GUILHERME FIUZA

Donald Trump levantou suspeita contra a China na ONU. O presidente norte-americano aproveitou a Assembleia-Geral das Nações Unidas para reivindicar a responsabilização do governo chinês pelos danos planetários decorrentes da pandemia. Isso é um absurdo.

É um absurdo que só Trump tenha feito isso. O que houve com as democracias verdadeiras? Quem as amordaçou? Quem comprou o seu silêncio?

A ditadura chinesa é hoje o maior caso de sucesso da história do marketing mundial. Países e cidadãos supostamente livres – comprometidos cultural e institucionalmente com o valor da liberdade – paparicam o regime brutal da China. Seu capitalismo pirata, que não dá satisfação a ninguém sobre as regras básicas de direitos humanos e condições de produção, é saudado como locomotiva da modernidade do século 21. Contando ninguém acredita.

O presidente dos Estados Unidos da América está implicando com um regime comunista para criar uma batalha ideológica? Não. Ele está denunciando um regime ditatorial que escondeu a propagação de um vírus altamente contagioso nascido e criado em seu território. Um regime que só admitiu a existência desse vírus e a sua transmissão entre humanos quando o contágio já tinha ultrapassado as suas fronteiras – o que transformou um surto em pandemia. Um regime que censurou os que ousaram alertar a sociedade sobre o coronavírus – e assim transformou o mundo inteiro em vítima desse flagelo.

A China é o único dos grandes países com crescimento econômico em 2020. Impressionante. A China manda na Organização Mundial da Saúde. Vamos repetir: a ditadura chinesa, essa que escondeu um vírus novo e assim gerou uma pandemia, manda na Organização Mundial da Saúde. Da Saúde! E veio dessa magnífica referência a diretriz inédita e assombrosa de mandar a humanidade inteira se trancar em casa para fugir do vírus. O vírus ignorou o delírio totalitário e seguiu sua carreira normalmente.

Mas a principal arma das ditaduras não é a força. É a mentira. E os tarados do PCC e da OMS seguiram dizendo que a humanidade, ao renunciar à vida em sociedade, estava evitando o colapso hospitalar. Quando Nova York explodiu como foco principal da pandemia e os dados mostraram que a maioria dos internados vinha do confinamento – “Estou chocado”, disse o governador Andrew Cuomo, adepto do lockdown -, esse debate sumiu, com a mesma sutileza com que sumiu a médica chinesa de Wuhan responsável pela denúncia do primeiro surto de coronavírus. Ninguém sabe, ninguém viu. Na dúvida, fique em casa. Se puder, fique em casa.

Por quê? Porque a Lady Gaga mandou, depois de combinar um show com o Tedros Adhanom. Isto é ciência, como se diz nas seitas obscurantistas.

O perfil da campanha de Trump foi censurado nas redes sociais porque falou sobre a ocorrência quase nula da covid na infância. A Seita da Terra Parada checa e embarga qualquer informação que exponha a falta de critérios do lockdown. E ainda carimba como “desinformação”. Os Senhores da Verdade não admitem gracinhas fora da cartilha redentora. E dizem estar defendendo a democracia contra o fascismo.

Caro leitor: você tem certeza de que quer continuar brincando disso?

O presidente dos Estados Unidos não quer. Foi à Assembleia-Geral da ONU e botou o dedo na cara dos impostores. Não interessa quem é Trump ou qual é a cor da sua camisa. Interessa que ele fez o que todo mundo com juízo deveria ter feito – e não fez, sabe-se lá por que mistério das escrituras empáticas. A China propagou um vírus para o mundo, vendeu a paranoia de que a humanidade tem que viver entocada que nem rato e agora aparece vendendo vacina em tempo recorde com aval da OMS?

Embarca nesse enredo quem quer. Por enquanto. Porque eles querem tornar o embarque obrigatório.

2 pensou em “VACINA CONTRA DITADURA

  1. Realmente, é estarrecedora, essa omissão.
    Principalmente dos Países que são considerados Democratas, Capitalistas, Liberais, Monarquistas, Conservadores. Enfim, os que não são comunistas.

    Excetuando-se os EUA, quer dizer, o Presidente Donald Trump.
    Porque, os seus adversários progressistas, covardes e antipatriotas, como o são no Brasil também e no resto do mundo.
    Apoiam descaradamente esse novo símbolo e representante das trevas e do demônio em pessoa.

    Como o senhor mesmo comentou, Sr. Guilherme Fiuza.
    “É um absurdo que só Trump tenha feito isso. O que houve com as democracias verdadeiras? Quem as amordaçou? Quem comprou o seu silêncio?”
    Terríveis são as suas indagações. Onde, a simples constatação de uma delas ou de todas, até.
    Coloca todo o mundo, vulnerável e dependente (comercialmente, já o é) quanto as decisões e as posições tomadas em qualquer nível e setor pelos representantes do PCC.

    Temo, que em breve tempo. Nosso mundo não tenha mais opção de livrar-se desse “Apocalipse” dominador e genocida.

    Que Deus esteja com o Presidente Trump.
    Precisamos rezar e torcer pela sua reeleição.
    Ele é tábua de salvação do planeta terra.

  2. Antes do vírus a China já sabia que o seu PIB cairia e ficaria abaixo dos demais , Lançado o vírus , todos os países , talvez com exceção da Suécia , terão PIB negativo e China mesmo com um PIB menor do que o seu histórico recente , será positivo .
    E o vírus chinês não foi fabricado na China .

Deixe uma resposta