DEU NO JORNAL

* * *

Coitadinho: bem no meio da testa.

E também no meio da venta descomunal..

Quando vi a foto do fucinho desta suprema figura, fiquei aqui só imaginando…

Imaginando se quem tivesse caído fosse o Gilmar e os machucados fossem na boca e nos beicos.

Vôte!!!

Xô, assombração.

Mudei logo de pensamento.

11 pensou em “UMA QUEDA SUPREMA

  1. Com certeza o tombo foi quando ele deveria estar conferindo o caixa no Resort Tayayá que possivelmente é dele e fica em Ribeirão Claro na represa de Xavantes, bem perto de Marília.

  2. Quem lustrou a cara de pau desse sujeito. Usou o material e o instrumento certos.

    Cabra bom como esse daí. Merece ter estampado na carranca as marcas das suas experiências.

    Será que o exímio lustrador. Usou o mesmo método do pescoço pra baixo?

  3. Issé uma zunhada da peste, ômi!!! Esse fio do sete cranco merecia muntcho mais, que é pá deixá de ser caba safado e vigarista ligado ao partido do baibudo lularápio!!!
    E aíndjia tem um monte de desassuntado que tão dizêno pela aí que issé uma montage…
    Vade retro, cão sarnento!! Adevogado do cramunhão.

  4. Se foi queda, cadê os hematomas, mais do que normais nas partes mais salientes?!?

    E o arranhado – em curva!!! – na frente da testa.

    E os 3 ferimentinhos isolados, ao lado da testa, com traços paralelos, para dentro.

    E não quebrou o nariz, só um baita arranhado na superfície lateral – de fora para dentro?

    Isso foi TOF-lhe, TOF-lhe, TOF-lhe e unhadas sucessivas no focinho.

    Se não, onde ele meteu a cara?

    Numa cerca de arame farpado ou numa espinheira brava ou num pé de uma espécie de cactos?

    Pode haver outras hipóteses, mas nenhuma, nenhuma mesmo é de queda batendo as fuças.

    Repito:

    Isso foi TOF-lhe, TOF-lhe, TOF-lhe e unhadas sucessivas no focinho, por parte de uma despeitada – uma mulher ou uma bichinha.

Deixe uma resposta