste ano após detectar vestígios do novo coronavírus em um carregamento do produto. Os frigoríficos temem que um novo embargo das Filipinas provoque um efeito cascata entre outros importadores.
      A Liberty, dona da Fórmula 1, ameaça cancelar o Grande Prêmio Brasil deste ano. A fonte do RR é ligada a um dos principais patrocinadores da categoria. O motivo é o temor de expor pilotos, mecânicos e jornalistas de vários países ao epi centro da pandemia no mundo. A suspensão pode gerar um prejuízo para a cidade de São Paulo de até R$ 400 milhões. O evento está marcado apenas para o fim de semana de 7 de novembro. No entanto, qualquer remanejamento do calendário tem de ser feito com antecedência para que a Liberty negocie o contrato com a eventual cidade substituta”

    • Bolsonaro + Centrão (se gritar pega ladrão) + Eduardo Cunha. Um timaço!!! Com esse time só pode ser o melhor mesmo. Para ficar perfeito só falta agregar o Lulla. Não demora muito.
      “Quem elegeu Bolsonaro porque não queria a volta do PT tem a obrigação de dar governabilidade a ele. Se estivesse no poder eu o apoiaria”
      Eduardo Cunha

    • Eu realmente não ando com paciência para falar de política, mas esse tipo de afirmação me lembrou a história do jornalista que perguntou ao Luiz Carlos Miéle se ele bebia muito. Miéle respondeu “Muito, comparado com quê?”

      Quem faz afirmações desse tipo realmente comparou com todos os anteriores, ou está simplesmente sendo membro de torcida organizada?

  5. Acho que esse c eduardo é um “iluminado” o supra sumo do conhecimento global…
    Vai te catar!!
    Torce pelo quanto pior melhor…
    Não lembra ou finge não lembrar que o poder para combater a covid está nas mãos dos governadores e prefeitos… sabe não?? Inocente!!
    Quem é realmente que está fazendo de tudo para transformar nosso país numa gigantesca Venezuela??

    • Eu acho realmente curioso como os membros da torcida organizada do Bolsonaro não percebem como eles são iguaizinhos aos membros da torcida organizada do Lula, até nos argumentos e na forma de se expressar:

      “Se você não idolatra o meu político querido, você é burro / mal-informado / mal-intencionado”

      “Quem critica meu político querido torce pelo quanto pior melhor”

      “Quem critica meu político querido é amigo de bandido / corrupto / inimigo do país”

      “Meu político querido nunca fez nada de errado” (quando descobrem que fez, é “perseguição política”)

      “Tudo que está errado é culpa dos outros que não deixam o meu político querido trabalhar”

      Quando descobrem uma mutreta das grandes: “O meu político querido não sabia de nada! Ele foi traído!”

      Quando alguém que já criticou 500 vezes os outros políticos, faz uma crítica ao político querido dele: “É, mas falar mal dos outros não falam! Só sabem criticar o meu querido!”

      Quando os outros políticos distribuem cargos: “Bando de safados! Fazem política com toma-lá-dá-cá!”

      Quando o político querido dele distribui cargos: “Política é negociação. Temos que ser pragmáticos. Ninguém governa sozinho.”

      Quando os outros políticos falam bobagem: “Que falta de compostura! Um sujeito desses tem que ser cassado! Não tem respeito pelo cargo!”

      Quando o político querido dele fala bobagem: “Tem que falar mesmo! Tem que botar a boca no trombone! Eu votei nele prá isso!”

      Quando o filho do outro político parece ter ficado rico de repente: “É uma vergonha! Cadê a justiça que não investiga isso?”

      Quando o filho do político querido dele parece ter ficado rico de repente: “Perseguição! Calúnia! Tanta coisa para a justiça investigar, mas ficam incomodando um inocente!”

      Quando os outros políticos se unem com alguém que era “inimigo” até pouco tempo atrás: “Falta de vergonha na cara! Só pensam nos seus interesses!”

      Quando o político querido dele se une com alguém que era “inimigo” até pouco tempo atrás: “Calor, né? Será que chove?”

Deixe uma resposta